Zinzan Brooke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Zinzan Valentine Brooke (Waiuku, 14 de fevereiro de 1965) é um ex-jogador neozelandês de rugby union que atuava na posição de oitavo.[1]

Na virada da década de 1980 para a de 1990, era considerado um jogador do mais alto nível.[2] Possuía o talento único de ser um forward ágil e com habilidade para chutar.[1] Jogou por dez anos, entre 1987 e 1997, pela Seleção Neozelandesa de Rugby, tradicionalmente a mais poderosa deste esporte [3] e pela qual marcou 17 tries, o que na época foi um recorde mundial.[1]

Integrou o elenco campeão da primeira Copa do Mundo de Rugby, realizada na própria Nova Zelândia, em 1987, mas era reserva de Wayne Shelford. Foi a partir de 1990 que ele se firmou na titularidade,[1] sendo um dos principais nomes da geração dos anos 1990 dos All Blacks, considerada uma dos melhores times da história entre todos os esportes [4] mesmo com a falta de um título mundial; na Copa de 1995, os neozelandeses chegaram à final com grandes goleadas, como os 145 a 17 no Japão, além da liderança em pontos, tries, conversões e drop goals.[5] Brooke foi um integrante vital dos neozelandeses naquele mundial e no de 1991.[1]

Ele parou de jogar em 2001, no clube inglês Harlequins.[1] Foi eleito um dos dezesseis melhores jogadores que passaram pelo Barbarians, clube que consiste virtualmente em uma "seleção do mundo", utilizado somente para amistosos, frequentemente com fortes seleções nacionais.[6]

Referências

  1. a b c d e f Zinzan Brooke ESPN Scrum. Visitado em 07/04/2013.
  2. História do Punta Sevens Portal do Rugby (11/01/2013). Visitado em 07/04/2013.
  3. PICCINI, Renato (setembro de 2011). Obsessão. Revista ESPN n. 23. Editora Spring, pp. 78-81
  4. ABREU, Dado; LEAL, Ubiratan; MENDES JÚNIOR, Leonardo; SÍMON, Luís Augusto; TOSTÃO (novembro de 2011). 50 maiores equipes da história. Revista ESPN n. 25. Editora Spring, pp. 48-59
  5. ABREU, Dado (novembro de 2011). All Blacks dos anos 90. Revista ESPN n. 25. Editora Spring, p. 58
  6. Que entrem em campo os Barbarians! Portal do Rugby (23/11/2010). Visitado em 07/04/2013.