Atretochoana eiselti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

ǎ

Como ler uma caixa taxonómicaAtretochoana eiselti

Estado de conservação
Status none DD.svgDados deficientes (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Amphibia
Ordem: Gymnophiona
Família: Typhlonectidae
Género: Atretochoana
Nussbaum & Wilkinson, 1995
Espécie: A. eiselti
Nome binomial
Atretochoana eiselti
(Taylor, 1968)

Atretochoana eiselti (do grego: Atretos, imperfuração + choanae, funil; eiselti em homenagem a Josef Eiselt) é uma espécie de anfíbio gimnofiono da família Typhlonectidae. Apenas cinco espécimes são conhecidos em coleções de museus. O holótipo provém da América do Sul, mas a localização específica é desconhecida. Os demais exemplares são provenientes do Brasil e, possivelmente, pode ocorrer também na Bolívia. A espécie é o maior tetrápode sem pulmões conhecido.

Nomenclatura e taxonomia[editar | editar código-fonte]

A espécie foi descrita como Typhlonectes eiselti em 1968 por Edward Harrison Taylor com base num espécime depositado na coleção do Naturhistorisches Museum, em Viena.[2] Até a data da descrição, o espécime era atribuído à espécie Typhlonectes compressicauda.[3]

Em 1995, foi reclassificada num gênero próprio, o Atretochoana, sendo então recombinada para Atretochoana eiselti, com base num estudo mais detalhado do holótipo.[4] Pesquisas posteriores demonstraram que a espécie eiselti está mais relacionada ao gênero Potomotyphlus do que ao Typhlonectes.[5] O gênero Atretochoana é monoespecífico.[6]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

A espécie era conhecida por um único exemplar (o holótipo) coletado na América do Sul, mas cuja localização específica é desconhecida, depositado no Museu de Viena. Quase certamente, o espécime foi coletado antes da década de 1920 ou, provavelmente, na segunda metade do século XIX.[4] Em 1998, um segundo espécime foi encontrado na coleção da Universidade de Brasília, também sem registro da localização e data da coleta, entretanto, devido à coleção ser recente e quase exclusivamente de espécies brasileiras, acreditava-se que o espécime havia sido coletado no Brasil.[7] Em 2011, foram descobertos exemplares da espécie em dois pontos na Amazônia brasileira. O primeiro na praia de Marahú na ilha Mosqueiro, no meio da Baía de Marajó, próximo a Belém do Pará, na desembocadura do rio Amazonas. E o segundo na Cachoeira Santo Antônio, no rio Madeira, próximo à fronteira Brasil-Bolívia. Os exemplares do rio Madeira foram encontrados no canteiro de obra da Usina Hidrelétrica Santo Antônio durante obras no leito original do rio. Todos os exemplares foram enviados ao Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém.[8] Baseado nas novas descobertas, acredita-se que a espécie tenha distribuição ampla pela Amazônia brasileira e que possivelmente ocorra também na Bolívia.[8]

Características[editar | editar código-fonte]

A Atretochoana eiselti é o maior tetrápode conhecido sem pulmões. O holótipo mede 72,5 centímetros e o exemplar de Brasília mede 80,5 centímetros.[4][5] O segundo maior tetrápode sem pulmões é a Caecilita iwokramae que mede 11,2 centímetros.[9] Superficialmente, a espécie é similar a Typhlonectes compressicauda, T. natans e Potomotyphlus kaupii.[4] Entre as características que a diferencia das outras espécies próximas estão: a coana selada, a ausência de pulmões e de vasos sanguíneos pulmonares, a articulação mandibular pós-cranial, os estribos alongados e com direção posterior, um músculo cranial associado aos estribos, ligando estes às bochechas,[4] uma abertura intermediária tentacular posicionada entre o olho e a narina externa, um sulco tentacular não encoberto por osso e o corpo lateralmente comprimido com uma barbatana mediana dorsal[3].

Conservação[editar | editar código-fonte]

Devido à falta de informações, a espécie foi classificada pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais como "Data Deficient".[1]

Referências

  1. a b WILKINSON, M.; MEASEY, J.; WAKE, M. (2004). Atretochoana eiselti (em Inglês). IUCN 2012. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2012 Versão 1. Página visitada em 1 de agosto de 2012.
  2. TAYLOR, E.H. (1968). The Caecilians of the World. A Taxonomic Review. Lawrence, Kansas: University of Kansas Press 
  3. a b WILKINSON, M.; NUSSBAUM, R.A. (1997). «Comparative morphology and evolution of the lungless caecilian Atretochoana eiselti (Taylor) (Amphibia: Gymnophiona: Typhlonectidae)». Biological Journal of the Linnean Society. 62: 39-109. doi:10.1111/j.1095-8312.1997.tb01616.x 
  4. a b c d e NUSSBAUM, R.A.; WILKINSON, M. (1995). «A new genus of lungless tetrapod: A radically divergent caecilian (Amphibia: Gymnophiona)». Proceedings of the Royal Society of London Series B Biological Sciences. 261: 331-335. doi:10.1098/rspb.1995.0155 
  5. a b WILKINSON, M.; NUSSBAUM, R.A. (1999). «Evolutionary relationships of the lungless caecilian Atretochoana eiselti (Amphibia: Gymnophiona: Typhlonectidae)». Zoological Journal of the Linnean Society. 126: 191–223. doi:10.1111/j.1096-3642.1999.tb00153.x 
  6. WILKINSON, M.; NUSSBAUM, R.A. (2006). EXBRAYAT, J.-M. (Ed.), ed. Reproductive Biology and Phylogeny of Gymnophiona: (caecilians). Reproductive Biology and Phylogeny Volume 5. Enfield, Jersey, and Plymouth: Science Publisher. pp. 39–78 
  7. WILKINSON, M.; SEBBEN, A.; SCHWARTZ, E.N.F.; SCHWARTZ, C.A. (1998). «The largest lungless tetrapod: report on a second specimen of Atretochoana eiselti (Amphibia: Gymnophiona: Typhlonectidae) from Brazil». Journal of Natural History. 32: 617–627. doi:10.1516/Q417-21HR-6615-7217 
  8. a b HOOGMOED, M.S.; CORAGEM, J.T. (2011). «Discovery of the largest lungless tetrapod, Atretochoana eiselti (Taylor, 1968) (Amphibia: Gymnophiona: Typhlonectidae), in its natural habitat in Brazilian Amazonia». Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Naturais. 6 (3): 241–262 
  9. WAKE, M.H.; DONNELLY, M.A. (2010). «A new lungless caecilian (Amphibia: Gymnophiona) from Guyana». Proceedings of the Royal Society of London B. 227 (1683): 915–922. doi:10.1098/rspb.2009.1662 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Atretochoana eiselti
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Atretochoana eiselti