Augusto de Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o senador brasileiro da República Velha, veja Augusto de Vasconcelos (senador).
Augusto de Vasconcelos
Augusto de Vasconcelos em 1911
Presidente do Ministério de  Portugal
Período 13 de novembro de 1911
até 16 de junho de 1912
Antecessor(a) João Chagas
Sucessor(a) Duarte Leite
Presidente do Ministério de  Portugal
(interino)
Período 23 de setembro de 1912
até 30 de setembro de 1912[1]
Antecessor(a) Duarte Leite
Sucessor(a) Duarte Leite
Dados pessoais
Nome completo Augusto César de Almeida de Vasconcelos Correia
Nascimento 25 de setembro de 1867
Lisboa, Reino de Portugal Reino de Portugal
Morte 27 de setembro de 1951 (84 anos)
Lisboa,  Portugal
Progenitores Mãe: Constança Libânia Auta de Almeida
Pai: Júlio César de Vasconcelos Correia
Esposa Hermínia Laura de Albuquerque Moreira
Partido Partido Republicano Português (-1911)
Profissão Médico, professor de Medicina, diplomata e político

Augusto César de Almeida de Vasconcelos Correia GCSE (Lisboa, 25 de setembro de 1867 — Lisboa, 27 de setembro de 1951), mais conhecido por Augusto de Vasconcelos, foi um médico e professor de Medicina, político e diplomata português do período da Primeira República.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho mais velho de Júlio César de Vasconcelos Correia (Lisboa, Santos-o-Velho ou Santa Catarina, 21 de Dezembro de 1837 - Lisboa, Santos-o-Velho, 31 de Dezembro de 1910), Engenheiro e Constructor Naval, casado em Lisboa, Encarnação, com Constança Libânia Auta de Almeida (Lisboa, Santos-o-Velho, c. 1840 - Lisboa, Santos-o-Velho, 13 de Março de 1926), filha de Francisco Pereira e de sua mulher Maria da Rocha de Proença. O seu pai era o filho natural mais velho de António César de Vasconcelos Correia (Torres Novas, 9 de Fevereiro/Novembro de 1797 – Lisboa, 11 de Novembro de 1865), 1.º Visconde de Torres Novas e 1.º Conde de Torres Novas, e de Ana Maria Correia.

Republicano moderado desde a sua juventude, era considerado amigo pessoal de Afonso Costa e politicamente próximo de Brito Camacho. Era professor catedrático de Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, pela qual se tinha licenciado em 1891 e irmão do engenheiro e empresário António de Almeida de Vasconcelos Correia.

Estreou-se na governação como Ministro dos Negócios Estrangeiros do governo presidido por João Chagas, no período de 12 de outubro a 12 de novembro de 1911, tendo nesta última data assumido a presidência do Ministério, mantendo em acumulação a pasta dos Negócios Estrangeiros. Manteve-se como chefe de governo até 16 de junho de 1912.

Em 16 de junho de 1912 abandonou a presidência do Ministério, que passou a ser ocupada por Duarte Leite, permanecendo, contudo, no cargo de Ministro dos Negócios Estrangeiros até 9 de janeiro de 1913.

Enveredou então pela diplomacia, ocupando o posto de embaixador de Portugal em Madrid nos anos de 1914 a 1917, passando depois para a embaixada em Londres, que ocupou de 1918 e 1919, período que compreendeu a participação portuguesa na Primeira Guerra Mundial, altura em que a embaixada em Londres tinha um papel crucial na condução política do conflito.

Terminada a Guerra, chefiou em 1919 a delegação portuguesa à Conferência de Paz de Paris, passando depois trabalhar na Sociedade das Nações, organismo no qual foi delegado português em 1934–1935, presidindo nessa altura à respectiva Assembleia Geral. Nessas funções ganhou algum destaque com os esforços diplomáticos que desenvolveu para pôr termo à Guerra do Chaco que em 1935 opôs a Bolívia ao Paraguai.

A 4 de Agosto de 1928 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[2] Foi agraciado no estrangeiro com a Grã-Cruz da Ordem de Isabel a Católica de Espanha, a Grã-Cruz da Ordem da Coroa da Bélgica, a Grã-Cruz da Ordem do Mérito do Chile e a Grã-Cruz da Ordem do Mérito do Peru, Grande-Oficial da Ordem Nacional da Legião de Honra de França, etc.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou em Lisboa, Santa Catarina, com Hermínia Laura de Albuquerque Henriques Moreira (Castelo Branco, , 2 de Setembro de 1869 – Lisboa, Santa Catarina, 28 de Setembro de 1947), viúva de Augusto Pereira Leite e filha de José Joaquim Henriques Moreira (Lisboa, Alcântara, 29 de Abril de 1820 – 6 de Janeiro de 1895), General de Divisão, Comandante da Guarda Municipal, Comendador da Ordem Militar de Avis e Cavaleiro da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, etc., e de sua mulher (7 de Novembro de 1868) Maria Hermínia de Albuquerque de Mesquita e Paiva (15 de Outubro de 1844 – 7 de Junho de 1910), filha do 2.º Visconde de Oleiros (antes Barão de Oleiros), da qual teve dois filhos e duas filhas:

  • Júlio Moreira de Vasconcelos (15 de Julho de 1906 - ?), Médico, solteiro e sem geração
  • Maria Teresa Moreira de Vasconcelos, solteiro e sem geração
  • José Moreira de Vasconcelos (28 de Maio de 1910 - ?), Engenheiro, casado com Maria Gabriela de Sampaio e Melo, da qual teve dois filhos e quatro filhas:
    • Maria de Sampaio e Melo de Vasconcelos, solteira e sem geração
    • José Maria de Sampaio e Melo de Vasconcelos, solteira e sem geração
    • Maria Isabel de Sampaio e Melo de Vasconcelos, solteira e sem geração
    • Augusto António de Sampaio e Melo de Vasconcelos, casado com Maria Helena do Patrocínio Nogueira, sem geração
    • Maria José de Sampaio e Melo de Vasconcelos, casada com José Afonso de Almada Negreiros (1934), filho de José Sobral de Almada Negreiros and e de sua mulher Sarah Afonso
    • Maria Micaela de Sampaio e Melo de Vasconcelos, casada com Raul Miguel de Oliveira Rosado Fernandes, com 1 filha
    • Maria Teresa de Sampaio e Melo de Vasconcelos, casada com José Maria da Fonseca Caldeira Cabral (Lisboa, 1942), com 4 filhas
  • Maria Isabel Moreira de Vasconcelos (3 de Novembro de 1911 - ?), casada com Pedro de Sárrea Mascarenhas Gaivão (20 de Outubro de 1907 - ?), sem geração

Notas

  1. Existe uma discrepância no Diário do Governo, em que Augusto de Vasconcelos assina um diploma a 1 de outubro de 1912 enquanto presidente interino do Ministério, quando no dia anterior já Duarte Leite havia assinado o primeiro diploma depois de ser substituído.
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Augusto César de Almeida Vasconcelos Correia". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 18 de agosto de 2015 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Bernardino Machado
(de facto)
João Chagas
(interino)
Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal
19111912
(II, III e IV Governo Republicano)
Sucedido por
António Vicente Ferreira
(interino)
Precedido por
João Chagas
Presidente do Ministério de Portugal
19111912
(III Governo Republicano)
Sucedido por
Duarte Leite
Precedido por
Duarte Leite
Presidente do Ministério de Portugal
(interino)
1912
(IV Governo Republicano)
Sucedido por
Duarte Leite
Precedido por
Duarte Leite
Ministro do Interior de Portugal
(interino)
1912
(IV Governo Republicano)
Sucedido por
Duarte Leite
Precedido por
António Vicente Ferreira
(interino)
Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal
(cont.)
19121913
(IV Governo Republicano)
Sucedido por
António Macieira