Émile Boutroux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Émile Boutroux
Nome nativo Émile Boutroux
Nascimento 28 de julho de 1845
Montrouge
Morte 22 de novembro de 1921 (76 anos)
Paris
Sepultamento Cemitério do Montparnasse
Cidadania França
Alma mater Escola Normal Superior de Paris, Universidade de Heidelberg
Ocupação filósofo, professor universitário, historiador, historiador da filosofia
Prêmios Comandante da Legião de Honra
Empregador Universidade de Paris

Étienne Émile Marie Boutroux (Montrouge, 28 de julho de 1845Paris, 22 de novembro de 1921) foi um filósofo e historiador da filosofia francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Após obter um doutorado em filosofia em 1874, Émile Boutroux passa a ministrar aulas de filosofia na Universidade de Montpellier, em seguida na Universidade de Nancy e na École Normale Supérieure em 1878 e, finalmente, na Sorbonne, a partir de 1885.

Em 1898 foi eleito membro da Academia das Ciências Morais e Políticas e da Academia Francesa de Letras (cadeira nº 32), em 1912.

Em 1900 discursou na abertura do Congresso Internacional de Filosofia, realizado em Paris.[1]

Dentre seus alunos se destacam Henri Bergson e Emile Durkheim. Boutroux casou-se com Alice Poincaré, irmã do matemático Henri Poincaré, e teve como filho o também matemático Pierre Boutroux.

Obras (títulos originais)[editar | editar código-fonte]

  • De la contingence des lois de la nature (sustentação de tese, 1874)
  • La Grèce vaincue et les premiers stoïciens (1875)
  • La Philosophie des Grecs, de E. Zeller (tradução, 1877-1884)
  • La Monadologie, de Leibnitz (tradução, 1881)
  • Socrate, fondateur de la science morale (1883)
  • Les Nouveaux Essais, de Leibnitz (tradução, 1886)
  • Questions de morale et d'éducation (1895)
  • De l'idée de loi naturelle dans la science et la philosophie (1895)
  • Études d'histoire de la philosophie (1897)
  • Du devoir militaire à travers les âges (1899)
  • Pascal (1900)
  • Essais d’histoire de la philosophie (1901)
  • La Philosophie de Fichte. Psychologie du mysticisme (1902)
  • Science et religion dans la philosophie contemporaine (1908)
  • William James (1911)
  • La Nature et l'Esprit (publicação póstuma, 1925)
  • Études d'histoire de la philosophie allemande (publicação póstuma, 1926)
  • La Philosophie de Kant (publicação póstuma, 1926)
  • Nouvelles études d'histoire de la philosophie (publicação póstuma, 1927)

Referências

  1. Canto-Sperber, Monique (2005). A Inquietude Moral e a vida humana. Ipiranga: Edições Loyola. p. 148. 293 páginas. ISBN 85-15-03078-0. Consultado em 11 de outubro de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]