Desencontros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Desencontros
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 minutos
Criador(es) Luís Filipe Costa e Francisco Moita Flores
País de origem Portugal Portugal
Idioma original Português
Produção
Elenco António Rama, Carlos Daniel, Canto e Castro, Manuel Cavaco, Vítor Norte, Ana Zanatti, Luís Esparteiro, Ricardo Carriço, António Montez, Morais e Castro, Sofia Sá da Bandeira, entre outros
Exibição
Emissora de televisão original RTP1
Transmissão original 1 de fevereiro de 19951 de setembro de 1995
N.º de episódios 145
Cronologia
74.5 - Uma Onda no Ar
A Idade da Loba

Desencontros é uma telenovela portuguesa que a RTP1 estreou a 1 de Fevereiro de 1995 e terminou a 1 de Setembro do mesmo ano. A novela foi gravada entre Agosto de 1994 e Janeiro de 1995. O seu autor foi Francisco Moita Flores. Esta novela foi exibida em horário nobre, às 20 e 45, substituindo a novela brasileira 74.5 - Uma Onda no Ar na RTP1[1][2][3][4][5][6].

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Esta telenovela é centrada na história de uma brigada de polícia, composta pelos agentes Emídio Carvalho (Ricardo Carriço), André Resende (Vítor Norte), Alfredo Silva (António Montez), Bernardo Pimenta (Luís Esparteiro) e pelos inspectores Rincão (Manuel Cavaco) e José Martins (José Eduardo). Emídio é um polícia bem novo, o mais novo da brigada, e descobre o sentimento do amor. Emídio conhece no cinema Ana Serpa (Sofia Alves), filha de Madalena (Ana Zanatti) e de Miguel (Carlos Daniel), e irmã de Zé Augusto, e apaixona-se por ela. Mas o amor de Ana por Emídio não é bem visto pelos pais, devido à sua condição social, pois Emídio é polícia e Ana é filha de uma das famílias mais importantes do país. Mas tudo se complica quando se intromete na vida deles a amiga íntima de Ana, a Patrícia (Andrea Oliveira), e esta vai fazer de tudo para que este amor não se torne realidade, juntamente com Madalena, com o objectivo de roubar o namorado à amiga, mas sem êxito. Mas desde há muito tempo que as relações de Ana e Zé Augusto com os pais não estão nada boas. Com o caso do Emídio, haverá uma grande mudança na vida da família. André Resende é o polícia experiente que anda sempre em actividade. André é casado com Clara (Filomena Gonçalves), que trabalha como secretária do banco onde o sr. Manuel João Rodrigues Brás (José Gomes) é gerente. Clara tem como colegas de trabalho Margarida Oliveira (Sofia Sá da Bandeira), e o snob Mário Pereira (Paulo Matos). Margarida é casada com Carlos (António Cordeiro), mas o casamento é um perfeito falhanço, pois Margarida não é feliz. No comboio onde ela viaja para se deslocar da casa para o banco e do banco para casa, conhece Sérgio Vieira (Almeno Gonçalves), devido a um objecto que ele perdeu no comboio e ela achou.
Margarida devolveu o objecto a esse senhor, e futuramente se apaixonará por ele, mas o que ela não sabe é que Sérgio também é casado e tem filhos. Ambos decidem viver esse amor, mas sabem que disso poderão advir graves consequências, que já não podem ser evitadas. O Pereira é um pau-mandado do patrão e gosta de se fazer todo galã e todo bonito, sendo alvo de chacota pelas colegas algumas vezes. Clara e André tem dois filhos, a Rita e o Luís (Álvaro Tavares). Ambos se preocupam com eles, mas o problema maior é que Clara vive sempre chateada com André por ele não ter tempo para ela e para os filhos, devido à sua vida atribulada de polícia, pois é Clara quem cuida de tudo em casa quando ele não está. A cada dia que passa, André e Clara tem a sua relação sempre atribulada, mas sempre estável. Bernardo é o polícia conhecido como o das anedotas foleiras e o brutamontes animado. Bernardo tem o costume de contar anedotas que geralmente nunca tem piada para os polícias e às vezes chega a ser muito bruto com alguns gajos que acaba de prender. Tem o hábito de procurar mulheres para o "engate", para passar uma noite com elas, mas às vezes tem sucesso e às vezes sai-se fracassado. Alfredo é o polícia mais velho e está na polícia desde muito novo. É um homem bem-disposto, mas teve uma vida muito atribulada e conflituosa. A sua mulher morreu muito cedo e uma vez, numa operação policial, sem querer matou um homem. Alfredo não conseguiu ultrapassar o problema e desde esse dia desatou a beber. Alfredo tem um filho adoptivo, o Alberto (Miguel Mendes), que vive na casa dele há muitos anos. O que Alfredo não sabe - é o que ele aparenta - é que Alberto é toxico-dependente, e ingere drogas através de injecções. Como dizem muitos, "atira para a veia". Quando Alfredo descobre, a vida dele passa a ter outro rumo, e decide ajudá-lo em tudo. Mas todo o esforço será em vão, pois Alberto vai fazer análises e descobre que tem SIDA. Tanto ele como os seus colegas são frequentadores assíduos da tasca do Chico Zé, alcunha do taberneiro Francisco José (Morais e Castro), homem trabalhador, que veio do Brasil para Portugal para fazer negócio e ambiciona voltar para o Brasil, e benfiquista ferrenho. Nessa tasca, ambos os polícias estão em constante convívio, e também é frequentador assíduo desta tasca o Cautelas (Canto e Castro), vendedor de cautelas de lotaria, que já foi um bandido e pagou a sua divida à sociedade.
Cautelas é cauteleiro há muitos anos e é dos antigos. Gosta de vender as cautelas e fazer os homens felizes quando estes ganham algum prémio, e de vez em quando canta o fado, cujos fados já são do tempo da Maria Cachucha, mas que todo e qualquer que passe por ele gosta de ouvir. Cautelas de vez em quando pede ajuda a Bernardo para resolver casos pontuais de polícia, para espantar e prender criminosos que fazem a vida negra a uma amiga sua, a Juvelina (Isabel de Castro), antiga prostituta e uma das enamoradas de Cautelas. A brigada de polícia é chefiada pelo Inspector Rincão (Manuel Cavaco) e pelo Inspector José (José Eduardo). O Inspector Rincão um homem que é hipocondríaco e é uma das personagens mais animadas do enredo. Um bom chefe de brigada que tem a mania das doenças, sendo às vezes motivo de gozo para os polícias da brigada, que se aproveitam disso e gozam sempre com o chefe. Às vezes, Rincão desentende-se com Bernardo, pois ambos não gostam um do outro, tendo muitos conflitos pontuais e guerras pessoais de vez em quando. O Inspector José é o chefe de brigada mais estimado pelos polícias, pois trata-se de um chefe exemplar e considerado o melhor. Fora alguns conflitos, ambos gostam de estar na brigada de polícia, mas de vez em quando pensam em deixar a brigada por razões pessoais, pensando nas suas vidas. A acção da brigada de polícia desenrola-se a partir do desaparecimento do engenheiro Rafael Antunes (Vítor de Sousa), empresário que viveu durante anos em Macau, marido de Raquel (Isabel Medina). Mas Cautelas dá uma grande ajuda a Bernardo quando lhe informa que afinal Rafael Antunes foi assassinado, pois o corpo foi encontrado na Praia do Guincho. E André vai fazer variados inquéritos a Raquel, descobrindo o seu irmão, Tiago, companheiro de André na Guerra do Ultramar, gravemente doente.
Também se verificarão os casos de altas dificuldades financeiras do casal Matias, composto por Josefa (Florbela Queiroz) e Roberto (Henrique Viana), e o caso da família Brás, chefiada por Manuel João (José Gomes), casado com Alzira (Margarida Carpinteiro), de quem tem dois filhos: a moderníssima Marta (Sylvie Rocha), e o Nuno (Vítor Emanuel). Nesta família vai surgir um caso complicado: Marta engravida e a mãe Alzira fica furiosa de tal maneira, que quer obrigar a filha a abortar, para que ela continue a estudar. Josefa é irmã de Manuela Branco (Suzana Borges), mulher muito senhora de si, que leva uma vida independente. Manuela tem um caso amoroso comk o célebre empresário Angelino Damião (António Rama), chefe da LIZ CONSTRÓI, empresa de construção, amigo privado de Rafael Antunes. Angelino é um homem ambicioso que se intromete em variados negócios para conseguir muita fortuna, contando com a ajuda de Ezequiel (Carlos Santos), Perdigão (Luís de Mascarenhas) e o irmão de Brás, João Manuel Rodrigues Brás, mais conhecido como Rodrigues (Carlos César). Rodrigues é o vilão principal do enredo, pois ao mesmo tempo que é o patrão da ourivesaria onde Josefa trabalha, é também contrabandista de diamantes e ouro roubado. Angelino é casado com Aurora (Henriqueta Maia), irmã da secretária de Angelino e sua amiga privada, a Isabel (Ângela Pinto), mulher que gosta muito do marido, mas descobre que afinal ele nunca gostou dela, devido ao amor que ele sente por Manuela. Rapidamente, Aurora fica com uma raiva de Angelino e fará de tudo para desgraçar a vida dele e de todos aqueles que se atravessam no caminho dela. Com a investigação do caso Antunes, vai-se descobrindo que afinal por detrás do seu desaparecimento e assassinato há muitos negócios escuros e bem complicados, que podem mudar o rumo de todas as pessoas deste enredo. Casos da vida real e do quotidiano da década de 90 serão retratados neste trama. Em paralelo com as investigações difíceis da brigada policial, outras personagens desta novela descobrirão ao longo do tempo as suas fraquezas, alegrias, ódios e amores. Uma história que será, praticamente, de DESENCONTROS.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Participaçãoes especiais[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Esta telenovela quando estreou na RTP1 sucedeu à telenovela 74.5 - Uma Onda no Ar, e foi a última telenovela de horário nobre da RTP1, pois a partir daí, a RTP começou a exibir telenovelas em horários posteriores ao horário nobre como 22 ou 23 horas da noite, culminando anteriormente em 1994 com o fim temporário das telenovelas das sete e o fim da exibição de novelas da Rede Globo na RTP1 com a novela Fera Ferida.
  • Esta telenovela devia ser substituída pela telenovela Roseira Brava, mas por estratégia programacional, a RTP decidiu exibir no lugar desta telenovela a telenovela da TVPLUS A Idade da Loba, e só depois em Janeiro de 1996 a RTP colocou em exibição a novela Roseira Brava.
  • A novela foi nomeada para os Globos de Ouro 1995 (SIC/Caras) na categoria de "Melhor Programa de Ficção".
  • A novela iniciou a rodagem no final do Verão de 1994, tendo como pano de fundo a cidade de Lisboa, e terminou no início de 1995, tendo estreado em Fevereiro desse ano.
  • Miguel Mendes teve um brilhante desempenho com o excêntrico Claudionor na novela anterior, Na Paz dos Anjos. Ainda durante a rodagem dessa novela, Miguel foi convidado pela NBP para participar em Desencontros, sendo a sua personagem bastante distinta da anterior.
  • De salientar a estreia em televisão de Sylvie Rocha, que já tinha feito cinema e teatro.
  • Segundo informação da E.R.C., o Partido Socialista revoltou-se contra a telenovela e tentou impedir a sua emissão. Ambos os dirigentes do PS consideraram na altura haver graves semelhanças da personagem de Angelino Damião, interpretada pelo actor António Rama, com o carácter do secretário geral do PS António Guterres. Mas as tentativas foram mal sucedidas, pois a Alta Autoridade para a Comunicação Social não deu provimento às queixas.
  • Marques D'Arede tinha sido convidado pela NBP para interpretar Miguel Serpa, mas o actor acabou por não aceitar devido a compromissos teatrais a que já estava vinculado e por não querer a enorme exposição que uma telenovela dava. Carlos Daniel acabou por ser o actor escolhido para dar vida a Miguel Serpa e Marques D'Arede acabou por fazer uma pequena participação num dos primeiros capítulos, interpretando um amigo do casal Serpa (Ana Zanatti e Carlos Daniel) que janta em casa deles. No final da rodagem a NBP voltou a convidar Marques D'Arede, para protagonizar a telenovela seguinte Roseira Brava e desta feita, Marques aceitou.
  • O elenco infantil era composto por Mónica Marta e Álvaro Tavares. A mãe de Álvaro na vida real, a actriz Maria Tavares, também entrava na novela, interpretando a personagem "Joana" (a empregada dos Serpa). Enquanto que Desencontros foi o único projecto como actor de Álvaro, Mónica ainda voltou à NBP dois anos depois, tendo participado no elenco da novela Vidas de Sal.
  • No final da novela, a personagem "Madalena" interpretada por Ana Zanatti sai de casa e vai viver para uma quinta da sua família no Minho. A propriedade que serviu de cenário a essa quinta foi a Quinta de São Sebastião, em Arruda dos Vinhos, pertencente a António Parente (sócio-fundador da NBP).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Telenovelas da RTP1

Na Paz dos Anjos « anterior Desencontros seguinte » Roseira Brava

Telenovelas de horário nobre da RTP1

74.5 - Uma Onda no Ar « anterior Desencontros seguinte » A Idade da Loba
Ícone de esboço Este artigo sobre televisão em Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências