Iniciativa Liberal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Iniciativa Liberal
Presidente Carlos Guimarães Pinto
Secretário Miguel Rangel
Fundação 13 de dezembro de 2017 (2017-12-13) (Legalização)
Sede Rua Professor Aires de Sousa, 4º Esq
1600-590 Lisboa,
Portugal Portugal
Ideologia Liberalismo
Liberalismo social
Liberalismo económico
Europeísmo
Espectro político Centro-direita
Afiliação internacional Internacional Liberal
Afiliação europeia Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa
Grupo no Parlamento Europeu
0 / 21
Assembleia da República
0 / 230
Vereadores Municipais
1 / 2 074
Cores Azul
Página oficial
iniciativaliberal.pt

A Iniciativa Liberal (IL) um partido político português de índole liberal. Defende a liberalização económica, política e social.

História[editar | editar código-fonte]

A IL nasceu com a criação da Associação Iniciativa Liberal em setembro de 2016, baseada na discussão do Manifesto Liberal de Oxford (1947). Este serviu de base ao manifesto e à declaração de princípios do partido. O manifesto "Portugal Mais Liberal"[1] foi elaborado de forma colaborativa e fazendo uso do princípio da democracia digital.[2]

Em setembro de 2017, foram entregues no Tribunal Constitucional 8176 assinaturas (acima das 7500 exigidas por lei) necessárias à formalização do partido. A 26 de novembro de 2017, foi realizada a Convenção Fundadora do partido, na cidade do Porto. A IL conta com três participações em congressos da Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa, família política europeia na qual se insere: 2016 em Varsóvia, 2017 em Amesterdão e 2018 em Madrid. A Iniciativa Liberal vai concorrer aos três actos eleitorais em Portugal no ano de 2019, as eleições Regionais da Região Autónoma da Madeira, as eleições Europeias, para o Parlamento Europeu, e as Legislativas para a Assembleia da República.[3]

A sua inscrição no registo dos partidos políticos portugueses foi aceite pelo Tribunal Constitucional a 13 de dezembro de 2017.[4]

A 23 de agosto de 2018, o presidente do partido Miguel Ferreira da Silva, demitiu-se após ter emergido que a página do partido no Facebook tinha sido inicialmente criada como página de apoio a António Costa.[5][6] A 13 de outubro de 2018, na II Convenção Nacional em Montemor-O-Velho, foram eleitos novos órgãos do partido, tendo tomado posse como presidente Carlos Guimarães Pinto.[7]

A 25 de novembro de 2018, a Iniciativa Liberal celebrou o fim do Processo Revolucionário em Curso, que resultou do fracasso do golpe perpetrado na mesma data em 1975[8].

Ideologia[editar | editar código-fonte]

A Iniciativa Liberal acredita na liberdade individual, de que todos os indivíduos têm direitos fundamentais onde se inclui dirigir a sua própria vida, o direito a dispor da sua propriedade e a escolher como viver em comunidade. Na sua concepção a liberdade deve ser vista de forma completa abrangendo a liberdade económica, social e política pois na restrição de uma destas a liberdade deixa de existir. Defende as ideias políticas que permitam pessoas livres, sociedades livres, mercados livres, cidadãos livres, sustentado no facto de que a liberdade é o maior motor de geração de desenvolvimento humano, de harmonia social, e de prosperidade económica[9].

Programa político[editar | editar código-fonte]

A 5 de maio de 2018, a Iniciativa Liberal aprovou o seu programa político com o slogan "Menos Estado Mais Liberdade" [10], construído de forma colaborativa, incluindo propostas por correio eletrónico.[11]. O partido propôs a redução do número de funcionários públicos, a generalização a longo prazo da ADSE face ao Serviço Nacional de Saúde e maior liberdade de escolha das escola públicas, deixando esta de estar ligada à morada do aluno.[11]

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Líder CI. Votos % Deputados Status
2019 Carlos Guimarães Pinto

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data Cabeça de Lista CI. Votos % Deputados
2019 Ricardo Arroja 11º 29 120
0,88 / 100,00
0 / 21

Referências