Bandeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flag of NATO.svg
Bandeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte hasteada.

A bandeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) é azul escura com uma rosa-dos-ventos, da qual irradiam quatro linhas brancas. Foi aprovada em 14 de Outubro de 1953.

Historia[editar | editar código-fonte]

A primeira bandeira usada pela OTAN foi apresentada em 5 de outubro de 1951 pelo general Dwight Eisenhower, que ajudou a projetá-la.[1] A bandeira de 1951 consistia em um campo verde com o brasão de armas do [Supremo Quartel-General Allied Powers Europe] (SHAPE), que ainda usa a bandeira.

Flag of Supreme Headquarters Allied Powers Europe.svg
Bandeira do Quartel-General Supremo Poderes Aliados da Europa, usados ​​pela OTAN de 1951 a 1953.

A OTAN começou a procurar um emblema para diferenciá-lo do SHAPE, uma tarefa tratada pelo recém-formado Grupo de Trabalho de Políticas de Informação. Após várias discussões, concluiu que era necessária uma bandeira para a organização que contivesse seu emblema e que recomendaria isso ao Conselho do Atlântico Norte.[2]

Bandeira[editar | editar código-fonte]

As seguintes dimensões usadas na bandeira:

  • Comprimento: 400 (em unidades)
  • Largura: 300
  • Estrela: 150
  • Diâmetro do círculo por trás da estrela: 115
  • Espaço entre a estrela e da linha branca: 10
  • Espaço entre a borda da bandeira com as linhas brancas: 30

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre vexilologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bandeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte
  1. Associated Press (6 de outubro de 1951). «NATO Flag is Raised at Ike Headquarters». Cincinnati Enquirer 
  2. «The Birth of the Emblem». NATO.int. North Atlantic Treaty Organization. Consultado em 12 de setembro de 2016. Arquivado do original em 12 de setembro de 2016