Partido Cidadania e Democracia Cristã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Cidadania e Democracia Cristã
Portugal pro Vida logo.png
Líder Manuel Matias (Responsável-Geral)
Fundação 1 de julho de 2009
Sede Rua Dr. José Correia, 83
4580-258 Paredes
 Portugal
Ideologia Doutrina social da Igreja
Democracia cristã
Conservadorismo social
Populismo
Espectro político Direita
Cores Azul ("navy")
Página oficial
portugalprovida.blogspot.com/

O Partido Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC)[1] é um partido político português, aprovado pelo Tribunal Constitucional em 1 de julho de 2009 sob a designação de Portugal pro Vida (PPV),[2] que defende os princípios da doutrina social da Igreja.[3]

Composto por pessoas de vários os quadrantes políticos, nomeadamente o centro,[necessário esclarecer] centro-direita e direita, o PPV/CDC apresenta o seu programa de propostas políticas em torno da defesa incondicional da vida, entendendo o conceito de vida e os diversos princípios a ela inerentes tal como defende a doutrina da Igreja Católica. Até à sua morte a 1 de agosto de 2015, o responsável máximo do partido era o seu Presidente da Direcção Política Nacional, Luís Botelho Ribeiro.

O PPV/CDC defende a revogação da lei do aborto, das recentes alterações à lei do divórcio verificadas em Portugal e a manutenção da proibição da eutanásia; quer a revisão das normas sobre a educação sexual nas escolas, permitindo que os pais tenham voz activa. De acordo com a fidelidade à doutrina da Igreja, o partido foi contra a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo. No campo da cidadania, o partido defende o reconhecimento da objecção de consciência dos contribuintes - estes últimos devem poder especificar quais os usos a dar aos seus impostos.[carece de fontes?]

Em reunião da Convenção Nacional realizada a 11 de julho de 2015, o partido decidiu manter o mesmo logotipo e alterar a sua designação para Partido Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC), alteração que foi aceite e registada pelo Tribunal Constitucional a 12 de agosto do mesmo ano.[4]

Nas eleições legislativas de 2015, o PPV/CDC foi o partido que obteve menos votos, tendo pesado nesses resultados o facto de ter concorrido apenas a 4 círculos eleitorais: 2659 votos, ou 0,05% de todos os votos a nivel nacional.[5]

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Líder Cl. Votos % +/- Deputados +/- Status Notas
2009 Luís Botelho Ribeiro 13.º 8 461
0,2 / 100,0
0 / 230
Extra-parlamentar
2011 Luís Botelho Ribeiro 14.º 8 205
0,2 / 100,0
0 / 230
Extra-parlamentar
2015 Tânia Avillez 17.º 2 659
0,1 / 100,0
Baixa0,1
0 / 230
Extra-parlamentar

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data Cabeça de Lista Cl. Votos % +/- Deputados +/-
2014 Acácio Valente 14.º 12 017
0,4 / 100,0
0 / 21

Eleições autárquicas[editar | editar código-fonte]

(Resultado que excluem os resultados de coligações envolvendo o partido)

Data Cl. Votos % +/- Presidentes CM +/- Vereadores +/-
2013 19.º 338
0,0 / 100,0
0 / 308
0 / 2 086
2017 26.º 186
0,0 / 100,0
Estável
0 / 308
Estável
0 / 2 086
Estável

Referências

  1. Nota: a sigla engloba também a anterior designação do partido: Portugal pro Vida (PPV).
  2. Tribunal Constitucional (1 de Julho de 2009). «Acórdão nº. 327/09 - Inscrição em registo próprio do Tribunal Constitucional do partido Portugal pro Vida.» 
  3. Público.pt. «Dez à procura de um deputado» 
  4. Tribunal Constitucional (12 de agosto de 2015). «ACÓRDÃO Nº 386/2015» 
  5. «Legislativas 2015 - resultados». Ministério da Administração Interna. Consultado em 16 de outubro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.