Maia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Maia (desambiguação).
Maia
Brasão de Maia Bandeira de Maia
Localização de Maia
Gentílico Maiato
Área 82,99 km²
População 135 306 hab. (2011)
Densidade populacional 1 630,4  hab./km²
N.º de freguesias 10
Presidente da
câmara municipal
Bragança Fernandes (PSD/CDS)
Fundação do município
(ou foral)
1519
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Área Metropolitana do Porto
Distrito Porto
Antiga província Douro Litoral
Orago São Miguel/Nossa Senhora do Bom Despacho (Padroeira do Concelho da Maia)
Feriado municipal Segunda-feira após o 2º Domingo de Julho - Nª Srª do Bom Despacho
Código postal 4470 / 4475
Sítio oficial www.cm-maia.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg
Santuário Mariano de N. Sra. do Bom Despacho (Antiga Igreja de S. Miguel de Barreiros)

A Maia é um concelho pertencente ao Distrito do Porto, Região Norte e sub-região da Área Metropolitana do Porto, cuja cidade-sede (Freguesia da Cidade da Maia) tem 40 134 habitantes no seu perímetro urbano.[1]

A Cidade da Maia é sede do Município ou Concelho da Maia, com 82,99 km² de área[2] e 135 306 habitantes (2001[3]), subdividida em 10 freguesias.[4] O município é limitado a norte pelos municípios da Trofa e de Santo Tirso, a leste por Valongo, a sueste por Gondomar, a sul pelo concelho e cidade do Porto, a sudoeste por Matosinhos e a noroeste por Vila do Conde. O Concelho possui apenas uma freguesia-cidade (Freguesia da Cidade da Maia) e quatro freguesias-vila (Vila Nova da Telha, Moreira, Castêlo da Maia e Águas Santas).

História[editar | editar código-fonte]

Torre do Lidador, um dos edifícios mais altos de Portugal

A zona onde actualmente se encontra o município é povoada há milénios, tendo sido encontrados vestígios que datam do Paleolítico. Em muitos dos montes da região existiram povoados, da Idade do Ferro. Atraídos pela riqueza dos solos e a abundância de recursos, os romanos também deixaram aqui as marcas visíveis da sua ocupação.

Em meados do século XIII, o julgado maiato estendia-se desde a cidade do Porto até ao Ave e do mar até às serras. Em 1304, no entanto, as Terras da Maia foram integradas no termo do Porto, perdendo a autonomia administrativa e política. Em 1360, foram instituídos os primeiros donatários na região e, nesse ano, D. Pedro I doou o senhorio da Azurara, com o julgado da Maia, ao infante D. Dinis, seu filho.

A história deste município está, também, intimamente ligada à fundação da nacionalidade. Alguns autores defendem mesmo que o príncipe Afonso Henriques terá sido aqui educado, junto à família dos Mendes da Maia, a que pertenciam o arcebispo de Braga D. Paio Mendes e o famoso guerreiro Gonçalo Mendes da Maia, o "Lidador", assim chamado por ter entrado em constantes lutas destemidas contra os sarracenos.

Na época dos Descobrimentos, saíram da Maia, tecidas com as matérias-primas dos linhares locais, grande parte das velas que equiparam as caravelas portuguesas.

No início do século XVI, coube a D. Manuel I conceder o foral, que previa as rendas e os foros a pagar aos donatários dos reguengos da Maia, bem como a forma de exercer as penas e justiças mais comuns. Entre os anos de 1700 e 1836, o concelho era composto por 44 freguesias e englobava toda a faixa marítima entre o Leça e o Ave. Com as reformas administrativas iniciadas em 1836, transformou-se num município autónomo, mas reduzido em área e em número de freguesias. Em 1857, chegou mesmo a ser extinto e foi necessário esperar até 1868 para que fosse restaurado.

No século XIX, a Maia foi atravessada, em 1809, pelo exército napoleónico do duque da Dalmácia, o marechal Soult, que de Braga se dirigia para o Porto. Nos anos agitados das lutas liberais foi também, entre 1832 e 1834, palco de lutas sangrentas entre absolutistas e liberais.

Após a proclamação da República, em 1910, a Maia (elevada a vila no ano de 1902) teve por algum tempo, como administrador, o filósofo tribuno Leonardo Coimbra.

No dia 23 de Agosto de 1986, parte da Maia foi, finalmente, elevada à categoria de cidade.

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [5]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
13 688 15 810 18 831 20 367 24 230 26 112 29 536 37 026 43 906 53 643 63 980 81 679 93 151 120 111 135 306

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [6]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 7 396 9 085 9 410 10 265 12 553 13 345 18 026 20 830 22 687 19 804 20 940 22 776
15-24 Anos 3 871 4 458 5 174 6 219 6 686 8 652 8 716 10 965 14 488 16 164 16 794 13 831
25-64 Anos 7 399 8 790 9 725 11 769 15 522 19 254 23 923 28 120 38 202 48 849 69 733 80 591
= ou > 65 Anos 969 1 117 1 150 1 346 1 784 2 376 2 978 4 065 6 302 8 334 12 644 18 108
> Id. desconh 60 37 34 40 81

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

Património[editar | editar código-fonte]

  • Igreja de Águas Santas ou Igreja de Nossa Senhora do Ó - Monumento Nacional datada do século XII. Possui duas naves com soluções diversas e é tida como uma igreja românica.

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho da Maia.

O concelho da Maia está dividido em 10 freguesias:[4]

O Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro fica localizado no lugar de Pedras Rubras, na Maia (Freguesias de Vila Nova da Telha e Moreira), em Matosinhos (União das freguesias de Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo) e ainda em Vila do Conde (Freguesia de Aveleda).

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Cidade da Maia é considerada como um importante centro cultural na região sendo de realçar variadas actividades ligadas ao teatro, à música, às artes plásticas e às tradições locais como as manifestações etnográficas visíveis nas festas religiosas que se realizam ao longo do ano. Também o Jardim Zoológico, o único do Norte devidamente organizado, é ponto de encontro para muitos visitantes.

Anualmente, a cidade recebe no Fórum da Maia o Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia e a exposição mundial da World Press Photo.

Em 1998 foi fundado o Conservatório de Música da Maia, situado na freguesia de Santa Maria de Avioso (atualmente freguesia do Castêlo da Maia).

Bandas de Música e Orquestras[editar | editar código-fonte]

  • Associção-Banda de Música de Moreira da Maia
  • Banda Marcial de Gueifães da Maia
  • Orquestra Filarmonia de Vermoim da Maia
  • Orquestra de Câmara da Maia

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Festividades (As freguesias assinaladas com * foram extintas ou incluídas noutras freguesias após a Reforma administrativa de 2013)[editar | editar código-fonte]

  • MAIA (Padroeiro: S. Miguel):

-Nossa Senhora do Bom Despacho (2º domingo de julho) -Nossa Senhora da Maia (2º domingo de outubro) -Corpo de Deus (Feriado do Corpo de Deus) -Procissão do Senhor dos Passos (Domingo de Ramos) -N. Sra. de Fátima (12 de Maio à noite) -S. Miguel

  • VERMOIM* (Padroeiro: S. Romão):

-São Brás (3 de fevereiro ou domingo a seguir) -Nossa Senhora da Caridade (15 de agosto) -S. Romão (já não se realiza)

  • BARCA* (Padroeiro: S. Martinho):

-Senhor de Santa Cruz (2º domingo de setembro) -Procissão do Enterro do Senhor (Sexta-Feira Santa à noite) -Procissão do Senhor dos Passos (5º domingo da Quaresma)

  • GONDIM* (Padroeiro: Divino Salvador):

-Divino Salvador (3º domingo de agosto)

  • FOLGOSA (Padroeiro: Divino Salvador):

-São Frutuoso (2º domingo de setembro) -Nossa Senhora da Luz (1º domingo de maio) -Santa Cristina (1º domingo de setembro) -Santo Ovídio (1º domingo de setembro)

  • SÃO PEDRO FINS (Padroeiro: S. Pedro de Fins):

-São Pedro de Fins -São Miguel-o-Anjo (já não se realiza) -Santa Apolónia (já não se realiza) -Nossa Senhora da Conceição (8 de dezembro)


  • ÁGUAS SANTAS (Padroeira: Sra. do Ó):

-Procissão do Enterro do Senhor (Sexta-Feira Santa à tarde) -Nossa Senhora de Fátima (12 de maio à noite) -Nossa Senhora do Ó -Senhor dos Aflitos (Último domingo de julho) -Nossa Senhora de Guadalupe (1º domingo se setembro) -Menino Jesus (2º domingo de janeiro) -Santo António (13 de junho ou no domingo a seguir)

  • S. PEDRO DE AVIOSO* (Padroeiro: S. Pedro):

-Mártir São Sebastião (20 de janeiro ou no fim de semana a seguir) -S. Pedro (29 de junho)

  • Pedrouços (Padroeira: Sra. da Natividade):

-Nossa Senhora da Natividade (8 de setembro ou no 2º domingo de setembro)

  • GUEIFÃES* (Padroeiro: S. Faustino):

-Nossa Senhora da Saúde (duas semanas depois da Páscoa) -S. Faustino

  • MOREIRA (Padroeiro: Divino Salvador):

-Procissâo do Senhor dos Passos (2º domingo da Quaresma) -Procissão do Enterro do Senhor (Sexta Feira Santa à noite) -N. Sra. de Fátima (12 de maio à noite) -Nossa Senhora Mãe dos Homens (1º domingo de julho) -Santo António (13 de junho ou no domingo a seguir) -Santa Luzia (13 de dezembro)

  • STA. MARIA DE AVIOSO* (Padroeira: Sta. Maria):

-Nossa Senhora de Fátima -Santo Ovídio (Último domingo de agosto) -Senhor da Agonia (1º domingo de setembro)

  • NOGUEIRA* (Padroeira: Sta. Maria):

-Procissão do Senhor dos Passos (3º domingo da Quaresma) -Nossa Senhora da Hora (3º domingo de maio)

  • MILHEIRÓS (Padroeiro: S. Tiago):

-Santa Luzia -S. Tiago

  • GEMUNDE* (Padroeiros: S. Cosme e S. Damião):

-Nossa Senhora de Fátima (2º domingo de agosto) -Campa do Preto (1º domingo de junho)

  • SILVA ESCURA* (Padroeira: Sta. Maria):

-Santo António (13 de junho ou no domingo a seguir)

  • VILA NOVA DA TELHA (Padroeira: Sra. do Ó):

-Menino Jesus (25 de dezembro)



Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

Referências

  1. INE (2013) – "Anuário Estatístico da Região Norte (2012)", p. 32. Acedido a 13/03/2014.
  2. Instituto Geográfico Português, Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 (ficheiro Excel zipado). Acedido a 28/11/2013.
  3. INE (2012) – "Censos 2011 (Dados Definitivos)", "Quadros de apuramento por freguesia" (tabelas anexas ao documento: separador "Q101_NORTE"). Acedido a 27/07/2013.
  4. a b Diário da República, Reorganização administrativa do território das freguesias, Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro, Anexo I. Acedido a 19/07/2013.
  5. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  6. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maia
Concelhos Portugueses com mais de 100 mil habitantes
Bandeira de Portugal

Lisboa | Sintra | Vila Nova de Gaia | Porto | Cascais | Loures | Braga | Matosinhos | Amadora | Almada | Oeiras | Gondomar | Seixal | Guimarães | Odivelas | Coimbra
Santa Maria da Feira | Vila Franca de Xira | Maia | Vila Nova de Famalicão | Leiria | Setúbal | Barcelos | Funchal