Voyage au centre de la Terre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde abril de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Voyage au centre de la Terre
Viagem ao Centro da Terra
Autor (es) Júlio Verne
Idioma francês
País França
Série Les voyages extraordinaires
Editora Portugal RBA
Brasil EDIOURO
Lançamento 1864
Cronologia
Último
Último
Les aventures du capitaine Hatteras
De la Terre à la Lune
Próximo
Próximo
Manuscrito encontrado por Dr.Lidenbrock.

Voyage au centre de la Terre (Viagem ao centro da Terra em português) é um livro de ficção científica de autoria do escritor francês Júlio Verne, lançado em 1864 e considerado como um dos clássicos do gênero.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

É o ano de 1863, pleno século XIX. O renomado cientista e professor de geologia e mineralogia alemão, Otto Lidenbrock, após ter encontrado um manuscrito escrito em código rúnico pelo antigo alquimista islandês do século XVI, Arne Saknussemm, e de o ter decifrado, ele descobre que, segundo o alquimista, quem desce a cratera do vulcão Sneffels, situado na Islândia, antes do início de julho, se chega ao centro da Terra; sendo que Saknussemm teria feito esse percurso.

Querendo também realizar tal feito “impossível”, ele e o seu sobrinho Axel, um jovem órfão que mora com o professor e mantêm um romance com sua afilhada, Grauben; partiram para a Islândia com o intuito de penetrar no interior da crosta terrestre. Depois de chegada à Islândia, o Prof. Lidenbrock contratou um caçador de gansos islandês, Hans Bjelke, para servir-lhes de guia até ao vulcão e de ajudante na sua longa jornada no interior da Terra. Já abaixo da superfície terrestre, estes três homens desceram corredores e galerias, passando por vários obstáculos e empecilhos, como por exemplo: falta de água, falta de comida, a perda de Axel, entre outros... Até que chegaram a uma galeria de dimensões colossais que continha no seu interior um oceano, ilhas, nuvens, e até mesmo luz, gerada por um fenômeno elétrico desconhecido. Para além destas características ainda possuía outra, mais chocante, existia vida naquele mundo paralelo ao mundo superficial, vida que na superfície era considerada já extinta há muitos milhares de anos, que ia desde dinossauros ao homem das cavernas. Tudo isto a milhares de metros de profundidade, os três exploradores tiveram de construir uma jangada para viajar naquele oceano que parecia não ter fim. Resistiram a uma tempestade de vários dias que os levou à margem oposta do oceano, onde encontraram a passagem para o centro da Terra, mas estava bloqueada por um desabamento de terras recente. Hans colocou pólvora em torno da passagem e explodiu com o obstáculo, mas essa explosão foi de tal ordem que fez com que a jangada onde os três estavam fosse puxada para uma chaminé de um vulcão, de onde, em consequência de uma erupção, foram expelidos para a superfície terrestre. Quando estabeleceram contato com os habitantes locais, descobriram que tinham saído no vulcão Stromboli, localizado a norte da Sicília. Ou seja, percorreram mais de cinco mil quilômetros nesse mundo paralelo.

Adaptações para o cinema[editar | editar código-fonte]

Na década de 1950, o livro foi adaptado para o cinema, com James Mason como protagonista.

Em 2008, uma outra versão foi lançada com os atores Brendan Fraser, Josh Hutcherson, Anita Briem, Seth Meyers.

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: A Viagem ao Centro da Terra


Ligações externas[editar | editar código-fonte]