Antônio Carlos Viana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Carlos Viana
Nascimento 5 de junho de 1944

[1]
Aracaju, Sergipe

Morte 14 de outubro de 2016 (72 anos)
Aracaju, Sergipe
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Escritor
Prémios Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (2009, 2015)
Magnum opus Cine Privê

Antônio Carlos Viana (Aracaju, 5 de junho de 1944 - Aracaju, 14 de outubro de 2016) foi um escritor brasileiro.

Viana foi mestre em teoria literária pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e doutor em literatura comparada pela Universidade de Nice, França. Foi professor da Universidade Federal de Sergipe.[2] Foi tradutor, contista e lecionou redação em Aracaju.

Morreu em 14 de outubro de 2016, aos 72 anos.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Publicou os livros didáticos:

  • Roteiro de Redação: Lendo e Argumentando (1997) - organizador
  • Guia de Redação: Escreva melhor (2011)

Traduziu mais de duas dezenas de livros, dentre eles:

  • Os conquistadores de Júlio Verne
  • A controvérsia de Jean-Claude Carrière

Publicou as coletâneas de contos:

  • Brincar de manja (1974)
  • Em pleno castigo (1981)
  • O meio do mundo e outros contos (1993)
  • Aberto está o inferno (2004)
  • Cine privê (2009) - Ganhador do Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes)
  • Jeito de matar lagartas (2015) - Vencedor do Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes)

Referências

  1. «Antônio Carlos Viana». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  2. Amael Oliveira (2009). «O monstro materno: representação da família no conto Herança de Antônio Carlos Viana» (PDF). Revista Interdisciplinar. Consultado em 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «Morre aos 72 anos o escritor Antônio Carlos Viana». G1 SE. Globo.com. 15 de outubro de 2016. Consultado em 15 de outubro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.