José de Castro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja José de Castro (desambiguação).
José de Castro
Nome completo José Augusto Soares Ribeiro de Castro
Nascimento 7 de abril de 1848
Valhelhas, Guarda, Portugal Portugal
Morte 31 de julho de 1929 (81 anos)
Lisboa, Portugal Portugal

José Augusto Soares Ribeiro de Castro (Guarda, Valhelhas, 7 de abril de 1848Lisboa, 31 de julho de 1929), mais conhecido por José de Castro, foi um advogado, jornalista e político português que, entre outras funções, ocupou o cargo de presidente do Ministério de um dos governos da Primeira República Portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, tendo trabalhado como advogado na Guarda e em Lisboa.

Membro da Maçonaria desde 1868 e 3.º Grão-Mestre Adjunto do Grande Oriente Lusitano entre 1909 e 1915.,[1] a sua carreira política foi iniciada como membro do Partido Progressista, apoiando a monarquia constitucional, mas evolui no sentido do republicanismo, tendo aderido ao Partido Republicano Português em 1881.

Como jornalista, foi o redactor principal do periódico O Districto da Guarda, exercendo essas funções desde a sua fundação em 1878. Fundou o primeiro jornal republicano fora dos grandes centros urbanos, começando a publicar em 1882 o O Povo Português.

Mantendo-se no Partido Republicano Português durante os tempos conturbados da Primeira República Portuguesa, foi escolhido para presidir ao Ministério depois da tentativa falhada de governo em ditadura liderada pelo general Joaquim Pimenta de Castro. Foi presidente do Ministério entre 17 de Maio e 29 de Dezembro de 1915 (interinamente entre 17 e 29 de maio, em substituição do presidente-indigitado João Chagas, que sofrera um atentado e que não chegaria a tomar posse).

Era pai do também presidente do Ministério, Álvaro de Castro.

Nunca aceitou condecorações por ser Maçon.

Sua terra natal, a antiga vila de Valhelhas, recorda-o na toponímia da sua praça principal.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Manuel Goulart de Medeiros
(de facto)
Junta Constitucional composta por:
José Norton de Matos
António Maria da Silva
José de Freitas Ribeiro
Alfredo de Sá Cardoso
Álvaro de Castro

(interina)
Ministro da Instrução Pública de Portugal
(não empossado)
1915
(X Governo Republicano)
Sucedido por
Sebastião Magalhães Lima
Precedido por
Joaquim Pimenta de Castro
(de facto)
Junta Constitucional composta por:
José Norton de Matos
António Maria da Silva
José de Freitas Ribeiro
Alfredo de Sá Cardoso
Álvaro de Castro

(interina)
João Chagas
(não empossado)
Presidente do Ministério de Portugal
1915
(X, sempre interino, e XI Governo Republicano)
Sucedido por
Afonso Costa
Precedido por
Pedro Gomes Teixeira
(de facto)
Junta Constitucional composta por:
José Norton de Matos
António Maria da Silva
José de Freitas Ribeiro
Alfredo de Sá Cardoso
Álvaro de Castro

(interina)
João Chagas
(não empossado)
Ministro do Interior de Portugal
1915
(X Governo Republicano)
Sucedido por
José Augusto Ferreira da Silva
Precedido por
Joaquim Pimenta de Castro
(de facto)
Junta Constitucional composta por:
José Norton de Matos
António Maria da Silva
José de Freitas Ribeiro
Alfredo de Sá Cardoso
Álvaro de Castro

(interina)
Basílio Teles
(não empossado)
Ministro da Guerra de Portugal
1915
(X, sempre interino, e XI Governo Republicano)
Sucedido por
José Norton de Matos
Precedido por
Francisco Fernandes Costa
Ministro da Marinha de Portugal
(interino)
1915
(X Governo Republicano)
Sucedido por
Francisco Fernandes Costa
Precedido por
Sebastião Magalhães Lima
Ministro da Instrução Pública de Portugal
(interino)
1915
(X Governo Republicano)
Sucedido por
João Martins Júnior
Precedido por
Francisco Fernandes Costa
Ministro da Marinha de Portugal
1915
(XI Governo Republicano, inicialmente interino)
Sucedido por
Vítor Hugo de Azevedo Coutinho