Cerco de Dammaj

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cerco de Dammaj
Crise Iemenita
Dar al-Hadith.jpg
Dar al-Hadith em Dammaj.
Data 15 de outubro - 22 de dezembro de 2011
(primeira fase)

outubro de 2013 - janeiro de 2014
(segunda fase)

Local Dammaj, Sa'dah (província), Iêmen
Desfecho Vitória decisiva dos rebeldes houthis
  • Cessar-fogo implementado[1]
  • Salafistas são expulsos de Dammaj[2]
  • Destruição de Dar al-Hadith[3]
Beligerantes
combatentes salafistas
Iémen Tribos pró-governo
Houthis
Comandantes
Yahya al-Hajoori
Abu Ismail
Abu Ali Abdullah al-Hakem al-Houthi
Saleh Habra
Dhaifallah al-Shami
Mohammed Abdulsalam
   
+830 pessoas mortas no total[4]

Cerco de Dammaj começou em outubro de 2011 quando os Houthis, um grupo rebelde liderado pelos xiitas que controlam a província de Saada, acusaram os salafistas sunitas leais ao governo iemenita de contrabandear armas para seu centro religioso na cidade de Dammaj e exigiram que eles entregassem suas armas e postos militares na cidade.[5] Como os salafistas recusaram, os rebeldes houthis reagiram impondo um cerco a Dammaj, fechando as principais entradas que levavam à cidade.[6] A cidade foi controlada pelos houthis e os combates foram centrados principalmente na escola religiosa de Dar al-Hadith,[7] que é dirigida pelos salafistas,[5] embora seu fundador (imã Muqbil bin Hadi al-Wadi'i) tenha rejeitado Osama bin Laden na década de 1990. Os salafistas de Dammaj e o imã de Dar al-Hadith, Sheikh Yahya Hajoori, declararam que são totalmente contra a al-Qaeda e tudo o que eles representam.[8]

Em dezembro de 2011, foi assinado um cessar-fogo em que ambos os lados concordaram temporariamente com a remoção de todos os postos de controle e barreiras militares em torno de Dammaj. Homens armados neutros das tribos Hashid e Bakil são implantados em torno da cidade para garantir que ambos os lados aderissem ao cessar-fogo.[1] No entanto, combates irromperam novamente em outubro de 2013, quando houthis bombardearam uma mesquita salafista e a escola religiosa adjacente, antecipando um ataque dos combatentes salafistas que se reuniram em Dammaj.[9] Os combatentes houthis avançaram posteriormente e assumiram muitas posições evacuadas pelos combatentes salafistas armados na área do distrito de Kitaf wa Al Boqe'e, ao norte da cidade de Sa'dah, e subsequentemente explodem a simbólica escola religiosa de Dar al-Hadith.[10]

Um cessar-fogo foi mediado pelo governo iemenita sob o presidente Abdrabbuh Mansur Hadi em janeiro de 2014. Como parte do cessar-fogo, tropas iemenitas foram enviadas para a cidade de Dammaj e evacuaram todos os combatentes salafistas e suas famílias, bem como estudantes estrangeiros para os vizinhos Al Hudaydah e Sana'a, entregando a vitória aos houthis.[4]

Referências

  1. a b Yemen Times Houthis And Salafis Reach Cease Fire Agreement Arquivado em 2011-12-28 no Wayback Machine., 26 de dezembro de 2011
  2. Salafis are driven out of Dammaj - Yemen Post
  3. RISE OF THE HOUTHIS BY NEWSWEEK
  4. a b Yemeni gov't evacuates Salafis from northern conflicts
  5. a b Yemen Times Sectarian conflict looms in Sa’ada Arquivado em 2011-11-13 no Wayback Machine., 30 de outubro de 2011
  6. Yemen Post Clashes in Sa’ada Between Houthis and Salafis, 5 de novembro de 2011
  7. YEMEN: Children at risk as aid access denied, 6 de dezembro de 2011
  8. Tuhfah Al-Mujeeb, from the chapter "Who’s Behind the Bombings in the Two Sanctuaries (Mecca & Medina)?", 1996
  9. «Clashes in Dammaj take a turn for the worse». Yemen Post. 29 de outubro de 2013 
  10. «Clashes kill at least 23 in north Yemen». The Daily Star. 5 de janeiro de 2014 
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Siege of Dammaj».