Centro Cultural Abrigo dos Bondes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Centro Cultural Abrigo dos Bondes
Espaço Antônio Callado
Construção 1906
Inauguração 10 de junho de 2009 (9 anos)
Estado de conservação revitalizado
Geografia
Cidade Niterói

Centro Cultural Abrigo dos Bondes - Espaço Antônio Callado é um centro cultural no número 100 da Rua Marquês de Paraná (esquina com a Rua Marechal Deodoro), no Centro, em Niterói, no Rio de Janeiro, no Brasil. O nome duplo faz referência à história do imóvel (que foi um abrigo de bondes)[1] e homenageia o escritor niteroiense Antônio Calado.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O edifício foi construído em 1906 para abrigar a usina e as oficinas de reparos dos bondes da cidade de Niterói, que, no ano anterior, tiveram seu sistema de tração animal convertido em elétrico.[1]

Na década de 1960, a introdução dos trólebus nas ruas da cidade e a criação da Serve (Serviço de Transporte Coletivo do Estado do Rio de Janeiro), mais tarde transformada em CTC-RJ (Companhia de Transportes Coletivos do Rio de Janeiro), marcou o fim dos bondes. Com isso, teve início a decadência do prédio, que passou a funcionar como garagem de trólebus e depois de ônibus.

No início da década de 1970, o prédio foi reformado, tendo uma parte demolida para permitir o alargamento da rua Marques do Paraná, necessário para construção dos acessos para a Ponte Rio-Niterói. Pode-se observar que, com isso, o prédio ficou assimétrico. Nesta mesma obra de alargamento, o último prédio do lado ímpar da avenida Amaral Peixoto também teve uma parte demolida.

Na década de 1990, a CTC-RJ havia sido extinta e o antigo abrigo dos bondes estava abandonado. Em 1992, a Prefeitura de Niterói e a Secretaria Extraordinária para o Programa Especial de Educação do Rio de Janeiro, comandada por Darcy Ribeiro, elaboraram um projeto para instalar, no local, um Centro de Educação Ecológica. No entanto, a ideia não saiu do papel.[2]

Mesmo assim, devido ao seu valor histórico e arquitetônico para a cidade, a Prefeitura de Niterói tombou provisoriamente o imóvel em 7 de abril de 1993. Mais tarde, um acordo entre a Prefeitura e uma rede de supermercados permitiu a criação do Centro Cultural Abrigo dos Bondes, inaugurado em 10 de junho de 2009. A empresa revitalizou o prédio e foi autorizada a instalar, nele, uma de suas lojas.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O Centro Cultural Abrigo de Bondes fica na Rua Marquês do Paraná, entre a Rua São João e a Rua Marechal Deodoro, no Centro da cidade.[1] Conta com sala multiuso com capacidade para 400 pessoas, para apresentações de teatro, shows, palestras, workshops e exposições. A área construída é de 3 500 metros quadrados.[3] Além do supermercado, abriga 17 lojas. Também apresenta uma exposição permanente sobre a história do sistema de bondes da cidade.[4]

Críticas[editar | editar código-fonte]

Dois anos após a inauguração do centro cultural, as salas de cinema não tinham sido ainda instaladas. Além disso, produtores culturais niteroienses responsabilizam a falta de transparência e de informações sobre a administração pelo subaproveitamento do local.[5]

Outra crítica é o fato de a população local não ter incorporado o Espaço Antonio Callado como centro de cultura. O local ainda é conhecido popularmente como "garagem da CTC" e é pouco frequentado, a não ser pelos clientes do supermercado,[6] e chega a ser chamado de "centro cultural fantasma".[7]

Referências

  1. a b c CENTRO CULTURAL ABRIGO DE BONDES mapa de cultura.
  2. CAMPELLO, G. Estudo para o aproveitamento do Antigo Abrigo de Bondes de Niterói. Prefeitura de Niterói, 1992
  3. Guia Prático Niterói Turismo NELTUR - Niterói Empresa de Lazer e Turismo S/A.
  4. Espaços Culturais / Museus Guia de Niterói.
  5. Abrigo dos Bondes: espaço controverso O Globo. (Junho, 2011).
  6. DAMASCO, Fernando Souza. O processo de refuncionalização de fixos: Abrigo dos Bondes, Niterói, RJ - Um estudo de caso
  7. Abrigo dos Bondes: O Centro Cultural Fantasma Araribóia Rock. (Junho, 2011).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]