Florbela Queiroz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Florbela Queiroz
Nome completo Florbela de Carvalho Azevedo Queiroz
Outros nomes Florbela Queiroz
Nascimento 10 de fevereiro de 1943 (73 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Actriz

Florbela de Carvalho Azevedo Queiroz (Pena, 10 de fevereiro de 1943) é uma actriz portuguesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Aos 13 anos frequentou o curso de dança clássica e teatro no Conservatório Nacional, ao lado de nomes como Nicolau Breyner, Octávio Matos, Irene Cruz e João Lourenço.

Estreia-se no teatro, em 1957, na peça “As Bruxas de Salém”, no Teatro Nacional depois de convite de Amélia Rey Colaço. Passa depois para o Avenida e Teatro Maria Vitória. Faz parte da Companhia do Teatro da Trindade, dirigida por Ribeirinho, e da Companhia do Teatro Alegre dirigida por Henrique Santana. Tornou-se conhecida com a peça “O Pecado Mora ao Lado”.[1] .

Nos anos 1950, estreia-se no cinema, destacando-se nos filmes O Noivo das Caldas (1956), Let's Discover Portugal (1959), Pão, Amor e Totobola (1964), A Canção da Saudade (1964), com Américo Coimbra e Vitor Gomes dos Gatos Negros, Fado Corrido (1964), Sete Balas Para Selma (1967) e Um Campista em Apuros (1967), entre outros. No teatro participa em “Bate o Pé”, “Sol e Dó” (1962) e “Vamos Contar Mentiras” (1963).[1]

Participa em programas como "Riso e Ritmo" (1964) e "Minuto Zero" (1965). Entre 1966 e 1967 gravou os seus três primeiros discos para a editora Tecla.

Participa depois em "O Fidalgo Aprendiz" (1970) e "Domingo à Noite" (1972). Entra nas revistas “Pr'a Frente Lisboa” (1972), "Até Parece Mentira" (1974) e "Em Águas de Bacalhau" (1977).

Em 1978 grava um single com os temas "Dai Li Dou (Aguenta Papagaio)" e "Anita Já É Bonita". Participa na revista "Reviravolta" (1980).

Em 1982 grava um single com dois temas de Carlos Paião: "A Corneta Do Tó" e "Vamos á Bola". Na televisão participa em Pedro e Paulina (1982) e nas telenovelas Origens (1983) e Passerelle (1988).

Faz parte do elenco da Comédia Musical "Sapateado" com Magda Cardoso, Manuela Carlos, Fernanda Oliveira, Rosa do Canto, Manuela Maria, Carmen Mendes (que viria a ser substituída por Maria Tavares), Octávio Matos, Luisa Barbosa e Mara Abrantes. Entra na série Pisca-Pisca (1989) da RTP.

Participa depois em Cos(z)ido à Portuguesa (1993), Desencontros (1994-1995), Na Paz dos Anjos (1994), A Mulher do Senhor Ministro (1995), Reformado e Mal Pago (1996-1997), Médico de Família (1997-1999), Uma Avó dos Diabos, Polícias (1996), Nós os Ricos (1998), Um Sarilho Chamado Marina (1999) e Todo o Tempo do Mundo (1999-2000). Entra em A Loja do Camilo (2000), Ganância (2001), Não Há Pai (2002) e Lusitana Paixão (2003).[1]

Após mais de cinco anos afastada da televisão, em 2010, regressa ao activo, com a revista Vai de Em@il a Pior, escrita e dirigida por Francisco Nicholson.

Em 2011 recebe a medalha de Mérito Cultural Grau Ouro da Camara Municipal de Lisboa. Tem uma participação em Velhos Amigos (2011).

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.
  • 1962 - O Elixir do Diabo (produção luso-americana)
  • 1964 - Pão, Amor e... Totobola
  • 1964 - A Canção da Saudade
  • 1964 - Fado Corrido
  • 1967 - Sete Balas para Selma
  • 1968 - Um Campista em Apuros
  •  ? - Let's Discover Portugal
  •  ? - Kanimambo

...

Teatro[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.
Ano Peça Teatro Notas
1958 As Bruxas de Salém Teatro Nacional D. Maria II Estreou-se, a convite de Amélia Rey Colaço
1960 A Vida é Bela Teatro Capitólio com: Milú, Raul Solnado, Carlos Coelho...
1961 Campinos, Mulheres e Fado com: Raul Solnado, Carlos Coelho, Alda Pinto...
Bate o Pé Teatro Maria Vitória com: Raul Solnado, Carlos Coelho...
1962 Sol e Dó com: Raul Solnado, Eva Todor, Nicolau Breyner...
Lisboa à Noite Teatro Avenida com: Raul Solnado, Humberto Madeira...
1963 Vamos Contar Mentiras Teatro Monumental com: Raul Solnado, Armando Cortez...
1964 Na Brasa Teatro Capitólio Primeira Figura
1965 Um Domingo em Nova Iorque com: Henrique Santana, Nicolau Breyner...
O Pecado Mora ao Lado Teatro Avenida com: José Viana, Linda Silva...
1966 Zero, Zero, Zé Teatro Variedades com: José Viana, Maria Dulce...
1968 Lisboa é Sempre Mulher Teatro Monumental com: Camilo de Oliveira...
1970 Quando Ela se Despiu Teatro Variedades com: Camilo de Oliveira
E o Zé Faz Tudo! com: Eugénio Salvador, Mariema...
1971 O Aniversário da Tartaruga Teatro Villaret com: Ruy de Carvalho
1972 Pr'á Frente Lisboa Teatro Monumental com: Raul Solnado, Irene Isidro, Linda Silva...
1974 Até Parece Mentira Teatro Maria Vitória Teatro de Revista
1975 Força, Força Camarada Zé! com: Eugénio Salvador, Henrique Santana...
1977/1978 Em Águas de Bacalhau Teatro ABC com: Nicolau Breyner, Octávio Matos, Isabel Mota...
1978 Põe-te na Bicha com: Octávio Matos, Herman José, Vera Mónica...
Direita Volver com: Octávio Matos, Vera Mónica, Anabela...
1980 Reviravolta com: Eugénio Salvador, Fernando Mendes...
1981 Escabeche com: Eugénio Salvador, Fernando Mendes...
1982/1983 É Sempre a Aviar com: Eugénio Salvador, Fernando Mendes...
1983 Quem me Acaba o Resto?! Teatro Maria Vitória com: Henrique Santana, Natalina José...
1984 O Bem trAMADO com: Eugénio Salvador, Natalina José...
1988 Criada Para Todo o Serviço Teatro Villaret Peça de teatro emitida em televisão
1989 A Prova dos Números Novos Teatro Variedades Primeira Figura
1989/1990 Os Meninos à Roda da Mamã com: Francisco Nicholson, Manuela Maria...
1990/1991 A Grande Festa Teatro Variedades/Teatro Maria Vitória com: Francisco Nicholson, Henrique Santos...
2010/2011 Vai de Em@il a Pior Teatro Maria Vitória Peça de teatro emitida em televisão
2011/2012 Ora Vira e Troika o Passos Teatro de Revista
2012/2013 Crise, Sexo e Facebook Digressão Nacional Interpretou várias personagens
2014 A Língua da Sogra Comédia, Interpretou sogra
A Língua da Sogra Teatro de Revista
2015 74 Eunices Teatro Nacional D. Maria II Espetáculo de homenagem à atriz Eunice Muñoz

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Queiroz é filha de João Ariosto de Azevedo Queiroz e Maria de Jesus Carvalho Queiroz. Em 2013 saiu da sua residência, em Carcavelos, por não aguentar mais ser vítima de violência e de ofensas do filho e da nora. Levou o caso a tribunal para recuperar a sua casa. Em 2015 ganhou o processo judicial, regressando a casa, entretanto vandalizada.[2] O programa Querido, Mudei a Casa!, da TVI, fez as feito obras de recuperação na casa da actriz.[3]

Referências