Augusto Cunha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com o político e engenheiro brasileiro Fernando Augusto Cunha.
Augusto Cunha
Nascimento 1894
Morte 1947 (53 anos)
Nacionalidade Português
Ocupação Escritor e jornalista

Augusto Cunha (1894 - 1947) foi um escritor e jornalista português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascimento[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1894.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Principiou a sua carreira na imprensa em 1913, junto com António Ferro, tendo trabalhado como humorista[2] e cronista.[3] Deixou uma colaboração muito extensa em vários periódicos, incluindo Gazeta dos Caminhos de Ferro desde 1933,[2] no O Domingo Ilustrado[4] Panorama,[5] Portugal Colonial, Portugal Cine Revista, Ilustração Portuguesa, A Voz, Notícias Ilustrado, Sempre Fixe, Diário de Notícias, Diário da Manhã, Diário de Lisboa, Notícias de Lourenço Marques, O Primeiro de Janeiro, Comércio do Porto, Atlântico e Acção.[3] Desenvolveu um estilo de humor baseado em situações naturais, semelhante ao de vários autores britânicos do mesmo período.[2]

Também exerceu como escritor humorístico, tendo sido um dos principais autores da sua geração, durante a década de 1930.[2] Participou igualmente em várias palestras e trabalhou no teatro, como dramaturgo.[3]

Falecimento[editar | editar código-fonte]

Faleceu em 1947.[1]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Missal de trovas (com António Ferro) (1928)
  • O homem que salvou o Mundo (1946)
  • Os meninos d'oiro: Vaudeville (1948)

Referências

  1. a b «Missal de trovas». Biblioteca Particular Fernando Pessoa. Casa Fernando Pessoa. Consultado em 28 de Novembro de 2019 
  2. a b c d «Augusto Cunha». Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 46 (1095). Lisboa. 1 de Agosto de 1933. p. 416. Consultado em 28 de Novembro de 2019 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  3. a b c «Augusto Cunha (1894-1947)». Fundação António Quadros. Consultado em 28 de Novembro de 2019 
  4. CUNHA, Augusto (25 de Julho de 1926). «Boato Alarmante» (PDF). O Domingo Ilustrado. Ano II (80). Lisboa. p. 7-8. Consultado em 28 de Novembro de 2019 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  5. CUNHA, Augusto (1944). «Panorama Africano». Panorama: Revista Portuguesa de Arte e Turismo. Ano III (21). Lisboa: Secretariado da Propaganda Nacional. Consultado em 28 de Novembro de 2019 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.