Academia Petropolitana de Letras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Academia Petropolitana de Ciências e Letras é a entidade literária máxima da cidade brasileira de Petrópolis, estado do Rio de Janeiro.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Por iniciativa de João Roberto d'Escragnolle, foi realizada uma reunião para fundação da entidade em 3 de agosto de 1922, presidida pelo então prefeito da cidade, Eugênio Lopes Barcellos; nesta data foi então eleita uma diretoria provisória dentre os dezessete intelectuais que se fizeram presentes, ficando o mesmo alcaide como o primeiro presidente e foi apresentada a minuta de estatuto para a então denominada "Associação Petropolitana de Ciências e Letras"; a 23 do mesmo mês nova reunião se realizou com aprovação dos estatutos e escolha da diretoria definitiva, mantendo o presidente, e adesão de novos membros.[1]

Até 1928 permanece com o nome de associação de ciências e letras; é então neste ano, sob a presidência de Nair de Tefé, que passa a se denominar Academia Petropolitana de Letras após sua aprovação oficial a 30 de dezembro de 1929.[2]

Membros ilustres[editar | editar código-fonte]

Além de Nair de Tefé (que a presidiu por quatro mandatos bianuais — de 1928 a 1933, quando deixou a função),[2] a entidade contou com outros escritores tais como Olavo Dantas,[3] Petrarca Maranhão,[4] Leôncio Correia, etc.

Referências

  1. Institucional (2014). «Fundação». APCL. Consultado em 3 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2017 
  2. a b Institucional (2014). «Início». APCL. Consultado em 3 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2017 
  3. Institucional. «Memória Acadêmica: Olavo Dantas». Academia Petropolitana de Letras. Consultado em 2 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2017 
  4. Institucional (2014). «Memória Acadêmica: Petrarca Maranhão». Academia Petropolitana de Letras. Consultado em 2 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2017