Arthur Moeller van den Bruck

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Arthur Moeller van den Bruck (23 de Abril de 1876 - 30 de maio de 1925) foi um historiador e escritor alemão, mais conhecido por seu controverso livro publicado em 1923 Das Dritte Reich (O Terceiro Reich), que promovia o nacionalismo alemão e que exerceu uma forte influência sobre o nazista Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. De 1906 a 1922, ele também publicou primeira completa tradução, em alemão, das obras de Dostoievski.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Arthur Moeller van den Bruck (também Moeller-Bruck) nasceu em Solingen em 1876, filho de Ottomar Moeller e Elisabeth van den Bruck.

Ele foi expulso de um ginásio (um tipo de escola secundária alemã), por sua indiferença com os seus estudos. O jovem Moeller van den Bruck acreditava que a literatura alemã e a filosofia, particularmente as obras de Nietzsche, forneceriam uma educação mais vital.[1] Mais tarde, ele continuou seus estudos por conta própria em Berlim, Paris e Itália.

Influência sobre o nazismo[editar | editar código-fonte]

Em seu livro de 1918, Das Recht der jungen Völker (O Direito das Jovens Nações), Moeller van den Bruck apresenta uma versão da teoria Sonderweg, na qual desenvolveu o tema da Rússia, como representando a civilização comunista, e os Estados Unidos representando a civilização capitalista, ambos os quais são rejeitados por ele. A Alemanha é tida como o modelo entre os dois extremos. No mesmo livro, ele defendia uma filosofia do Estado (Staatstheorie), que era a tentativa de Moeller de preencher a lacuna entre o nacionalismo e os conceitos de justiça social expressamente anti-ocidental e anti-imperialista.

Ele teve uma grande influência sobre o Jungkonservativen (Jovens Conservadores) em sua oposição à República de Weimar. Ele também forneceu aos nazistas alguns dos conceitos que sustentam o seu movimento, embora em um encontro com Hitler em 1922, Bruck rejeitou-o por seu "primitivismo proletário". Os nazistas ainda fizeram uso de suas idéias, inclusive apropriando-se do título de seu livro de 1923, O Terceiro Reich, como um slogan político e a ideia germânica do Übermensch.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Die moderne Literatur in Gruppen und Einzeldarstellungen (1900)
  • Das Variété: Eine Kulturdramaturgie (1900)
  • Die Deutschen: Unsere Menschheitsgeschichte (1904)
  • Zeitgenossen (1905)
  • Die italienische Schönheit (1913)
  • Der preußische Stil (1915)
  • Das Recht der jungen Völker (1918)
  • Das Dritte Reich (1923)

Referências

  1. G Krebs, Moeller van den Bruck: Inventor of the Third Reich, The American Political Science Review, Vol. 35, No. 6

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Sebastian Maaß, Kämpfer um ein drittes Reich. Arthur Moeller van den Bruck und sein Kreis. Regin-Verlag, Kiel, 2010.
  • Stan Lauryssens, The Man Who Invented the Third Reich: The Life and Times of Arthur Moeller Van Den Bruck. Sutton Publishing, NY, 2003. ISBN 0-7509-3054-3.
  • Fritz Stern, The Politics of Cultural Despair: a study in the Rise of Germanic Ideology, UCP, Berkeley, 1974. ISBN 0-520-02626-8.
  • Gerhard Krebs, Moeller van den Bruck: Inventor of the Third Reich. The American Political Science Review, Volume 35, No. 6 (December 1941).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]