Almansa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Espanha Almansa  
—  Município  —
Castelo de Almansa, um ninho de águias
Castelo de Almansa, um ninho de águias
Brasão de armas de Almansa
Brasão de armas
Almansa está localizado em: Espanha
Almansa
Localização de Almansa na Espanha
Coordenadas 38° 52' N 1° 05' O
Comunidade autónoma Castela-Mancha
Província Albacete
 - Alcaide Francisco J. Núñez Núñez (PP) (2015)
Área
 - Total 531,91 km²
Altitude 712,8 m
População (2016) [1]
 - Total 24 800
    • Densidade 46,6 hab./km²
Gentílico: Almanseño, -ña
Código postal 02640
Sítio www.almansa.es

Almansa é um município da Espanha na província de Albacete, comunidade autónoma de Castela-Mancha. Tem 531,91 km² de área e em 2016 tinha 24 800 habitantes (densidade: 46,6 hab./km²).[1]

Toponímia[editar | editar código-fonte]

O nome da cidade deriva do termo árabe المنصف (al-Mansaf) que significa na metade do caminho, possivelmente refere-se à parte da Via Augusta (no Império Romano) que iniciava-se provavelmente Fuente de la Higuera com destino a Saltigi (Chinchilla), localizada próxima à Cádis.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1241, quando a pressão cristã fez dissipar a fronteira muçulmana, Almansa foi ocupada por Castela. Sua posição privilegiada nos canais de comunicação com o Levante e sua localização estratégica na fronteira com Aragão, fazem o Rei Alfonso X reforçar o povoamento da vila, o que lhe confere os privilégios e franquias de Requena, Cuenca e Alicante, estendido com outros privilégios complementares. O Infante Dom Manuel coloca sobre o senhorio do Marquês de Villena um extenso território, onde a vila de Almansa é integrada. O marquesado se tornou rico para a coroa nas mãos dos sucessivos senhores de Villena, os quais tentaram tornar-se um estado autônomo entre os reinos de Castela e Aragão. Para alcançar a unidade entre os municípios, a implementação de acordos de cooperação que levaram ao renascimento agrícola e pecuária da aldeia e que, juntamente com o crescente comércio foi incentivado, levou a aparecer feiras importantes em Almansa.

Batalha de Almansa[editar | editar código-fonte]

A batalha de Almansa aconteceu em 25 de abril de 1707 nas proximidades do porto de Albacete (Espanha). A batalha ocorreu entre os partidários do rei Felipe V de Bourbon e os seguidores do Arquiduque Carlos da Áustria. Os primeiros, ou tropas bourbônicas, foram comandados pelo duque de Berwick, e os segundos, o austracistas, foram dirigidos pelos generais Galway e Das Minas. Esta batalha foi inserida no âmbito da Guerra de Sucessão ao trono da Espanha, produzida após a vaga que deixou a morte do rei Carlos II, o Enfeitiçado. A falta de um herdeiro direto ao trono da Espanha levantou as ambições dos monarcas europeus. O testamento régio outorgava o trono a Felipe de Anjou, neto do poderoso monarca francês Luís XIV. No exterior, países como Holanda, Inglaterra e Portugal viram com maus olhos este aumento de poder indireto do monarca francês e desataram os trovões da guerra contra Luís XIV e seu neto Felipe de Anjou. No interior, rapidamente a correlação de forças mudou bruscamente e foram criados dois grupos claramente definidos e enfrentados. Uns apoiaram o Arquiduque Carlos, alegando direitos dinásticos e, outros, o monarca bourbon Felipe V.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Do ponto de vista geográfico, Almansa está dentro de Levante, na área de encontro das cadeias de montanhas ibéricas e Bética, que levaram a uma planície localizada a cerca de 700 metros, com montanhas que ligam os corredores de acesso para o Planalto e o Corredor Levante, formando o largo onde está localizada a cidade. É considerado um dos 17 passos naturais da Península Ibérica.

A extensa área de Almansa forma um conjunto de montanhas que a liga até Valência. Há uma outra cadeia de montanhas ao sul, na fronteira com as termas de Caudete e Yecla: Serra Oliva ou Santa Barbara. As fronteiras da cidade são com os municípios de: Ayora, Enguera, Fuente de la Higuera, Villena, Caudete, Yecla, Montealegre del Castillo, Bonnet e Alpera.

Esta situação geográfica especial levou à prestação de uma grande infraestrutura de comunicações que tornou a cidade como um local estratégico de comunicação continental em direção ao leste. Por tal característica, Almansa exerce influência econômica no Levante, forjando o caráter único da cidade e diferenciando-o do resto da região Castilla La Mancha.

Economia[editar | editar código-fonte]

A indústria tradicional de Almansa é a fabricação de sapatos masculinos de alta qualidade para exportação, herdados da fábrica Coloma Calçado (que foi fundado em meados do século XIX), sendo uma referência a nível nacional. Tanto é assim que, em 1913, Almansa tornou-se o segundo maior produtor de calçado em Espanha apenas ultrapassado pela Barcelona. Existem atualmente várias empresas do setor de renome nacional e internacional, o principal mercado é os Estados Unidos.

Desde o início do século XXI a indústria do calçado entrou em declínio, aumentando significativamente o desemprego no município, juntamente com o encerramento de outras empresas em diferentes sectores. O número de desempregados inscritos no Serviço Público Estadual de Emprego (INEM de idade) foi de 2.324 pessoas em 31 de julho 2.017,13 Este valor representa uma porcentagem da força de trabalho bem acima da média nacional município.

Almansa e sua região têm excelentes vinhas que pertencem à Denominação de Origem Almansa.

Principais pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

O principal ponto turístico da cidade é o castelo do século XII e XII: Castelo de Almansa. Outros pontos de visitação são:

  • Igreja da Assunção (séculos XVI a XIX)
  • Palácio dos Condes de Cirat (século XVI), hoje prefeitura da cidade
  • Igreja do Convento de São Agostinho (século XVIII)
  • Convento de São Francisco (século XVII)
  • Torre do Relógio (1780)
  • Pântano de Almansa: represa mais antiga da Europa, com obras que se iniciaram em 1578, fica à distância de 8 km do centro da cidade

Principais cidades da Espanha e distância até Almansa[editar | editar código-fonte]

Cidade População km milhas
Madrid 1 3102644 280 174
Barcelona 2 1570378 396 246
Valencia 3 769897 92 57
Sevilla 4 686647 457 284
Zaragoza 5 635509 309 192
Málaga 6 557875 378 235
Murcia 7 410364 98 61
Palma 8 378884 333 207
Las Palmas 9 365418 1785 1109
Bilbao 10 349270 512 318

Demografia[editar | editar código-fonte]

Evolução demográfica
1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 1996 2001 2005 2009 2015 2016
11.180 11.887 12.589 14.630 16.025 15.990 15.391 16.965 20.331 22.599 23.507 23.531 24.974 25.727 24.837 24.800

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Municípios da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.