Carol Alt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carol Alt
Em 2012, no Festival de Cinema de Miami
Nascimento 1 de dezembro de 1960 (58 anos)
Nova York, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Ocupação modelo, empresária
Principais trabalhos Harper's Bazaar, Vogue,Cosmopolitan, CoverGirl, Lancôme.
Página oficial
www.carolalt.com

Carol Ann Alt (Nova York, 1 de dezembro de 1960) é uma modelo e atriz norte-americana.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Filha de uma modelo eventual empregada de uma empresa de aviação e de um bombeiro, começou a modelar aos 18 anos, depois de descoberta por um fotógrafo, trabalhando como garçonete num restaurante de Long Island, de início apenas como um trabalho de verão para ajudar a pagar a universidade. Apresentada a John Casablancas da Elite Models, de quem recebeu a oferta de um contrato, ela aceitou mas não tinha nenhum interesse na carreira nem em moda, definindo-se como uma tomboy mais interessada em jogar futebol americano e participar do time de hóquei da sua área. Pouco depois, entretanto, com ofertas de trabalho aparecendo constantemente, Alt largou a faculdade que havia começado para se dedicar integralmente à profissão de modelo, para fúria de seus pais.[1]

Seu sucesso foi imediato e em 1980 aparecia pela primeira vez na capa da revista Harper's Bazaar. Seguiu-se a ela a cobiçada capa do anuário Sports Illustrated Swimsuit Issue em 1982 e centenas de capas de revistas durante a década de 80, como Vogue, Cosmopolitan, PHOTO, Elle e Mademoiselle. No início da década a revista LIFE chamou-a de "O rosto de um milhão de dólares".[2] No total, Alt fez mais de 700 capas de revista em sua carreira.[1]

Além de capas e editoriais de moda, ela também trabalhou como manequim de passarela para marcas como Ralph Lauren e Calvin Klein e fez contratos de publicidade lucrativos como "O Rosto" de empresas de cosméticos como a CoverGirl e Lancôme, fabricantes de refrigerantes como Pepsi e montadoras de automóveis como a General Motors. Usando a profissão como empreendimento, foi a primeira modelo e fotografar e produzir seus próprios posters e calendários, vendidos aos milhares em lojas e bancas de jornais.[1]

Imagens externas
Carol Alt, no auge, na capa da Harper's Bazaar (1982)
Imagens externas
Como "O Rosto" da Cover Girl nos anos 80

A partir de 1986 decidiu dedicar-se ao cinema e conseguiu um espaço no cinema italiano onde fez dezenas de filmes menores. Nas décadas seguintes, de volta aos EUA, atuou em vários filmes de baixo orçamento e séries para televisão. Nos anos 2000 Alt participou de uma das edições de Celebrity Apprentice, com Donald Trump, onde ficou em terceiro lugar competindo pela instituição de caridade que leva o nome e seu pai, Tony Alt Memorial Foundation, e da versão italiana de Dancing with the Stars.[1] Em 2006, protagonizou ao lado de Amy Jo Johnson, o filme Fatal Trust, uma produção original do canal Lifetime. Em 2008, aos 48 anos, foi capa e posou nua para a revista Playboy,[3] que a chamou de " A mulher mais bonita do mundo".[2]

Em 2009 escreveu o livro bestseller This Years Model (A Modelo do Ano, no Brasil), publicado pela Harper Collins,[4] em que através de uma personagem – com um história em vários pontos igual à dela – fala de festas regadas à álcool, drogas, traições e tarados disfarçados de caça-talentos no mundo da moda que frequentou.[5]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Alt vive há alguns anos com o ex-jogador profissional de hóquei Alexei Yashin, que jogou no Ottawa Senators e no New York Islanders. Antes, foi casada com outro jogador de hóquei, Ron Greschner, do New York Rangers, de 1983 a 1996. Ela diz que seu envolvimento com dois jogadores de hóquei, apesar de sua paixão pelo esporte desde a infância, não passa de coincidência:" Eu nunca fui atrás de jogadores de hóquei".[1]

Entre 1990 e 1994, numa fase de crise no casamento até a separação, teve um relacionamento amoroso com o ex-piloto de Fórmula 1 brasileiro Ayrton Senna. Mantido de maneira discreta e muitas vezes em completo segredo – ela ainda casada e ele namorando publicamente Adriane Galisteu, entre outras da época – ocorreu por anos, em vários cantos do mundo, até a morte do piloto.[6] Até hoje mantém fotos de Ayrton com ela e louva a compreensão do companheiro Alexei para com isso.[7]

Referências

  1. a b c d e «Carol Alt Biography». biography.com. Consultado em 2 de maio de 2014 
  2. a b «Biography». harpercollins.com. Consultado em 2 de maio de 2014 
  3. «Celebrity Carol Alt». Playboy. Consultado em 2 de maio de 2014 
  4. «This Year's Model». HarperCollins Publishers. Consultado em 2 de maio de 2014 
  5. «Traições, festas e fofocas: romance de Carol Alt revela os bastidores do mundo da moda». O Globo. Consultado em 2 de maio de 2014 
  6. «Ayrton Senna e Carol Alt». Caras. Consultado em 2 de maio de 2014 
  7. «Carol Alt: fotografie su Panorama raccontano il suo amore per Ayrton Senna» (em italiano). OBIETTIVO DIGITALE. Consultado em 2 de maio de 2014