António Tomás de Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

António Tomás de Lima (Lisboa, 18871950) foi um compositor, violinista e maestro, que se distinguiu como professor do Conservatório Nacional de Lisboa nas classes de Violino e Direcção de Orquestra e, mais tarde, de Composição e Música de Câmara. Foi concertista de grande mérito, com uma carreira de solista com grande incidência no Brasil[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tomás de Lima nasceu em Lisboa onde desde muito novo se dedicou ao estudo da música. Revelou-se um aluno brilhante, a ponto de com apenas 14 anos de idade ter dirigido o coro da Sé Patriarcal de Lisboa, de que fazia parte, na execução de obras da sua autoria, iniciando a sua carreira de concertista quando ainda frequentava o Conservatório Nacional de Lisboa.

Em 1914 ingressou na orquestra de David de Sousa, na qual foi concertista até 1916, ano em que começou a dirigir concertos sinfónicos. Em 1919 foi premiado com 1.º Prémio de Composição dos Jogos Florais do Porto.

Convidado por Viana da Mota, em 1919 integrou o corpo docente do Conservatório Nacional, leccionando nas classes de Violino e Direcção de Orquestra. Mais tarde passou a leccionar Composição e Música de Câmara. Como solista teve grande visibilidade no Brasil, onde foi em digressões nos anos de 1921 e 1929, actuando como solista[1].

É pai do pianista e compositor Eurico Tomás de Lima (Eurico Thomaz de Lima) (1908-1989).

A sua obra como compositor inclui composições sinfónicas, peças para violino e orquestra, piano, música de câmara e canto. Utilizou na sua música vocal poemas de Almeida Garrett, António Nobre, Guerra Junqueiro e Afonso Lopes Vieira[1].

Encontra-se colaboração da sua autoria na revista Música [2] existente entre 1924 e 1925.

Homenagens Póstumas[editar | editar código-fonte]

É nome de rua na Centro Histórico de São Paulo, ligando a rua Conde de Sarzedas até a rua Dr. Lund.

Notas

  1. a b c Espólio de Tomás de Lima.
  2. Jorge Mangorrinha (01 de Outubro de 2013). «Ficha histórica: Música: revista de artes (1924-1925)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 15 de Janeiro de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)