António Carlos da Costa Guerra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

António Carlos da Costa Guerra (Leiria, Leiria, 28 de Julho de 1840/9 - Leiria, Leiria, 14 de Janeiro de 1909), 1.º Visconde da Barreira, foi um magistrado judicial, lavrador e político português.

Família[editar | editar código-fonte]

Filho de António Maria da Costa Guerra e de sua mulher e prima Guilhermina José da Costa Guerra Gaio.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bacharel em Leis, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, e diplomado no Curso Administrativo, foi conservador do Registo Predial da Comarca de Leiria, ingressando em seguida na magistratura judicial; foi Juiz de Direito e, em seguida, Juiz Auditor Administrativo do Distrito de Leiria.[2][3]

Costa Guerra exerceu vários cargos de natureza administrativa e política: foi vereador e presidente da Câmara Municipal, bem como administrador do Concelho de Leiria; e presidente da primeira Junta Geral do Distrito de Leiria.

Foi ademais lavrador e grande proprietário no concelho de Leiria.

O título de 1.º Visconde da Barreira foi-lhe concedido, em duas vidas, por Decreto de D. Carlos I de Portugal de 9 de Janeiro de 1902. Usou as Armas concedidas por D. José I de Portugal por Carta de Brasão de 15 de Setembro de 1755 a seu trisavô José Pereira da Costa Guerra: terciado em pala, da Costa, da Guerra Ave-Maria e Pereira; timbre: da Costa; Coroa de Visconde.[3][4]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou em Leiria, Leiria, em 1866 com Carolina Amélia da Silva Marques (Leiria, Leiria - Leiria, Leiria, 11 de Abril de 1932), filha de António Correia da Silva Marques e de sua mulher Brígida Ernestina Giffenig Ribeiro da Silva, com geração. Por esta ligação matrimonial ficou a família Pereira da Costa Guerra tenco como ascendente a Família Ribeiro da Silva, à qual pertenceu o 1.º Visconde e 1.º Conde de Ribeiro da Silva, de que foi membro ilustre D. Frei Patrício da Silva, 7.º Cardeal-Patriarca de Lisboa.[2][3]

Referências

  1. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, pp. 401 e 402
  2. a b "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 402
  3. a b c "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo I, p. 640
  4. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, pp. 402 e 403