Andebol 1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andebol 1
Andebol Handball pictogram.svg
Logotipo oficial do torneio.
País  Portugal
Confederação União Europeia Europa (EHF)
Organizador Federação de Andebol de Portugal
Informações gerais
Participantes 14
Divisão I Divisão
Rebaixamento Andebol 2
Taças nacionais Taça de Portugal
Supertaça
Torneios internacionais Liga dos Campeões
Taça EHF
Taça Challenge da EHF
Temporadas
Primeira temporada 1951–52
Temporada atual 2017–18
Primeiro campeão Sporting CP
Atual campeão Sporting CP (21.º título)
Maior campeão Sporting CP

(21 títulos)

Handball current event 2.svg Edição atual
Página Oficial

O Campeonato Nacional Andebol 1 (conhecido apenas por Andebol 1)[1] é a principal competição profissional de Andebol em Portugal. É disputado por 14 equipas, em duas fases.

No formato atual (em vigor desde 2016-17), todas as equipas participam numa fase inicial em sistema de pontos corridos. As equipas que terminem entre o 1º e o 6º lugar ganham acesso ao Nível Vencedores do campeonato enquanto as restantes caem para o Nível Derrotados. Estas fases finais também decorrem em sistema de pontos corridos. As equipas que terminem no 7º e no 8º lugar do Nível Derrotados são despromovidas à 2ª Divisão, enquanto as equipas mais bem classificadas do Nível Vencedores se qualificam para as competições da EHF, nomeadamente, a Liga dos Campeões (Campeão), a Taça EHF (2º e 3º classificados) e a Taça Challenge (4º classificado).

No final da época 2016-17, ocupava o 10º lugar no ranking da EHF, atrás da Croácia e da República da Macedónia.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Criação[editar | editar código-fonte]

O Andebol foi introduzido em Portugal em 1929 e, em 1939, a Federação de Andebol de Portugal foi criada. Durante a primeira metade do século XX, o desporto tornou-se extremamente popular, tornando-se num dos desportos de equipa mais importantes, além de futebol e hóquei em patins. O número crescente de clubes que figuravam uma equipa de andebol hlevou ao estabelecimento de campeonatos regionais nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, como também em Coimbra. O interesse de fedinir um "campeão nacional" levou a federação a criar um pequeno torneio entre as melhores equipas de Lisboa e do Porto (inicialmente) e Coimbra (numa segunda fase).

Domínio de Sporting e Porto até à Revolução dos Cravos[editar | editar código-fonte]

Antes da Revolução dos Cravos, apenas três de 23 campeonatos nacionais não foram conquistados pelo Sporting CP ou pelo FC Porto. As duas equipas rapidamente se estabeleceram como os clubes de topo do país, crescendo devido ao ecletismo. Figuraram em ambas as equipas os melhores jogadores portugueses de todo o tempo, criando uma rivalidade Norte-Sul entre o Porto e Lisboa, respetivamente.

O FC Porto ganhou o primeiro tetracampeonato (quatro títulos seguidos) na história da competição. Por outro lado, o Sporting CP ganhou o primeiro pentacampeonato (cinco títulos seguidos) na história do andebol português, com uma equipa que viria a ser conhecida como Os Sete Magníficos.

Uma verdadeira liga no panorama europeu[editar | editar código-fonte]

Em 1987, o campeonato assumiu o formato em liga disputada com 12 equipa. Esta mudança no formato da competição aproximou a liga portuguesa a outras grandes ligas europeias e levou a um aumento significativo da competitividade. Este crescimento consistente era apoiado pelo investimento de vários clubes, que procuravam segurar vários jogadores estrangeiros (nomeadamente dos Balcãs) como também treinadores experientes,cujo conhecimento do desporto permitiu um aumento sólido na qualidade de jogo.

O pico do crescimento dos clubes de andebol em Portugal foi alcançado pelo ABC, de Braga, quando o clube chegou à sua primeira final da Liga dos Campeões da EHF em 1994. O clube perdeu para o CB Cantabria por 45-43. Em 1999-00, o ABC também alcançou as meias-finais da Taça EHF.

Diferendo entre Liga e Federação e declínio[editar | editar código-fonte]

Em 2001, os clubes do campeonato criaram a Liga Portuguesa de Clubes de Andebol, que tinha o objetivo de dirigir um campeonato de andebol completamente profisisonal chamado Liga Portuguesa de Andebol. Porém, em 2002, a Federação de Andebol de Portugal contestou a validade desta liga e deixou de reconhecer o Campeão da Liga Portuguesa de Andebol como campeão nacional.

Como consequência, a segunda divisão foi renomeada para Divisão de Elite e transformada no escalão mais alto do andebol português. Só o vencedor deste campeonato era reconhecido como campeão nacional pela Federação.[3][4][5]

A principal consequência desta disputa entre a Liga e a Federação foi a proibição dos grandes clubes profissionais que jogavam na Liga Portuguesa de Andebol de disputar competições europeias pela Federação Europeia de Andebol.[6]

Em 2005, a Federação reconheceu a Liga Portuguesa de Andebol como o primeiro escalão como o primeiro escalão do sistema de ligas de andebol de Portugal e concordou em garantir autonomia à Liga de Clubes enquanto a supervisionasse ao mesmo tempo.

Atualmente, ainda existe disputas sobre quem foi campeão português durante o período do diferendo.

Extinção da Liga e ascensão do andebol português[editar | editar código-fonte]

Em 2009, a Liga de Clubes foi extinta juntamente com a Liga Portuguesa de Andebol. Esta competição foi substituída pelo novo Campeonato Nacional Andebol 1, ou simplesmente Andebol 1, onde todos os clubes forem reintegrados.[7]

Após o rebranding, os clubes portugueses de andebol ganharam alguma da sua antiga notoriedade, especialmente em competições internacionais. O Sporting CP conquistou a Taça Challenge da EHF em 2010 e 2017 e o ABC conquistou a competição em 2016 na primeira final unicamente portuguesa, batendo o SL Benfica num resultado agregado de 53-51. O ABC também chegou à final desta competição internacional em 2015. Em 2013–14, o Porto tornou-se na primeira equipa portuguesa a participar na fase de grupos da Liga dos Campeões da EHF desde 2002. Porto, ABC e Sporting também participaram nesta fase da competição em 2015–16, 2016–17 e 2017–18, respetivamente, embora nenhum tenha chegado à fase seguinte.

Formato[editar | editar código-fonte]

Formato atual[editar | editar código-fonte]

A partir de 2016, a competição é disputada em duas fases (fase regular e fase final).

Durante a fase regular, as 14 equipas participantes jogam umas contras as outras duas vezes, casa e fora, num formato de liga. Consequentemente, cada equipa disputa 26 jogos durante esta fase. O top-6 qualifica-se para o Grupo A da fase final enquanto as equipas que terminam do 7º ao 14º lugar disputam o Grupo B.

Para a fase final, cada equipa começa esta fase da competição com metade dos pontos conquistados durante a fase regular. Durante a fase final, as equipas jogam umas contras as outras duas vezes, casa e fora, num formato de liga em ambos os grupos. O Grupo A determina as classificações finais do 1º ao 6º lugar (e, consequentemente, o campeão e as vagas europeias) enquanto o Grupo B determina as classificações finais do 7º ao 14º lugar.

As equipas que acabarem o Grupo B da Fase Final em 13º e 14º lugar são despromovidas à Segunda Divisão.

Atualmente, o campeão qualifica-se para o torneio de qualificação da Liga dos Campeões da EHF. O 2º e 3º classificados qualificam-se para a Taça EHF (o 2º para a 2ª ronda de qualificação e o 3º para a 1ª ronda de qualificação). O 4º classificado qualifica-se para a Taça Challenge da EHF.

Campeões[editar | editar código-fonte]

Campeonato Nacional de Andebol Masculino - Andebol 1[8]
Época Campeão Vice-Campeão 3º lugar 4º lugar
2017–18 Sporting (21)
2016–17 Sporting (20) FC Porto SL Benfica Madeira SAD
2015–16 ABC Braga (13) SL Benfica FC Porto Sporting CP
2014–15 FC Porto (20) Sporting CP SL Benfica ABC Braga
2013–14 FC Porto (19) Sporting CP ABC Braga SL Benfica
2012–13 FC Porto (18) SL Benfica Sporting CP Águas Santas
2011–12 FC Porto (17) Madeira SAD Sporting CP SL Benfica
2010–11 FC Porto (16) Madeira SAD Sporting CP SL Benfica
2009–10 FC Porto (15) Belenenses Sporting CP Madeira SAD
Liga Portuguesa de Andebol[9]
Época Campeão Vice-Campeão 3º lugar 4º lugar
2008–09 FC Porto (14) SL Benfica Sporting CP Madeira SAD
2007–08 SL Benfica (7) ABC Braga Belenenses São Bernardo
2006–07 ABC Braga (12) Madeira SAD
Liga Portuguesa de Andebol[10] Divisão de Elite[11]
Época Campeão Vice-Campeão 3º lugar 4º lugar Campeão Vice-Campeão
2005–06 ABC Braga (11) Sporting CP (19) SC Horta
2004–05 Madeira SAD FC Porto SL Benfica Sporting CP (18) SC Horta
2003–04 FC Porto (13) Sporting CP Águas Santas ABC Braga São Bernardo (2)
2002–03 FC Porto (12) ABC Braga São Bernardo
2001–02 FC Porto (11) ABC Braga
Campeonato Nacional da 1ª Divisão[12][13]
Época Campeão Vice-Campeão 3º Classificado
2000–01 Sporting CP (17) FC Porto ABC Braga
1999–00 ABC Braga (10) Sporting CP
1998–99 FC Porto (10) ABC Braga Sporting CP
1997–98 ABC Braga (9) FC Porto Sporting CP
1996–97 ABC Braga (8) Sporting CP
1995–96 ABC Braga (7) Sporting CP Boavista FC
1994–95 ABC Braga (6) Belenenses FC Porto
1993–94 Belenenses (5) SL Benfica FC Porto
1992–93 ABC Braga (5)
1991–92 ABC Braga (4)
1990–91 ABC Braga (3)
1989–90 SL Benfica (6)
1988–89 SL Benfica (5) Sporting CP
1987–88 ABC Braga (2) Sporting CP
1986–87 ABC Braga Sporting CP FC Porto
1985–86 Sporting CP (16) Belenenses
Divisão de Honra[14][15]
Época Campeão Vice-Campeão 3º Classificado
1984–85 Belenenses (4) SL Benfica Sporting CP
1983–84 Sporting CP (15) SL Benfica Belenenses
1982–83 SL Benfica (4) Sporting CP
Campeonato Nacional da 1ª Divisão[16][17]
Época Campeão Vice-Campeão 3º Classificado
1981–82 SL Benfica (3) Sporting CP Belenenses
1980–81 Sporting CP (14) FC Porto Encarnação
1979–80 Sporting CP (13) FC Porto SL Benfica
1978–79 Sporting CP (12) FC Porto Belenenses
1977–78 Sporting CP (11) Belenenses FC Porto
1976–77 Belenenses (3) Sporting CP São Bernardo
1975–76 Belenenses (2) Sporting CP
1974–75 SL Benfica (2) Sporting CP
1973–74 Belenenses SL Benfica FC Porto
1972–73 Sporting CP (10) FC Porto
1971–72 Sporting CP (9) Almada Atlético FC Porto
1970–71 Sporting CP (7) FC Porto Belenenses
1969–70 Sporting CP (6) FC Porto Belenenses
1968–69 Sporting CP (5) FC Porto SL Benfica
1967–68 FC Porto (9) Sporting CP SL Benfica
1966–67 Sporting CP (5) FC Porto SL Benfica
1965–66 Sporting CP (4) FC Porto
1964–65 FC Porto (8) Almada Atlético
1963–64 FC Porto (7) Sporting CP Setubalense
1962–63 FC Porto (6) Sporting CP SL Benfica
1961–62 SL Benfica FC Porto Sporting CP
1960–61 Sporting CP (3) SL Benfica FC Porto
1959–60 FC Porto (5) Sporting CP SL Benfica
1958–59 FC Porto (4)
1957–58 FC Porto (3) Sporting CP Salgueiros
1956–57 FC Porto (2) Sporting CP Almada Atlético
1955–56 Sporting CP (2) Salgueiros Vigorosa
1954–55
1953–54 FC Porto Sporting CP Salgueiros
1952–53 Salgueiros Sporting CP
1951–52 Sporting CP Glória

Títulos por clube[editar | editar código-fonte]

Lista de títulos por clube do 1.º escalão desde o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Andebol de 1951–52 até ao Andebol 1 de 2017–18, incluindo os títulos da Divisão de Elite.

# Equipa Títulos Vices Épocas Campeões
1 Sporting 21 18 1951–52, 1955–56, 1960–61, 1965–66, 1966–67, 1968–69, 1969–70, 1970–71, 1971–72, 1972–73, 1977–78, 1978–79, 1979–80, 1980–81, 1983–84, 1985–86, 2000–01, 2004–05*, 2005–06*, 2016–17, 2017–18
2 FC Porto 20 14 1953–54, 1956–57, 1957–58, 1958–59, 1959–60, 1962–63, 1963–64, 1964–65, 1967–68, 1998–99, 2001–02, 2002–03, 2003–04, 2008–09, 2009–10, 2010–11, 2011–12, 2012–13, 2013–14, 2014–15
3 ABC Braga 13 4 1986–87, 1987–88, 1990–91, 1991–92, 1992–93, 1994–95, 1995–96, 1996–97, 1997–98, 1999–00, 2005–06, 2006–07, 2015–16
4 SL Benfica 7 8 1961–62, 1974–75, 1981–82, 1982–83, 1988–89, 1989–90, 2007–08
5 Belenenses 5 3 1973–74, 1975–76, 1976–77, 1984–85, 1993–94
6 CD São Bernardo 2 0 2002–03*, 2003–04*
7 Madeira SAD 1 3 2004–05
8 Salgueiros 1 0 1952–53

*Títulos da Divisão de Elite.

Referências