Carlos Alves de Souza Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carlos Alves de Souza Filho
Nascimento 1901
Morte 9 de abril de 1990 (89 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Ocupação diplomata

Carlos Alves de Souza Filho foi um diplomata brasileiro e genro do ex-presidente Artur Bernardes. [1]

Serviu como embaixador em Roma de 16 de fevereiro de 1950 a 20 de fevereiro de 1956[2], em Paris (1956-1964) e em Londres (1964-1966)[3].

Foi personagem fundamental no conflito diplomático envolvendo o Brasil e a França, que ficou conhecido como Guerra da Lagosta. Em 1962, ele foi o intermediário entre o governo brasileiro e Charles de Gaulle, e autor da famosa frase "O Brasil não é um país sério" (erroneamente atribuída a de Gaulle). [4]

Em 1979, o diplomata publicou um livro[5] em que assume a autoria da frase em conversa com o jornalista Luís Edgar de Andrade, à época correspondente do Jornal do Brasil em Paris. [6] Na ocasião do conflito diplomático entre os dois paises, Carlos Alves relatou ao jornalista sobre o samba A lagosta é nossa, uma sátira feita ao então presidente da França e às charges de De Gaulle publicadas na imprensa brasileira. Em determinado momento, o diplomata disse em francês :

Edgar, le Brésil n'ont è pas un pays sérieux.

Depois, o jornal publicou a entrevista e atribuiu erroneamente a frase à Charles de Gaulle. [7] Anos mais tarde, Carlos Alves de Souza relatou em seu livro que o ex-presidente francês, pela sua formação e temperamento, jamais citariia uma frase tão deselegante ao chefe da missão do país estrangeiro, e que ele a citou para uma pessoa de suas relações (Luís Edgar). Porém, o incidente acabou sendo "envenenado" pela imprensa brasileira e que a frase "pegou"[8]

Referências

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Carlos Alves de Souza Filho
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.