Avenida Afrânio Peixoto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Avenida Afrânio Peixoto
Salvador, Bahia Bahia,  Brasil
Nome popular Avenida Suburbana
Tipo Avenida, via arterial[1]
Inauguração 1971 (46 anos)
Extensão 14 km
Início Feira do Curtume
Fim Bairro de Paripe

A Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como Avenida Suburbana, é uma importante avenida localizada desde a região da Cidade Baixa, em Salvador, até diversos bairros do Subúrbio Ferroviário, entre eles: Periperi, Plataforma, passando por Lobato, Baixa do Fiscal, Itacaranha, Escada, Praia Grande, Coutos, Fazenda Coutos.[2] Rumo ao norte, começa em seguida à Feira do Curtume (Viaduto dos Motoristas) e termina em Paripe completando a extensão de 14 quilômetros em pista dupla, o que a deixa entre as maiores avenidas da cidade.[2] Dentro do sistema viário soteropolitano, é definida pelo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano do Município do Salvador (PDDU 2007) como uma via arterial da cidade.[1]

O relatório inicial de abril de 2012 denominado Calçadas do Brasil, promovido pelo Mobilize Brasil, analisou as condições das calçadas de 12 cidades brasileiras. A Afrânio Peixoto foi a quarta pior avaliada ao receber a média de 1,25.[3]

A via é uma das mais perigosas da capital baiana. Em 2014, foram 11 mortos e 276 feridos em acidentes de trânsito.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Foi inaugurada em 1860 a ferrovia, anteriormente servida pelos trens da Rede Ferroviária Federal Leste Brasileiro. Em 1971, o governador Luís Viana Filho inaugurou a via aberta ao longo da linha ferroviária urbana da cidade. A região atraiu comércio e várias moradias irregulares ocuparam as áreas lindeiras, alterando significativamente a paisagem da costa soteropolitana voltada à Baía de Todos os Santos.[2][5]

Em 2015, a Prefeitura deu início a uma série de intervenções na avenida, especialmente em dez pontos críticos selecionados Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) devido aos frequentes acidentes e congestionamentos. Os dez pontos são, no sentido sul-norte, Uruguai, Novos Alagados, Lobato, Alto do Cabrito, Largo do Luso, Alto da Terezinha e as rotatórias de Periperi, da Glória, de Coutos e de Paripe. As intervenções envolvem não só melhorias para o transporte individual motorizado como novos retornos, rotatórias e recapeamento asfáltico, mas também a segurança na via com a fiscalização eletrônica e redutores de velocidade, além de recuos para os pontos de ônibus, faixas de pedestres elevadas e ciclovia de 2 metros de largura no canteiro central desde Paripe até o Uruguai.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR (20 de fevereiro de 2007). [lei7400-08.htm «LEI Nº 7.400 de 2008»] Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 24 de março de 2014 
  2. a b c Imaira Santa Rita Regis (2007). «Lobato e Paripe no contexto da Avenida Suburbana: uma análise socioespacial» (PDF) (em português e francês). UFBA. Consultado em 23 de março de 2014 
  3. Mobilize Brasil. «Calçadas do Brasil - Relatório inicial - Abril/2012» (PDF). Consultado em 24 de março de 2014 
  4. a b Correio* (23 de Maio). «Projeto vai aumentar fluidez e segurança na avenida Suburbana; veja mudanças». Suburbio News. Consultado em 24 de Maio de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. Fundação Gregório de Mattos. «SUBÚRBIO». Salvador Cultura Todo Dia. Consultado em 24 de março de 2014