Angélico Vieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o álbum homónimo do artista, veja Angélico (álbum).
Angélico Vieira
Informação geral
Nome completo Sandro Milton Vieira Angélico
Também conhecido(a) como
  • Angélico
  • David
Nascimento 31 de dezembro de 1982[1]
Origem Lisboa, Distrito de Lisboa
País  Portugal
Data de morte 28 de junho de 2011 (28 anos)
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s)
Período em atividade 2004–2011
Gravadora(s) Farol (2004–2011)
Afiliação(ões) D'ZRT
Influência(s)
Página oficial

Sandro Milton Vieira Angélico, conhecido como Angélico Vieira (Lisboa, 31 de Dezembro de 1982Porto, 28 de Junho de 2011) foi um cantor e actor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de António Milton Angélico e Filomena Vieira Angélico, angolanos de ascendência portuguesa, Sandro Milton Vieira Angélico nasceu de facto aos 5 minutos do dia 1 de janeiro de 1983, na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa. Como a maternidade apoiava com enxoval o primeiro bebé do ano, a mãe de Angélico o registrou como se tivesse nascido ao dia 31 de dezembro de 1982, para outra família receber o apoio do hospital. A mãe de Angélico havia chegado a Lisboa, vinda de Luanda, dois dias antes do parto, para que tivesse melhor assistência médica em Portugal.[1] A avó materna de Angélico morreu no parto de seu último filho, deixando dois filhos mais novos como Filomena em Portugal. Angélico cresceu com a mãe e os tios no Laranjeiro, em Almada. Os tios, que escutavam R&B e Kizomba tiveram influência na formação musical de Angélico.[3] António Milton, pai de Angélico, conhecido como Tomito trabalhava entre Angola e o Brasil, regressando poucas vezes a Portugal.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Aos 21 anos trabalhou como modelo para a agência DXL Models. Frequentava o 3º ano de gestão de empresas turísticas e hoteleiras na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, quando surgiu a oportunidade de entrar para a série "Morangos com Açúcar", em que a sua personagem tinha o nome "David". Esta série foi a rampa de lançamento para o nascimento da banda D'ZRT.

Em 2005 lançam os álbuns D'ZRT eAo Vivo no Coliseu. Este último foi gravado nos concertos do Coliseu dos Recreios em 1 e 2 de Outubro de 2005 e inclui um DVD.

Em 2006 foi um dos apresentadores do programa "Clube Morangos". O álbum Original é editado em Junho desse ano.

Em 2007 esteve a trabalhar no Brasil onde fez parte do elenco da telenovela Dance Dance Dance, Nessa altura chegou a namorar com a apresentadora Eliana.[4]

Depois de três anos, os quatro elementos decidiram que era momento de terminar e assim aconteceu. Cada um seguiu com os seus trabalhos. Em 2008 é lançado o disco A Despedida.

Angélico Vieira continuou ligado a música e lançou o seu primeiro álbum a solo com o nome "Angélico" a 29 de Setembro de 2008. No mesmo dia do seu lançamento, o disco foi anunciado como "disco de ouro".[5]

Em 2009 apareceu na telenovela Doce Fugitiva da TVI. Mais destaque teve depois na novela Feitiço de Amordo mesmo ano. Dá a voz ao príncipe Naveen no filme A Princesa e o Sapo e é um dos jurados do programa "Uma Canção Para Ti". Talmbém colabora com as Just Girls e com Neuza.

Em Novembro de 2009 o grupo ainda editará o disco Project.

Em 2010 aparece em Espírito Indomável onde desempenhou o papel de Simão Teixeira.

Começa a trabalhar no seu segundo álbum a solo.

Acidente e falecimento[editar | editar código-fonte]

Angélico viajava do Porto para Lisboa na madrugada de 25 de junho de 2011, onde apresentaria pela primeira vez o single "O Quanto Gosto de Ti", que viria a fazer parte do seu segundo álbum Eu acredito (2011), na festa Morangomania da TVI.[1]

Seguia acompanhado dos amigos Hélio Filipe, Armanda Leite e Hugo Pinto quando o carro despistou-se após perder o eixo da roda traseira na autoestrada do Norte, quilómetro 258,9, sentido norte-sul, perto de Estarreja pelas 3h15. Ao sentir saltar a roda esquerda da frente do BMW, Angélico gritou para os amigos.[6] Cinco viaturas e 15 bombeiros foram enviados ao local, onde Angélico foi encontrado inconsciente e encarcerado no carro, Armanda estava caída no chão, e o cadáver de Hélio foi projectado a cerca de 50 metros depois de ser colhido por um outro carro. Hugo sofreu apenas ferimentos ligeiros.[7] O artista conduzia um BMW 635 emprestado por um stand, que não possuía seguro.[8] Angélico deu entrada no Hospital de Santo António, no Porto, às 5h, onde passou por uma cirurgia de cinco horas[9] e foi acompanhado por centenas de fãs, amigos e sua mãe Filomena.[10] Durante o dia 27 de junho, o estado de Angélico piorou gradativamente.[11] Com a chegada de seu pai, Milton, de Angola, a família declarou estar à espera de um milagre.[12] Às 15 horas do dia 28 de junho seu estado clínico foi declarado irreversível. Durante a tarde, foram realizados exames de estímulos cerebrais, que constataram sua morte cerebral.[13] Às 23h40 teve suas máquinas desligas e foi declarado oficialmente morto.[14][15] A família decidiu doar os órgãos.[16]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Solo[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

D'ZRT[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de D'ZRT

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Dobragem[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Filomena Vieira (2012). Nunca te Esquecerei. Almada: Leya. ISBN 9722050621 
  2. «ZoOm In 14 - Angélico». Zoom In. Consultado em 25 de fevereiro de 2016 
  3. Biografia de Angélico
  4. Ego. «Eliana está apaixonada por ator português». Ego. Consultado em 14 de julho de 2011 
  5. «Biografia de Angélico». SAPO. Consultado em 14 de julho de 2011 
  6. «"O Angélico gritou para nos salvar"». Correio da Manhã. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  7. «www.jn.pt/local/noticias/aveiro/estarreja/interior/angelico-ferido-em-acidente-que-causou-um-morto-1888469.html». Jornal de Notícias. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  8. Sol (26 de junho de 2011). «Angélico viajava com cinto, mas sem seguro». SAPO. Consultado em 28 de junho de 2011 
  9. «Angélico operado durante mais de cinco horas1». TVI24. 25 de junho de 2011. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  10. Sol (26 de junho de 2011). «Angélico Vieira em estado muito grave após acidente na A1». SAPO. Consultado em 28 de junho de 2011 
  11. «Mãe de Angélico recusa-se a desligar a máquina». Revista Lux. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  12. «MÃE DE ANGÉLICO PEDE MILAGRE A DEUS». Flash Vidas. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  13. «ANGÉLICO: MORTE CEREBRAL É IRREVERSÍVEL». Flash Vidas. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  14. «Hospital confirma morte de Angélico». Diário de Notícias. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  15. «Hospital confirma morte de Angélico». TSF. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  16. «MORTE DE ANGÉLICO VIEIRA CONFIRMADA». Caras. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  17. «Nayma e Angélico em «A princesa e o Sapo»». TVI24. tvi24.iol.pt. 28 de dezembro de 2009. Consultado em 29 de junho de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]