Bigyra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaBigyra
Aplanochytrium (Labyrinthulea)

Aplanochytrium (Labyrinthulea)
Classificação científica
Domínio: Eukarya
Reino: Chromalveolata
(sem classif.) Supergrupo SAR
Filo: Stramenopiles
Subfilo: Bigyra
Classes[1]

Bigyra ou Opalozoa é um clado de organismos heterocontos considerado o grupo basal dos Heterokontophyta.

Descrição[editar | editar código-fonte]

O antepassado de Bigyra, e provavelmente de todos os heterocontos era um organismo fagotrófico de vida livre. Bicosoecea e Placididea são os únicos grupos desta linhagem que retiveram o modo de alimentação ancestral fagotrófica. Posteriormente, Opalinata e Blastocystea substituíram a capacidade fagotrófica ancestral por uma osmotrofia secundária quando se converteram em comensais ou parasitas dos animais. Por seu lado, os Labyrinthulea provavelmente perderam a sua capacidade fagotrófica independentemente quando se adaptaram a um modo de vida sapróbio do tipo fungoide.[2][3][4]

Notas

  1. Adl, S.M. et al. (2012). The revised classification of eukaryotes. Journal of Eukaryotic Microbiology, 59(5), 429-514
  2. Cavalier-Smith, T., & Chao, E. E. (2006). Phylogeny and megasystematics of phagotrophic heterokonts (kingdom Chromista). Journal of molecular evolution, 62(4), 388-420.
  3. Riisberg I, Orr RJ, Kluge R et al. (maio de 2009). «Seven gene phylogeny of heterokonts» (PDF). Protist. 160 (2): 191–204. PMID 19213601. doi:10.1016/j.protis.2008.11.004 
  4. Cavalier-Smith, Thomas, and Josephine Margaret Scoble. Phylogeny of Heterokonta: Incisomonas marina, a uniciliate gliding opalozoan related to Solenicola (Nanomonadea), and evidence that Actinophryida evolved from raphidophytes. European journal of protistology 49.3 (2013): 328-353.