Anticorpo policlonal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Anticorpos policlonais são anticorpos que são originados de diferentes linfócitos B. Eles são uma mistura de moléculas de imunoglobulinas secretadas contra um antígeno específico, cada uma reconhecendo um epítopo diferente, ou seja, reagem com vários epítopos do mesmo antígeno.

Como exemplo, na produção bovina, tele alto valor de efetivação desses anticorpos no combate à redução do risco de acidose, controlando o pH ruminal, conforme pesquisa de Millen, 2008, na avaliação ruminal. O ganho de peso vivo é um excelente fator econômico à produtores, obtido com alimentos secos e não suplementados, aumentando os fatores lucrativos.

"Todas as evidências reunidas sobre o uso de imunização para controlar populações específicas de bactérias sugerem que essa tecnologia tem grande potencial para produção animal, especialmente quando consideramos futuras linhas na produção animal e a proibição de antibióticos que pode ser aplicada como resultado de uma preocupação pública em relação ao uso excessivo de antibióticos na produção animal. O uso de imunização passiva via oral parece ser uma ferramenta nutricional que, num futuro próximo, poderia ser largamente utilizada."[1]

A imunização é feita a partir de reações específicas, mistura de vários anticorpos policlonais, ou seja, vários clones, aplicado um antígeno em um animal, obtém o plasma policlonal, assim, resultando na eficiência do reconhecimento amplo de antígenos pelo corpo do animal.

A técnica de imunização e sua eficiência por conta da variabilidade de resposta imune, obtendo vários anticorpos contra vários porções de antígenos, produzindo imunoglobulinas específicas. A produção, em comparação aos anticorpos monoclonais, mais rápida e de baixo custo, a fim de reconhecer epítopos amplificado o rasto causado pela proteína alvo.

Referências

  • BATISTA, Keila Zaniboni Siqueira. Notas de Aula. 2020. Projetor Digital.
  • LENZ, Guido. Métodos Imunológicos. 2004. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/biofisica/Bio10003/MIMUNO.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2020.
  • MILLEN, Danilo Domingues. Desempenho, avaliação ruminal e perfil metabólico sanguíneo de bovinos jovens confinados suplementados com monensina sódica ou anticorpos policlonais. 2008. iv, 131 f. Dissertação (mestrado) - Univerdade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2008. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/95283>. Acesso em: 21 abr. 2020.
  • OTERO, Walter Guimarães. Avaliação da diversidade microbiana e degrabilidade in situ em animais tratados com preparado de anticorpos policlonais contra bactérias produtoras de lactato e bactérias proteolíticas. 2008. Dissertação (mestrado) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2008. Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10135/tde-23012009-111436/publico/Walter_Guimaraes_Otero.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2020.