Charles Everett Koop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Charles Everett Koop
Nascimento 14 de outubro de 1916
Brooklyn
Morte 25 de fevereiro de 2013 (96 anos)
Hanover
Cidadania Estados Unidos
Alma mater Faculdade de Dartmouth, Universidade Cornell, Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia, Weill Cornell Medical
Ocupação médico, cirurgião pediatra
Prêmios Prêmio Tyler de Conquista Ambiental, Medalha Presidencial da Liberdade, Medalha Bem-Estar Público, Prêmio Léopold Griffuel, Prêmio Maxwell Finland, Prêmio Heinz
Empregador Universidade da Pensilvânia
Religião Presbiterianismo
Causa da morte Insuficiência renal

Charles Everett Koop (Nova York, 14 de outubro de 191625 de fevereiro de 2013) foi um cirurgião infantil norte-americano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Durante três décadas no Hospital Infantil de Filadélfia, pesquisou técnicas pioneiras de cura de bebês prematuros e defeituosos, tendo separado, inclusive, gêmeos siameses.

Durante a administração de Ronald Reagan, ocupou a chefia do Departamento de Saúde dos Estados Unidos.

De confissão presbiteriana, Koop sempre foi radicalmente contrário ao aborto, ao infanticídio e à eutanásia. No entanto, a política por ele adotada no governo Reagan contrariou as expectativas dos conservadores que o apoiaram quando admitiu que não havia provas conclusivas sobre os malefícios do aborto para a saúde da mulher. Neste período, lançou oito relatórios contra o fumo e mais uma vez surpreendeu os conservadores em sua política de combate à AIDS, posicionando-se a favor da educação sexual nas escolas e da distribuição de preservativos ao invés de defender apenas a abstinência sexual como forma de combate à epidemia, motivo pelo qual obteve o apoio da comunidade homossexual nos Estados Unidos.

No começo do governo de George H. W. Bush, Koop renunciou ao cargo, mas continuou com o seu ativismo político contra o tabagismo, participando de reuniões organizadas por Hillary Clinton a respeito do assunto.

É autor do livro Sometimes Mountains Move onde relata o seu sofrimento pela morte de seu filho.

Recebeu o Prêmio Maxwell Finland de 1988.