Ahmed el-Tayeb

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ahmed el-Tayeb

Ahmed Mohamed el-Tayeb (em árabe: الشيخ أحمد محمد الطيب) ou Sheikh Ahmed Mohamed el-Tayeb é o imã da Mesquita de al-Azhar do Cairo, Egito, desde 2010. Foi nomeado pelo ex-presidente do Egito, Hosni Mubarak, após a morte de Muhammad Sayyid Tantawy.[1]

Possui um doutoramento em filiosofia islâmica pela Universidade Paris-Sorbonne. e foi presidente da Universidade de Al-Azhar desde 2003.[2] [3] Entre 2002 e 2003, el-Tayeb serviu como Grande Mufti do Egito.[4] El-Tayeb é um xeque sufista hereditário do Alto Egito e expressou o seu apoio para uma liga sufista global.[5][6]

Ele é habitualmente considerado pelos media um dos clérigos sunitas mais moderados do Egito.

Al-Tayyib, que em seu cargo de Grande Ima de al-Azhar é amplamente considerado como a autoridade máxima no mundo muçulmano sunita, disse num seu discurso de Abril de 2017que a humanidade deveria "enfatizar o valor da paz, da justiça, igualdade e direitos humanos, independentemente da religião, cor, raça ou linguagem". e agradeceu ao Papa FRancisco a sua “defesa do Islão contra as acusações de violência e terrorismo"[7]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Discutindo a posição do Islã sobre os apóstatas em dois episódios de seu programa de televisão do Ramadã, "al-Imam al-Tayyeb", o xeque de al-Azhar afirmou que os estudiosos islâmicos clássicos e contemporâneos concordam que a apostasia é um crime potencialmente punível com a morte. Al-Tayyeb afirma que não há contradição entre defender o princípio da liberdade religiosa e sancionar o assassinato de cidadãos simplesmente por mudar suas crenças religiosas. Para al-Tayyeb, "a liberdade de crença é uma coisa e a liberdade de renunciar a uma crença religiosa particular é outra coisa". Ele, e a própria Mesquita de al-Azhar, foram acusados de ter dois discursos contraditórios, um para a sensibilidade do Ocidente e outro para "consumo doméstico" que sanciona o extremismo violento.[8]

Referências

  1. Abou el Magd, Nadia (21 de março de 2010). «Mubarak appoints a new chief of Al Azhar». The National [ligação inativa] 
  2. Hassan, Amro (13 de Março de 2010). «EGYPT: Moderate cleric the front-runner in race to take over powerful Sunni Muslim post». Los Angeles Times 
  3. Topol, Sarah A. (22 de Março de 2010). «Egypt names Ahmed el-Tayeb sheikh of Al-Azhar University». The Christian Science Monitor 
  4. Shahine, Gihan (25 de Março de 2010). «'A good choice after all' -Will the appointment of a new grand sheikh restore Al-Azhar's credibility?». Al-Ahram (Arquivado em WayBackMachine) 
  5. Brown, Jonathan (Dezembro de 2011). «Salafis and sufis in Egypt» (PDF). The Carnegie Papers. Middle East- December 2011 
  6. «IS threatens Egypt's Sufis after cleric murders». The New Arab. 9 de Dezembro de 2016 
  7. Harris, Elise (7 de Julho de 2017). «Vatican, al-Azhar focus on papal trip speeches in latest meeting». Crux 
  8. «CIHRS urges Sheikh of al-Azhar to retract statements condoning violent extremism». Cairo Institute for Human Rights Studies. 10 de Julho de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.