Antônio Teixeira de Albuquerque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Teixeira de Albuquerque
Nascimento 15 de abril de 1840
Maceió,  Brasil
Morte 7 de abril de 1887 (46 anos)
Rio Largo,  Brasil
Ocupação Pastor
Religião Batista

Antônio Teixeira de Albuquerque (Maceió, 15 de abril de 1840Rio Largo, 7 de abril de 1887) foi um ex-padre católico e o primeiro batista brasileiro.

Albuquerque foi o único filho de Felipe Ney de Albuquerque e Helena Maria da Conceição. Por imposição do pai, foi para o Seminário Católico de Olinda, completando o curso em 1871. Em 30 de novembro do mesmo ano foi ordenado padre.

Ficou 3 anos como sacerdote em Alagoas, porém abandonou o sacerdócio porque, após assistir secretamente reuniões evangélicas do missionário presbiteriano John Rockwell Smith, concluiu que doutrina católica não era bíblica. Casou-se em 1878 em Pernambuco com Senhorinha Francisca de Jesus, com quem teve cinco filhos. O desejo de se casar foi um dos argumentos dados para sair da Igreja Católica.

Em 1879, ele se dirige ao Rio de Janeiro, sendo acolhido pelo missionário metodista J. J. Ransom. Após tomar contato com os batistas em Santa Bárbara d'Oeste, uniu-se a eles.

Fez sua profissão de fé no 3º domingo de 1880 e foi batizado no batistério da igreja. No mesmo dia foi ordenado pastor batista na loja maçônica da cidade. Pregava em Piracicaba e Capivari.

Ele deixou de pregar por um tempo, devido a uma desavença com o pastor Elias Hoton Quillin, mas depois eles se perdoaram. Depois junto com os casal Zacharias Clay Taylor e Katherine Steves Crawford Taylor, e o casal Willian Buck Bagby e Anne Luther Bagby se dirigiram para a Bahia para fundar uma igreja em Salvador.

Depois voltou para Maceió para fundar a 1ª Igreja Batista de Maceió. Lá ordenou o pastor Wandragésilo Melo Lins. Também escreveu o opúsculo Tres Razões porque Deixei a Igreja Romana. A igreja batizou 80 pessoas nos 2 anos em que ficou lá, incluindo seus pais, que o haviam renegado.

Após ficar doente se retirou para Rio Largo, onde morreu.

Sua história é contada no livro Antonio Teixeira de Albuquerque: Primeiro Pastor Batista do Brasil, incluído no livro Centelha em Restolho Seco: Uma Contribuição para a História dos Primórdios do Trabalho Batista no Brasil de autoria da historiadora Betty Antunes de Oliveira.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.