Aisha Gaddafi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ayesha Gaddafi (ou Aisha, em árabe: عائشة القذافي, nascida em 1976) é uma mediadora da Líbia e oficial militar, antiga Embaixadora da Boa Vontade da ONU, e advogada de profissão. Ela é filha do ex-líder líbio Muammar Gaddafi e sua segunda esposa, Safia Farkash.[1][2][3]

Uma advogada de profissão, em julho de 2004 obteve popularidade independente quando juntou-se ao grupo de advogados do líder político deposto Saddam Hussein.[4]

Preside o grupo de caridade "Wa Ittassimou" (em árabe: وإعتصموا), que veio a defender Muntadhar al-Zaidi, conhecido por ter atirado um sapato no ex-presidente dos EUA, George W. Bush.

Foi Embaixadora da Paz pelas Nações Unidas[5] até sua demissão em fevereiro de 2011, por ocasião da Resolução 1970 do Conselho de Segurança das Nações Unidas contra o governo de seu pai. Em 29 de Agosto do mesmo ano, enquanto os rebeldes ocupavam Tripoli, decide ir para a Argélia com os seus irmãos, para dar à luz a sua filha Safia.[6]

Foi definida pela imprensa árabe como Claudia Schiffer árabe.[7]

Referências

  1. «Aisha, Gaddafi's only daughter». The Telegraph. 22 de março de 2011. Consultado em 9 de junho de 2011 
  2. Sullivan, Kimberly L. (2008). Muammar Al-Qaddafi's Libya. [S.l.]: Twenty-First Century Books. p. 129. ISBN 9780822586661 
  3. 2011,20:10 Gaddafi Dead, http://www.bbc.co.uk/news/world-africa-15390980
  4. Varios. «Trials of Saddam Hussein: Encyclopedia II - Trials of Saddam Hussein - Al-Dujail trial». experiencefestival.com. Consultado em 23 de março de 2010 
  5. Libyaonline. «Dr. Aisha Muammar Al-Gaddafi the Libyan Goodwill Ambassador of the UN.» (em inglês). Consultado em 23 de março de 2010 
  6. «Hija de Gaddafi da a luz en el exilio». El Mundo (em espanhol). 30 de agosto de 2011 
  7. «Aisha, Gaddafi's only daughter». The Daily Telegraph (em ingĺês). 22 de março de 2011