Asparagus officinalis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Espargo, veja Espargo (desambiguação).
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAsparagus officinalis
François Bonvin, Natureza morta com espargos
François Bonvin, Natureza morta com espargos
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Asparagaceae
Género: Asparagus
Espécie: A. officinalis
Nome binomial
Asparagus officinalis
L.
Foto aérea de um plantio de aspargos

Asparagus officinalis (aspargo (português brasileiro) ou espargo (português europeu)) é um vegetal da classe Liliopsida, ordem Asparagales, família Asparagaceae, género Asparagus. Os rebentos novos desse vegetal são bastante apreciados, particularmente na cozinha inglesa, alemã e francesa. Tem um sabor delicado, poucas calorias e é particularmente rico em ácido fólico, além de ter propriedades diuréticas.

O espargo é uma planta perene. A colheita dos brotos se faz na primavera, a partir do segundo ou terceiro ano. Os aspargos brancos são cultivados impedindo os brotos jovens de obter luz.

O espargo pode provocar um odor característico na urina da pessoa que os consumiu, sem nenhuma consequência nociva. As substâncias que provocam odor não existem originalmente no vegetal: são um resultado do metabolismo de um de seus componentes, que contém enxofre. Segundo estudos, de 40% a 50%[1] das pessoas produzem esses metabólitos e ficam com o cheiro da urina alterado, mas, curiosamente, nem todas as pessoas conseguem perceber a diferença no odor: cerca de 60% das pessoas são insensíveis a ele. Dos 20 tipos diferentes de aminoácidos encontrados em proteínas, o aminoácido asparagina foi o primeiro a ser encontrado. E o seu nome é devido ao aspargo, a sua fonte original onde foi descoberto.

História[editar | editar código-fonte]

Há registros na história acerca de apreciadores de iguarias com base nos aspargos,[2] tais como o imperador romano Otávio Augusto, o gastrônomo romano Marco Gávio Apício, o naturalista também romano Plínio, o velho (que chamava os aspargos de "a verdura de Deus"), na antiguidade. O prestígio dos aspargos caiu muito durante a Idade Média, voltando a ser um prato apreciado durante o Renascimento, sendo daí em diante muito apreciado por personalidades como o Rei Sol, Luís XIV, ou o chanceler alemão Bismarck.

Produção mundial[editar | editar código-fonte]

País Produção em 2018
(toneladas anuais)
 China 7.982.230
 Peru 360.630
 México 277.682
 Alemanha 133.020
Flag of Spain.svg Espanha 68.403
 Itália 49.000
 Estados Unidos 35.460
 Japão 26.937
 Tailândia 23.779
 Irão 20.957
Fonte: Food and Agriculture Organization[3]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. (em inglês)Por que razão os espargos provocam um odor estranho na urina de algumas pessoas
  2. "A rainha que virou pizza" - José Antônio Dias Lopes - Cia. Editora Nacional - 2007
  3. fao.org (FAOSTAT). «Asparagus production in 2018, Crops/World regions/Production quantity (from pick lists)». Consultado em 20 de outubro de 2020 


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies


Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.