Partido da Gente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido da Gente
Líder Edir Macedo
Fundação 8 de março de 1995
Dissolução 26 de janeiro de 1999
Sede  Portugal
Ideologia Esquerda cristã
Cores Azul

O Partido da Gente (PG), foi um partido político português, já extinto, criado em 1995. De inspiração cristã, defendendo a promoçao da democracia política, social, económica e cultural, baseada em principios éticos, sociais e democráticos da doutrina cristã.[1]

Adoptaram como símbolo a letra "G" em branco e uma vassoura vermelha, sobre um retângulo de fundo azul.

O partido pertencia à Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo, e foi a segunda tentativa dos adeptos desta Igreja para formar uma organização política. Em 22 de fevereiro de 1995, o tribunal tinha indeferido o registro do Partido Social-Cristão, alegando que a Constituição não permite partidos religiosos. Em janeiro, durante a discussão dos estatutos do partido, o projeto de programa defendia a melhoria dos sistemas de saúde e segurança social e mais verbas para a educação.[2]

Concorreu apenas as eleiçoes para a Assembleia da República no ano de 1995, tendo obtido 8 279 votos, com uma percentagem de 0,14%, não tendo elegido qualquer deputado.[3]

Resultados em eleições
(o ano liga à página da eleição)
Ano Tipo de Eleição Votos % Mandatos
1995
Legislativas
8 279
0,14%
-

Em 1999 foi deliberada a sua dissolução.[1]

Referências

  1. a b «Partido da Gente». CNE - Comissão Nacional de Eleições. Consultado em 24 de Setembro de 2009. 
  2. «Evangélicos registram partido em Portugal». Folha de S. Paulo. 9 de Março de 1995. Consultado em 24 de Setembro de 2009. 
  3. «Resultados Eleitorais das Eleições para a Assembleia da República 1995». CNE - Comissão Nacional de Eleições. Consultado em 24 de Setembro de 2009. 


Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.