Afrânio Boppré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Afrânio Boppré
Ficheiro:Capturar6.png
Afrânio Boppré.
Vereador de Florianópolis
Período 1º de janeiro de 2013
até atualidade
Deputado Estadual de Santa Catarina
Período 1º de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2007
Vice-Prefeito de Florianópolis
Período 1º de janeiro de 1993
até 31 de dezembro de 1996
Prefeito Sérgio Grando
Presidente do Partido Socialismo e Liberdade
Período 10 de dezembro de 2010
até 4 de dezembro de 2011
Antecessor Heloísa Helena
Sucessor Ivan Valente
Dados pessoais
Nascimento 30 de outubro de 1960 (58 anos)
Florianópolis, SC
Partido PT (1980-2005)
PSOL (2005-atualmente)
Profissão Economista

Afrânio Tadeu Boppré (Florianópolis, 30 de outubro de 1960) é um economista, professor e político brasileiro, filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).[1] Foi eleito para a Câmara de Vereadores de Florianópolis em 2012 e reeleito em 2016, tendo sido na ocasião o terceiro vereador mais votado da cidade. Se candidatou em 2018 ao cargo de deputado federal, mas não se elegeu, tendo recebido 19.960 votos.[2]

Iniciou sua militância no movimento estudantil, onde foi presidente do Centro Acadêmico Livre de Economia da UFSC, participando da reconstrução da União Nacional dos Estudantes, levada a clandestinidade pela ditadura militar. Participou na década de 80, da fundação do Partido dos Trabalhadores na cidade de Florianópolis.[3]

Foi vice-prefeito de Florianópolis durante o governo de Sérgio Grando (1993-1996). Em 1996 candidatou-se a prefeito, tendo chegado a disputar o segundo turno contra Ângela Amin, que venceu com 53,84% dos votos contra 46,15% de Afrânio. Foi deputado estadual durante dois mandatos (2001-2002 e 2004-2006). Na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, presidiu a Comissão de Tributação e Finanças, Turismo e Meio Ambiente e Trabalho e Serviço Público.

Em 2005, filiou-se e ajudou a fundar o Partido Socialismo e Liberdade. Em 2010, Heloísa Helena anunciou que renunciaria ao cargo de presidente do partido após ter sido derrotada na disputa pelo Senado em Alagoas, e a partir disso o partido passou a funcionar como um colegiado. A cadeira de presidente deixou de estar vaga após uma decisão do Supremo Tribunal Federal. Encabeçado e assinado por Afrânio, o PSOL propôs uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), pedindo a regulamentação de artigos da constituição no campo da comunicação social, em especial, o direito de resposta. A ministra Ellen Gracie se negou a aceitar a Adin porque ela não era assinada pelo presidente do PSOL, mas sim, pelo seu secretário-geral, no caso, Afrânio. Após o fato, uma reunião da Executiva Nacional do PSOL elegeu por unanimidade o economista Afrânio Boppré como novo presidente do partido, que viria a permanecer no cargo até 2011. [4]

Pelo PSOL, disputou duas vezes cargos do Poder Executivo. Em 2008, concorreu novamente à Prefeitura da capital, tendo recebido 2% dos votos[5], e em 2014 disputou o governo do Estado, obtendo 11,29% dos votos válidos em Florianópolis, e 1,80% no Estado todo.

Referências

Precedido por
Heloisa Helena
Presidente Nacional do PSOL
2010 – 2011
Sucedido por
Ivan Valente
Ícone de esboço Este artigo sobre políticos ou política de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.