Tronco cerebral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Tronco cerebral ou tronco encefálico é a porção do sistema nervoso central situada entre a medula espinhal e o diencéfalo, sendo quase na sua totalidade intracraniano (apenas uma porção do bulbo é exocraniana). Ocupa a fossa craniana posterior. É no tronco encefálico que se encontra fixo o cerebelo.

Este tem origem no romboencéfalo que dá origem a duas vesículas secundárias:

O tronco cerebral pode ser dividido (muito embora não claramente) consoante as suas funções:

  • Na função de condução – por este, passam as vias ascendentes que atingem o tálamo e o cerebelo, ou ainda as vias descendentes que vão para a medula espinhal.
  • Na função de integração – como a integração da actividade respiratória e vascular e alguma regulação consciente. A grande maioria desta informação está contida na formação reticular.
  • Na função dos nervos cranianos – todos os nervos cranianos (à excepção dos nervos olfactivos e do nervo óptico que projectam para o telencéfalo e para o diencéfalo respectivamente) projectam-se para, ou emergem da medula espinhal. Desta forma, uma quantidade grande de informação sensitiva e motora dos núcleos dos nervos cranianos pode ser encontrada nos diferentes níveis do tronco cerebral.

No tronco cerebral encontram-se assim localizados os núcleos que presidem aos mecanismos homeostáticos mais básicos como o ritmo cardíaco, a respiração e a dor. Aquando da lesão destes núcleos, a troca de informação entre o SNC e o resto do organismo não se verifica e, desta forma é declarada a morte cerebral do indivíduo (o indivíduo é declaro morto mesmo que o coração esteja a bater – verifica-se uma paragem do tronco cerebral).

Isto acontece por exemplo, no prolapso das amígdalas do cerebelo para o forame magno e que consequentemente constringe o tronco cerebral – o chamado abraço da morte – e que se pode dar quando é feita uma punção lombar, pois, devido à existência de uma variação de pressão, o líquido cefalorraquidiano vai correr no sentido que apresenta uma menor pressão de modo a igualar as pressões do líquido, ou seja, de cranial para caudal e, consequentemente, provocar a deslocação das amígdalas com todos os efeitos adjacentes.

O tronco cerebral tem três porções que são, de baixo para cima:

  1. Bolbo raquidiano:
  • porção caudal
  • porção rostral
  1. Protuberância, ponte de valório ou ponte (protuberância):
  • porção caudal
  • porção rostral
  1. Mesencéfalo:
  • porção caudal
  • porção rostral
Ícone de esboço Este artigo sobre Neuroanatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.