António Mourão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:

António Mourão, nome artístico de António Manuel Dias Pequerrucho, (Montijo, 5 de junho de 1935Lisboa, 19 de outubro de 2013) foi um fadista português.

Intérprete do conhecido tema "Ó Tempo Volta para Trás" afastou-se do mundo artístico nos anos 90.

Biografia[editar | editar código-fonte]

António Mourão nasceu no Montijo em 5 de junho de 1935.

Foi ao cumprir o serviço militar obrigatório que a sua voz começou a dar nas vistas. Passou a cantar, como amador, nas casas de fado de Lisboa.

Em 1964, foi contratado para a "Parreirinha de Alfama", casa típica de Argentina Santos onde fez a sua estreia profissional.

A verdadeira notabilidade seria ganha em 1965 através de uma peça de teatro. Na revista "E Viva o Velho", no Teatro Maria Vitória, interpretou "Ó Tempo Volta para Trás", da dupla Damas-Paião, que se tornaria um dos maiores êxitos da história da música portuguesa.

Gravou para editoras como a RCA e a Valentim de Carvalho.

António Mourão tornou-se num cantor muito popular, pelo que, de forma natural, percorreu o país e chegou a cantar em vários palcos no estrangeiro, em países como Estados Unidos da América, Canadá, Austrália, Venezuela, África do Sul, França e Alemanha.

Também gravou outros temas marcantes, de fado e de folclore, como "Os Teus Olhos Negros, Negros", "Chiquita Morena", "Oh Vida Dá-me Outra Vida", "Fado do Cacilheiro" ou "Varina da Madragoa".

Foi o primeiro nome a gravar Carlos Paião num single de 1979.

Apesar de ter sido muito premiado e acarinhado pelo público, António Mourão acabou praticamente por se retirar do mundo artístico nos anos 1990.

O fadista António Mourão com 78 anos, faleceu a 18 Outubro de 2013, na Casa do Artista, em Lisboa.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Estes e outros sucessos foram registados em mais de uma vintena de álbuns.

  • O Fadista da Nova Vaga (1967)
  • É Sempre Sucesso (1968)
  • Folclore das Províncias (1970)
  • Meu Amor, Meu Amor (1971)
  • Ouvi-Te Cantar (1971)
  • Se Quiseres Ouvir Cantar (1973)
  • Pregão da Liberdade (1975)
  • Cantigas Que a Gente Canta (1977)
  • Canta o Amor (1978)
  • O Nosso Folclore (1978)
  • Canto e Recanto (1980)
  • Oh Razão da Minha Vida (1983)
  • Álbum de Recordações (1984)
  • Sucessos Populares (1987)
  • 25 Anos de Cantigas (1989)
  • Temas de Ouro da Música Portuguesa (1992)
  • A Voz Que Volta (1992)
  • Pensando em Ti (1993)
  • Música de Portugal (1995)
  • Clássicos da Renascença (2000)
  • Magia do Fado (2000)
  • O Melhor de António Mourão (2008)
  • Essencial (2014)

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Catálogo - Detalhes do registo de "Não há fado sem verdade"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 2016-02-22. 
  2. «Catálogo - Detalhes do registo de "António Mourão; O melhor dos melhores; 29"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 2016-02-22. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.