Alternativa Democrática Nacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alternativa Democrática Nacional
Presidente Bruno Fialho[1]
Secretário-geral Inês Tafula[1]
Fundação 28 de setembro de 2021 (2021-09-28)
Sede Lisboa
Ideologia Conservadorismo[2]
Espectro político Centro a Centro-direita
Ala jovem Juventude ADN
Antecessor Partido Democrático Republicano
Cores Azul, Branco e Amarelo
Página oficial
adn.com.pt/

A Alternativa Democrática Nacional[nota 1] (ADN) é um partido político português conservador, fundado em 2021. O partido resulta da alteração de estatutos do antigo Partido Democrático Republicano (PDR).

História[editar | editar código-fonte]

A 28 de setembro de 2021, com vista a alterar a imagem pública do anterior Partido Democrático Republicano e a desfazer equívocos decorrentes da confusão de siglas entre PDR e PNR — o antigo Partido Nacional Renovador, atualmente designado Ergue-te —, o anterior PDR passou a designar-se Alternativa Democrática Nacional, com a sigla ADN, alteração que foi aceite e registada pelo Tribunal Constitucional na sequência de deliberação tomada pelo Conselho Nacional do PDR a 13 de março de 2021.[3][4], o partido mudou, não só de nome, mas também de estatutos.

No debate de partidos sem representação parlamentar para as Eleições legislativas portuguesas de 2022, O presidente Bruno Fialho afirmou que o novo ADN é um partido diferente do antigo PDR. O presidente do partido ficou igualmente conhecido pela sua atitude negacionista face à COVID-19.[5]

Bruno Fialho - Presidente do ADN

Notas

  1. O nome oficial do partido, tal como está registado no Tribunal Constitucional e como surge nos boletins de voto, é escrito em maiúsculas.

Referências

  1. a b «Comissão Política». Consultado em 10 de outubro de 2021 
  2. Notícia JM
  3. «ACÓRDÃO Nº 765/2021». Tribunal Constitucional. 28 de setembro de 2021. Consultado em 10 de outubro de 2021 
  4. PDR muda de nome para ADN porque quer ser “mais apelativo”, O Novo 25.06.2021
  5. [1]