Teatro Maria Vitória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde setembro de 2015).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Teatro Maria Vitória
Localização Parque Mayer, Lisboa
Tipo Teatro
Inauguração 1 de Julho de 1922
Website http://www.teatromariavitoria.com/

O Teatro Maria Vitória é um teatro português localizado no Parque Mayer, em Lisboa.

Muito popular, especialmente dedicado ao Teatro de Revista. Inaugurado em 1 de Julho de 1922, com a Revista Lua Nova, num recinto de feira localizado no centro de Lisboa, o Parque Mayer, foi o Teatro Maria Vitória o primeiro dos 4 Teatros ali criados, como foram os casos dos Teatros "Variedades", "Capitólio" e "ABC" e mais um ao ar livre, o "Pavilhão Português".

Actualmente, só o Teatro Maria Vitória se encontra em pleno funcionamento, mercê da dedicação e perseverança do seu actual empresário, Hélder Freire Costa (que comemora em 2014, 50 anos de Teatro), que o mantém aberto e sempre com espectáculos de revista de reconhecida qualidade, com artistas de grande mérito e excelentes autores, encenadores, compositores, coreógrafos, figurinistas e cenógrafos, além de muitos outros colaboradores.

De referir que este Teatro sofreu um violento incêndio, em 10 de Maio de 1986, que destruiu todo o seu edifício e recheio, incluindo todo o material da nova revista que estava em últimos ensaios e a poucos dias da estreia. Por este motivo, a Empresa e toda a Companhia passaram para o Teatro Municipal Maria Matos, com o apoio e solidariedade do então Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Engº. Krus Abecassis, onde vieram a estrear uma nova revista no mês de Julho.

Mesmo perante o cenário degradado em que se encontra este recinto, que já foi chamado a Broadway de Lisboa e após os diferentes êxitos que constantemente vai apresentando, continua a trazer milhares de pessoas, vindas de todo o País para assistir às suas revistas, de que se destacam as mais recentes produções de Hélder Freire Costa, como Agarra que é honesto! 2009, Vai de em@il a pior!... 2010, Ora Vira € Troika o Passos! 2011 e Humor Com Humor Se Paga! 2012, que marcou a estreia nesta forma teatral de um jovem elenco, na maioria vinda das produções das TVs, numa verdadeira aposta no futuro. Em 2013 estreou a revista Lisboa Amor Perfeito, com um elenco que marcou o regresso do actor Carlos Cunha ao Parque Mayer, a estreia como actriz da fadista Filipa Cardoso, depois substituída pela actriz consagrada, Vera Mónica, que regressou ao País, após largo tempo a residir no estrangeiro. Em 2014, uma nova Revista subiu aos palcos do Teatro Maria Vitória, tendo o nome Tudo Isto é FaRdo!, marcada pela comemoração dos 50 anos de Teatro do empresário Hélder Freire Costa.

Em 2012 o Teatro Maria Vitória festejou os seus 90 anos de existência, como também, o recinto onde se insere, o popular Parque Mayer. Pela sua longa existência e por tradicionalmente apresentar esta forma teatral, sempre com qualidade acima da média, é reconhecido como a catedral da revista.

Os maiores nomes da cena teatral, artistas plásticos, autores, compositores, encenadores e técnicos são os que desde sempre fazem parte da escolha, para os seus espetáculos, sempre apreciados pelo grande Público.

Maria Vitória[editar | editar código-fonte]

O seu nome é uma homenagem à atriz e fadista Maria Vitória (1891-1915).[1]

Peças[editar | editar código-fonte]

Ano Peça Autoria Elenco
2015 Revista quer... é Parque Mayer Mário Rainho e Flávio Gil Mariema, Paulo Vasco
2015 Lisboa, Amor Perfeito Mário Rainho e Flávio Gil Carlos Cunha, Filipa Cardoso, Paulo Vasco, Élia Gonzalez, Flávio Gil, Ana Sofia Gonçalves, Nuno Pires, Erika Mota, Diogo Costa e Companhia de Dança TMV

Referências

  1. Feminae, Dicionário Contemporâneo. Lisboa: CIG. 2013. ISBN 978-972-597-373-8  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]