Anton Wilhelm Brøgger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anton Wilhelm Brøgger
Nascimento 11 de outubro de 1884
Estocolmo
Morte 29 de agosto de 1951 (66 anos)
Oslo
Cidadania Noruega
Progenitores Pai:Waldemar Christopher Brøgger
Filho(s) Niels Christian Brøgger, Waldemar Christoffer Brøgger
Alma mater Universidade de Oslo
Ocupação antropólogo, arqueólogo, pré-historiador, professor, político
Prêmios Prêmio Fridtjof Nansen por excelente pesquisa, classe histórico-filosófica
Empregador Universidade de Oslo

Anton Wilhelm Brøgger (nascido em 11 de Outubro de 1884, falecido em 29 de Agosto de 1951) foi um arqueólogo e político norueguês[1][2].

Brøgger doutorou-se em 1909, tendo trabalhado como conservador do Museu de Stavanger no período 1909-1913. Colaborou com a secção de história da Oldsaksamlingen, pertencente à Universidade de Oslo entre 1913 e 1915, universidade onde viria a ser professor desde 1915 até 1950. Trabalhou com Haakon Shetelig por volta de 1915.

Anton Wilhelm Brøgger era filho do geólogo Waldemar Christopher Brøgger. Teve dois filhos com a sua esposa Inger Ursin, o escritor Waldemar Christoffer Brøgger e o tradutor Nils Christian Brøgger. Foi avô do antropólogo, professor e escritor Jan Brøgger.

Anton Brøgger percebeu cedo o que significava o nazismo e previu em 1936 a invasão da Europa pela Alemanha nazi. Em Setembro de 1939, empacotou diversas antiguidades da Oldsaksamlingen e enviou-as para fora de Oslo. Viria a ser enviado para a Alemanha, após ser preso em 11 de Setembro de 1941 no campo de concentração de Grini. Foi solto no mês seguinte.

Uma rua do bairro de Madla, em Stavanger, ostenta o seu nome (Anton Brøggers gate, em Norueguês).

Referências

  1. Kristian Ottosen (2004) Nordmenn i fangenskap 1940-45 – Universitetsforlaget, Oslo. ISBN 82-15-00288-9.
  2. A. W. Brøgger (1931) Slekten Brøgger : med oplysninger om familiene Bader, Bjerring, Breda, Lem, Lie, Siewers, Ursin – Brøggers trykkeri, Oslo.