Vidas dos Doze Césares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vidas dos Doze Césares
Autor (es) Suetónio
Idioma Latim
País Império Romano
Género Biografia
Lançamento 121

Sobre as vidas de Césares, tradução literal do latim De vitis Caesarum, mais conhecido em português como Vidas dos Doze Césares, é o conjunto de doze biografias que inclui a de Júlio César e os onze primeiros imperadores do Império Romano: Augusto, Tibério, Calígula, Cláudio, Nero, Galba, Otão, Vitélio, Vespasiano, Tito e Domiciano.

Escrito em 121, durante o reinado do imperador Adriano, foi o trabalho mais popular do secretário pessoal de Adriano, Suetônio, e o mais longo entre seus escritos remanescentes. Ele foi dedicado a seu amigo, o prefeito do pretório Gaius Septicius Clarus, em 119.

Vidas dos Doze Césares é considerado muito significante em antiguidade e permanece como uma das principais fontes sobre a história romana. O livro discute o importante e crítico período do principado, do início da República até o reinando de Domiciano; comparações são geralmente feitas com Tácito cujos trabalhos remanescentes documentam um período similar.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]