Benedito de Carvalho Lago

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Benedito Bete de Carvalho Lago.
Benedito de Carvalho Lago
Bcl.jpg
Benedito de Carvalho Lago
Deputado federal pelo Maranhão
Período 1951-1955
Prefeito de Bacabal
Período 1961-1966
Dados pessoais
Nascimento 1 de abril de 1904
Chapadinha, MA
Morte 1 de abril de 1987 (83 anos)
São Luís, MA
Alma mater Universidade Federal do Maranhão
Cônjuge Francisca das Chagas Freire Lago
Partido PST, MDB, PDT
Profissão odontologista, tabelião, advogado, industrial, comerciante

Benedito de Carvalho Lago (Chapadinha, 1º de abril de 1904São Luís, 1º de abril de 1987) foi tabelião, advogado, industrial, comerciante e político brasileiro que foi deputado federal pelo Maranhão.[1][2]

Dados biográficos[editar | editar código-fonte]

Filho de José Luís Teixeira do Lago e Elisa Augusta Barbosa de Carvalho Lago.[1] Odontologista graduado pela Universidade Federal do Maranhão, exerceu antes as profissões de tabelião e comerciante.[nota 1] Eleito deputado federal via PST em 1950, foi secretário de Justiça no governo Eugênio Barros e também exerceu atividade industrial no beneficiamento de algodão e arroz em Pedreiras e Bacabal.. Seu retorno à política ocorreu em 1960 ao ser eleito prefeito de Bacabal[nota 2] e ao fim de sua vida pública trabalhou como advogado provisionado.[nota 3]

Tio dos políticos Jackson Lago, Benedito Lago, Wagner Lago e Aderson Lago.

Notas

  1. A rigor foi graduado pela Escola de Farmácia e Odontologia do Maranhão.
  2. Até que seja possível determinar a extensão de seu mandato teremos como referência o tempo de poder destinado ao governador do estado.
  3. Também denominado "rábula", o advogado provisionado atuava somente em primeira instância sob autorização de entidade de classe ou de órgão competente do Poder Judiciário.

Referências

  1. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Benedito Lago». Consultado em 17 de abril de 2017 
  2. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 17 de abril de 2017