Animal Boy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Animal Boy
Álbum de estúdio de Ramones
Lançamento Maio de 1986
Gravação Dezembro de 1985
Gênero(s) Punk Rock, Hardcore Punk
Duração 31:44
Gravadora(s) Sire Records
Produção Jean Beauvoir
Cronologia de Ramones
Too Tough to Die
(1984)
Halfway to Sanity
(1987)

Animal Boy é o nono álbum de estúdio da banda de punk rock Ramones, lançado em Maio de 1986.

O álbum apresenta músicas clássicas da banda, como "My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes To Bitburg)", a música se trata de um protesto contra a visita do presidente Ronald Reagan ao cemitério de guerra Bitburg, que continha corpos de altos cargos da SS Nazista, a canção teve seu nome original impedido de aparecer no encarte do álbum pelo próprio Johnny Ramone, pois o mesmo era um ferrenho defensor de Reagan. O álbum também contem a clássica "Somebody Put Something In My Drink", escrita por Richie e baseada em um fato real, quando álguem "deixou cair" um ácido na Gim tônica do baterista.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1985 havia constantes conflitos entre os membros da banda, tanto que o vocalista Joey Ramone preferiu isolar-se do processo de composição do álbum, embora tivesse sido peça fundamental nos álbuns anteriores. Joey declarou:[1]

Em entrevistas posteriores, entretanto, Joey afirmou que não foram os conflitos que o fizeram parar de compor, mas o desperdício de ideias. O baixista Dee Dee Ramone disse que o guitarrista Johnny Ramone foi a razão de todo o stress, por rejeitar as canções de Joey pelos mais variados motivos. Dee Dee relatou:[1]

Consequentemente, o recente baterista Richie Ramone passou a ter maior papel no processo de composição, resultando no hit "Somebody Put Something in My Drink", que foi lançado como single e também entrou na compilação Ramones Mania, de 1988. "Joey sempre me encorajava a compor", disse Richie, "mas eu nem precisava". Foi a primeira vez que a banda usou uma composição de um baterista desde o membro original Tommy Ramone, com Joey afirmando que queria Richie sentindo-se um membro da banda, por achar que os anteriores nunca haviam se sentido como tal, e referindo-se a Richie como "meio Phil Collins".[1]

Johnny afirmou tempos depois que o álbum merecia uma produção melhor, comentando que algumas guitarras não soam como se ele estivesse tocando, pois o produtor de Animal Boy, Jean Beauvoir, havia sido escolhido pela gravadora, e não por eles.[1]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 3 de 5 estrelas. [2]
Symbol unlikely.svg Esta tabela precisa de ser acompanhada por texto em prosa. Consulte o guia.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Somebody Put Something In My Drink" (Richie Ramone) – 3:23
  2. "Animal Boy" (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone) – 1:50
  3. "Love Kills" (Dee Dee Ramone) – 2:19
  4. "Apeman Hop" (Dee Dee Ramone) – 2:02
  5. "She Belongs To Me" (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 3:54
  6. "Crummy Stuff" (Dee Dee Ramone) – 2:06
  7. "My Brain Is Hanging Upside Down (Bonzo Goes To Bitburg)" (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir, Joey Ramone) – 3:55
  8. "Mental Hell" (Joey Ramone) – 2:38
  9. "Eat That Rat" (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone) – 1:37
  10. "Freak Of Nature" (Dee Dee Ramone, Johnny Ramone) – 1:32
  11. "Hair Of The Dog" (Joey Ramone) – 2:19
  12. "Something To Believe In" (Dee Dee Ramone, Jean Beauvoir) – 4:09

Ramones[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Leight, Mickey (2009). I Slept With Joey Ramone: A Family Memoir. [S.l.]: Touchstone Books. ISBN 9780743252164 
  2. Avaliação no allmusic
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Ramones é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.