Xerodermia pigmentosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Xerodermia pigmentosa
Classificação e recursos externos
CID-10 Q82.1
CID-9 757.33
DiseasesDB 14198
eMedicine derm/462 neuro/399
MeSH D014983
Star of life caution.svg Aviso médico

Xeroderma pigmentoso (Xeroderma pigmentosum), também abreviada XP, é uma desordem genética de reparação do DNA/ADN, na qual a capacidade normal do organismo para remover o dano causado pela radiação ultravioleta (UV) é deficiente. Isto pode levar a múltiplos Carcinomas basocelulares, carcinomas espino celulares e mesmo melanomas (três tipos de cânceres), em idade precoce. Em casos severos, é necessário evitar por completo a exposição à luz solar e a outras fontes de radiação ultravioleta.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

  • Curto tempo debaixo do sol pode causar queimaduras e a ferida permanece durante semanas.
  • Presença de pigmento preto na pele.
  • Envelhecimento prematuro nas áreas expostas ao sol.
  • Pele excessivamente seca.
  • 15%~20% dos pacientes apresentam degeneração do sistema nervoso.
  • Cegueira em razão de lesões nos olhos ou de cirurgias na região ocular.
  • Perda de audição (relacionada com a degeneração do sistema nervoso).

Frequência[editar | editar código-fonte]

A doença atinge cerca de 1 ou 2 indivíduos a cada 100.000 pessoas.[1]

Transmissão[editar | editar código-fonte]

  • Defeito em pelo menos um entre nove genes conhecidos.[2]

Tipificação[editar | editar código-fonte]

São divididos em grupos : A, B, C, D, E, F, e G —— o grupo A é o pior caso em relação aos outros grupos e, em geral, os pacientes do grupo A têm expectativa de vida inferior a 20 anos. No momento não há cura para esta doença, fazendo com que o DNA/ADN modificado se acumule e não se recupere. Pacientes XP têm um aumento de cerca de 1.000 vezes na incidência de câncer de pele, em relação a pessoas normais.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências