American Bully (cão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
American Bully
Cão da raça American Bully adulto
Nome original American Bully
Outros nomes Bully
Bully americano
Bullies (plural)
País de origem  Estados Unidos
Características
Peso 30-50 kg. Varia com o tipo.
Altura macho 43 a 51 cm na cernelha (UKC)
Altura fêmea 41 a 48 cm na cernelha (UKC)
Pelo curto
Cor Várias cores e combinações de cores, exceto a cor merle.
Expectativa de vida 6-8 anos
Classificação e padrões
Federação Cinológica Internacional
Grupo
  • CBKC: Grupo 11 - Raças não reconhecidas pela FCI
  • UKC: Grupo 8 - Cães de companhia
Estalão #CBKC NR14 - Julho de 2013
Notas
  • Cão de companhia.
  • Possuí 4 variedades oficiais: standard, classic, pocket e XL

O American Bully(em tradução livre: "valentão americano") é uma raça de cães de companhia originária dos Estados Unidos.[1] Foi reconhecida oficialmente pelo UKC(United Kennel Club) em julho de 2013.[1]

Há controvérsias em relação à quais raças participaram na formação do American Bully. Tem-se certeza apenas de que trata-se do resultado do cruzamento entre diversas raças do tipo molosso, e que possua pelo menos a participação das raças: Am. staffordshire e Bulldog; e que estas não teriam sido as únicas. Segundo o UKC, a raça surgiu entre o final da década de 1980 e início de 1990, nos Estados Unidos, a partir do cruzamento entre cães das raças American Staffordshire Terrier, Olde English Bulldogge, Pit Bull, Bulldog inglês e Bulldog americano.[2] [1] Já o ABKC (American Bully Kennel Club) não descreve exatamente quais raças participaram de sua origem, porém deixa claro que este é fortemente ligado ao American Staffordshire Terrier, e que a diferença entre as duas raças seria unicamente a aparência física.[3] Porém, especialistas e criadores, e até mesmo David Wilson, o pioneiro da raça, concordam que o Bully possuí em sua composição grande participação das raças do tipo bulldog, como o Bulldog inglês e o Bulldog americano, entre outros.[4]

Considerando o histórico do Bully, é incontestável o fato de que a genética da raça é composta majoritariamente pela combinação entre American Staffordshire Terrier e Bulldog.[5]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

No Brasil a raça é reconhecida e registrada principalmente pela CBKC, pela SOBRACI e ALKC.

Já no país de origem a raça foi reconhecida primeiramente por um clube próprio, o ABKC (American Bully Kennel Club) em 2004. E recentemente, em 15 de Julho de 2013, a raça foi reconhecida pelo UKC (United Kennel Club) e enquadrada no Grupo Cães de Companhia.[1] [6] Em 2015, a raça foi também reconhecida pela ADBA (American Dog Breeders Association), e em 2017 pelo NKC (National Kennel Club) dos Estados Unidos.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Amstaff(American Staffordshire) Blue nose

O American Bully como raça surgiu a partir do desejo de possuir um cão de companhia totalmente dócil, tanto com pessoas quanto com animais, mas que possuísse aparência forte e pesada com uma cabeça diferenciada. Na década de 1990, David Wilson, que antes era admirador de pit bulls, passou a interessar-se por cães da raça American staffordshire terrier(Amstaff) e nesta época iniciou sua criação de Amstaffs utilizando como base o cão Blue maxx, a cadela Silver Sadey of ML, o cão Throwin Knuckles, e o cão Jackson's Mr. Brooks — todos com diversos campeões do American Kennel Club em seus pedigrees — conseguindo desenvolver uma linhagem de cães robustos com cabeças volumosas, a qual ficou conhecida pelo nome do seu canil Razor Edge. Em meados da década de 1990 até início dos anos 2000, a linhagem chamou atenção pela coloração azul(Blue nose), pelo físico robusto e compacto com cabeça grande. Por sua aparência intimidante logo estes cães receberam o apelido de "bully style"("estilo valentão"). Na mesma época surgiram outras duas linhagens semelhantes apresentando o mesmo conceito, e que tiveram igual importância para o American Bully: a linhagem Gotti(ou Gottiline), que teve como base o cão Notorious Juan Gotty que produziu mais de 900 filhos; e a linhagem Greyline, cuja base foi a cadela Tony's Showtime. O "movimento bully style" — que também ocorreu em outras raças como no Bulldog americano, e no OEB[8] — tornou-se bastante popular, e surgiram diversas vertentes dentro do conceito, e que utilizando-se das linhagens citadas juntamente com a realização excessiva de acasalamentos consanguíneos e a inserção de raças do tipo bulldog, originaram cães com características físicas bastante exóticas e robustas. Com esta inserção de outras raças — com base em relatos críveis, suspeita-se da inserção de bulldog inglês, bulldog francês, bulldog americano, dogue de bordeaux(no XL), etc — a seleção morfológica enfim deu origem à raça American Bully e suas diversas variedades de porte, incluindo as variedades oficiais: standard, classic, pocket e XL (extra large); que diferem em tamanho e peso. Dentre essas variedades, apenas o "Standard" é reconhecido pelo United Kennel Club. Além destas, existem também as variedades não-oficiais.[9] [3][10]

Em 2003 fundou-se um clube próprio para registro da raça, o The Bully Kennel Club (BKC). E em 2004 foi fundado o American Bully Kennel Club (ABKC), conhecido atualmente como o maior clube da raça. Em 2013, o American Bully foi finalmente reconhecido pelo United Kennel Club, o segundo maior clube americano de alcance internacional.

Características[editar | editar código-fonte]

Fêmea American Bully, blue nose.

O American Bully é um cão de baixa estatura, robusto e pesado. Com cabeça grande, peito largo e ossatura forte, se apresenta nas mais variadas cores e combinações de cores. A coloração mais comum da raça é o blue nose e o fulvo. De acordo com o padrão UKC, que reconhece apenas a variedade standard, o American Bully macho deve ter de 43 a 51 cm de altura na cernelha, e a fêmea entre 41 e 48 cm. O peso deve ser proporcional à altura.[1] [2] Já o ABKC(American Bully Kennel Club) registra quatro variedades de American Bully (standard, classic, pocket, e XL) que diferem em tamanho e peso. [6]

É um cão especificamente de companhia, sendo assim, totalmente dócil e companheiro, tanto com humanos, quanto com outros animais. [6] É um cão ativo, de energia mediana, que aprecia caminhadas regulares e brincadeiras.

Costuma-se realizar a conchectomia (Corte de orelhas), que apesar de ser legalizada no país de origem da raça, a prática é proibida no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária desde 2008.[11]

Variedades[editar | editar código-fonte]

O ABKC (American Bully Kennel Club) reconhece oficialmente quatro variedades de American Bully. As demais entidades cinófilas limitam-se a aceitar apenas as variedades standard e classic. O padrão morfológico imposto pelo clube ABKC é o mesmo para todas as variedades oficiais, o que muda é apenas o tamanho de cada variedade.

Variedades oficiais[editar | editar código-fonte]

  • Pocket (em português:"de bolso"): a variedade Pocket é a menor dentre as quatro variedades oficiais e a mais popular. Os machos medem exatamente entre 36 e 43 cm na cernelha, enquanto que as fêmeas medem entre 33 e 40 cm.[12]
  • Standard (em português:"padrão"): a variedade Standard é uma das mais homogêneas dentre as quatro e bastante correta em termos de conformação. De porte médio, a altura na cernelha dos machos varia entre 43 e 51 cm, e das fêmeas entre 40 e 48 cm.[13]
  • Classic (em português:"clássico"): Os cães da variedade Classic são os que mais se assemelham ao "American bully primitivo", sendo que alguns exemplares até possuem grande similaridade ao American Staffordshire Terrier. Embora possuam a mesma estatura da variedade standard, seu físico é menos robusto.[14]
  • XL (sigla para Extra Large, em português: "extra grande"): de grande porte, a variedade XL é a maior dentre as variedades oficiais. A altura dos machos varia exatamente entre 51 e 57 cm, e as fêmeas entre 48 e 54 cm na cernelha.[15]

Variedades não-oficiais[editar | editar código-fonte]

Dentre as variedades não-oficiais, as quais portanto não possuem padrão oficial, pode-se citar as variedades Extreme, XXL(Extra extra grande), Monster, Micro, Exotic, Red Lion, etc.

Temperamento e comportamento[editar | editar código-fonte]

American Bully, cor tricolor lilás. Campeão da ABKC. Diamondbacks Purple Casanova.

A raça American Bully é primeiramente e antes de qualquer coisa um companheiro, mostrando confiança com vigor e exuberância para viver. Apesar da sua aparência, seu comportamento é gentil e amigável. Esta raça é um excelente cão de família. Comportamento agressivo com pessoas não é característico da raça, e altamente indesejável.[2] É um cão sociável, tanto com pessoas quanto com outros animais.

Saúde[editar | editar código-fonte]

No geral, encontramos no American Bully um cão saudável e forte, embora os constantes cruzamentos entre parentes próximos tenham provocado o aparecimento de doenças hereditárias no American Bully. Têm uma leve tendência a desenvolver cataratas, displasia de quadril, problemas de coração, displasia de cotovelo, alergias, hipotireoidismo e surdez.[16]

American Bully X Pit Bull[editar | editar código-fonte]

Os american bullies constantemente são confundidos e até chamados erroneamente de "Pit Bull", uma raça diferente à qual não pertencem. O american bully é um descendente direto do American Staffordshire Terrier, e portanto, apesar das confusões dos cães "Dual registered" do UKC, a raça não possui nenhum vínculo direto com o Pit Bull. O american bully já é raça nova e totalmente diferente de qualquer um dos seus ancestrais. É uma raça independente, reconhecida e registrada por clubes cinófilos de seu país de origem, bem como em países onde se tornou popular. [1]

Na mídia[editar | editar código-fonte]

Um cão da raça American Bully, chamado Hulk, da variedade XXL, ficou conhecido na imprensa mundial por ser o maior "pit bull" Bully do mundo. "Hulk, o 'Pitbull' Bully gigante", como está sendo chamado, pesa quase 80 kg e impressiona por seu tamanho extremo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre American Bully (cão)

Referências

  1. a b c d e f «Padrão American Bully UKC» (em inglês). UKC. 01 de setembro de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. a b c «Padrão American Bully traduzido CBKC» (PDF). CBKC. 01 de setembro de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. a b «História da ABKC e origem da raça American Bully» (em inglês). American Bully Kennel Club. 02 de Agosto de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. Roller Bull Kennel - A história da raça
  5. Roller Bull Kennel - A história da raça
  6. a b c «Padrão American Bully ABKC» (em inglês). ABKC. 01 de setembro de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. «American Bully». www.nationalkennelclub.com. Consultado em 20 de abril de 2018. 
  8. Variante Bully do Bulldog americano
  9. «História da linhagem Razor Edge e da raça American Bully» (em inglês). HQ Bulllies. 01 de Agosto de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  10. Roller Bull Kennel - A história da raça
  11. «RESOLUÇÃO Nº 877, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008 - Artigo 7º; parágrafo 1º» (PDF). CFMV. Junho de 2017 
  12. American bully variedade Pocket
  13. American bully variedade Standard(em inglês)
  14. American Bully variedade Classic
  15. American Bully variedade XL
  16. «American Bully: características e fotos - PeritoAnimal». peritoanimal.com.br. 16 de janeiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre cães, integrado ao Projeto Cães é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.