Arlindo Machado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Arlindo Machado
Morte 19 de julho de 2020
Residência Brasil
Cidadania Brasil
Alma mater
Ocupação professor universitário, curador
Empregador Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo

Arlindo Ribeiro Machado Neto (Pompeia, 17 de julho de 1949 - 19 de julho de 2020) foi um pesquisador brasileiro, professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Semiótica da PUC-SP e do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP e curador de arte.[1] Seu campo de atuação abrange o universo das chamadas "imagens técnicas", ou seja, daquelas imagens produzidas através de mediações tecnológicas diversas, tais como a fotografia, o cinema, o vídeo e as atuais mídias digitais e telemáticas.[2]

Livros (seleção)[editar | editar código-fonte]

  • Eisenstein: Geometria do Êxtase. São Paulo: Brasiliense, 1983.
  • A Ilusão Especular. São Paulo: Brasiliense, 1984.
  • A Arte do Vídeo. São Paulo: Brasiliense, 1988.
  • Máquina e Imaginário: o Desafio das Poéticas Tecnológicas. São Paulo: EDUSP, 1993.
  • Video-Cuadernos VI: Textos de Arlindo Machado. Buenos Aires: Nueva Libreria, 1994.
  • Pré-cinemas e Pós-cinemas. Campinas: Papirus, 1997.
  • A Televisão Levada a Sério. São Paulo: Editora do Senac, 2000.
  • El Paisaje Mediatico. Buenos Aires: Libros de Rojas, 2000.
  • Maquina E Imaginário - O Desafio Das Poéticas Tecnológicas. São Paulo: EDUSP, 2001
  • Made in Brasil: Três Décadas do Vídeo Brasileiro. São Paulo: Itaú Cultural, 2003. (Org.)
  • Os Anos de Chumbo. Mídia, Poética e Ideologia no Período de Resistência ao Autoritarismo Militar. 1968-1985. Porto Alegre: Sulina Editora, 2006.
  • Arte e mídia. São Paulo / Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2007.
  • O Sujeito na Tela. Modos de Enunciação no Cinema e no Ciberespaço. São Paulo: Paulus, 2007.
  • Pantanal: a Reinvenção da Telenovela. São Paulo: EDUC, 2008. (com Beatriz Becker)
  • El Sujeto en la Pantalla. La Aventura del Espectador, del Deseo a la Acción. Barcelona: Gedisa Editorial, 2009.
  • A ilusão especular: Uma teoria da fotografia. São Paulo: Editora Gustavo Gili; 2019.
  • O olho, a visão e a imagem: revisão crítica, São Paulo: Ribeiro Edições, 2019.
  • Discursos contra a insensatez: Grandezas e misérias da comunicação. São Paulo: Ribeiro Edições, 2019.
  • Análise do programa televisivo. São Paulo: Ribeiro Edições, 2019.
  • Outros cinemas: Formas Esquisexóticas de audiovisual. São Paulo: Ribeiro Edições, 2019.

Curadorias (seleção)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Arlindo Machado». Enciclopédia de Arte e Tecnologia. Consultado em 18 de fevereiro de 2014 
  2. «Arlindo Machado». Associação Cultural Videobrasil. Consultado em 18 de fevereiro de 2014 
  3. «Programação: Paradigmas do Experimental». MIS. Consultado em 19 de fevereiro de 2014 
  4. «Agenda: Paradigmas do Experimental». Canal Contemporâneo. Consultado em 19 de fevereiro de 2014 
  5. «Del insilio». Laboratório Arte Alameda. Consultado em 18 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2014 
  6. «Agenda: Waldemar Cordeiro - Fantasia exata». Canal Contemporâneo. Consultado em 18 de fevereiro de 2014 
  7. Paula Alzugaray. «Arqueologia do digital». IstoÉ Independente. Consultado em 18 de fevereiro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]