Cirrus SR20

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Setembro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)



Cirrus SR20
New Zealand PW-51.svg
CIRRUS SR20 - Fácil pilotagem, manutenção simples e barata, robustez estrutural e baixo consumo de combustível
Descrição
Tipo Aeronave utilitária civil
Fabricante Cirrus Aircraft
País de Origem  Estados Unidos
Primeiro voo 21 de maio de 1995 (20 anos)
Produção 1999-presente
Tripulação/Equipa 1 piloto
Capacidade de
passageiros
4 passageiros
Capacidade de
carga
421 kg (928 lb)
Custo unitário US$ 359,900 (preço base, 2015)
Dimensões
Comprimento 7,92 metros
Envergadura 11,68 metros
Altura 2,71 metros
Área (asas) 13,71 m²
Pesos
Peso vazio (Tara) 965 kg
Peso bruto
(carregado)
1386 kg
Peso máx. decolagem 1386 kg
Propulsão
Motorização 1 x Continental IO-360-ES
Potência 200 hp (149 kW)
Performance
Velocidade de
cruzeiro
288 km/h
Razão de subida 4,2 m/s
Altitude máxima 5334 metros
Alcance (MTOW) 1454 km
Pista min. decolagem 421 metros
Notas
Dados do modelo "SR20-G3"[1]


O Cirrus SR20 é uma econômica aeronave monomotor a pistão de pequeno porte com um elegante design de linhas fluidas, para uso executivo, de passeio e turismo, com capacidade para transportar com razoável conforto um piloto e três passageiros em viagens intermunicipais e interestaduais, fabricada nos Estados Unidos desde a década de 1990 pela Cirrus Design, uma das maiores e mais inovadoras, ousadas e admiradas fabricantes de aeronaves leves a pistão do mundo.[2]

A família de aeronaves Cirrus SR é um grande sucesso de vendas no mercado mundial de aeronaves leves a pistão, com mais de 5.000 unidades fabricadas, incluindo as versões Cirrus SR20 e Cirrus SR22, uma consequência natural de uma feliz combinação de características positivas de robustez estrutural, manutenção simples e barata, baixo consumo de combustível, design atraente, modernidade e preço de aquisição competitivo.[3]

No Brasil são mais de 270 unidades vendidas desde 2005.

O fabricante Cirrus disponibiliza no Cirrus SR20 o útil e moderno sistema de navegação EFIS (Electronic Flight Instrument System), com as telas PFD (Primary Flight Display) e MFD (Multi Function Display), que simplificam a navegação e reduzem a carga de trabalho do piloto, tornando as viagens mais seguras e tranquilas.

Fuselagem[editar | editar código-fonte]

O modelo Cirrus SR-20 e seu irmão com motorização mais potente Cirrus SR22, quase idênticos entre si, são criações originais da indústria Cirrus Design estadunidense. São projetos inteiramente novos que utilizam de forma intensiva o material composto, são mais robustos que aeronaves de mesmo tamanho e capacidade construídas em alumínio e ligas metálicas.

A construção da fuselagem e das asas em material composto do Cirrus SR20, combinada com a tradicional motorização a pistão Continental IO 360 aspirado resulta numa significativa economia de combustível e baixo custo de manutenção. É atualmente um dos modelos de aeronaves leves de uso executivo, passeio e turismo mais vendidos nos Estados Unidos e no Brasil.

Inovação[editar | editar código-fonte]

Um dos mais impressionantes equipamentos disponíveis no Cirrus SR20, e que eleva o nível de segurança da aeronave, é o paraquedas fabricado pela empresa Ballistic Recovery Systems, que conectado por resistentes peças à fuselagem da aeronave permite ao aviador um procedimento de emergência com acionamento em voo, caso o único motor disponível falhe.

Acidente[editar | editar código-fonte]

O Cirrus SR20 é considerado uma aeronave segura por especialistas, porém no dia 11 de outubro de 2006 um Cirrus SR20 colidiu com um edifício de apartamentos na cidade de Nova Iorque. O avião pertencia ao jogador de baseball do New York Yankees, Cory Lidle. Estavam na aeronave Lidle e seu instrutor de voo, Tyler Stanger. Ambos morreram neste acidente e várias pessoas ficaram feridas no incêndio que se seguiu na edificação.

Especificações (SR20-G2)[editar | editar código-fonte]

CIRRUS SR-20 no Aeroporto de Avaré.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

  • Tripulação: 1 piloto;
  • Capacidade: 3 passageiros;
  • Comprimento: Aprox. 7,8 metros;
  • Envergadura: Aprox. 11,68 metros;
  • Largura da cabine: Aprox. 2,6 metros;
  • Área da asa: Aprox. 9,5 m²;
  • Peso vazio: Aprox. 940 kg;
  • Peso máximo decolagem: Aprox. 1.360 kg;
  • Motorização (potência): 01 X Continental IO 360 aspirado (200 hp);

Desempenho[editar | editar código-fonte]

  • Velocidade de cruzeiro: Aprox. 285 km / h;
  • Alcance: Aprox. 1.000 quilômetros (lotado / 75% potência / com reservas);
  • Teto de serviço: Aprox. 5.000 metros;
  • Climb (subida): Aprox. 270 metros / minuto;
  • Pista de pouso: Aprox. 1.000 metros (lotado / dias quentes / tanques cheios);
  • Consumo médio (AVGAS): Aprox. 50 litros / hora (75% potência / lotado);
  • Consumo médio (AVGAS): Aprox. 0,06 litro / passageiro / km voado;
  • Preço: Aprox. US$ 485 mil (novo);

Modelos relacionados[editar | editar código-fonte]

  • Cirrus SRV
  • Cirrus SR22

Seqüência de modelos[editar | editar código-fonte]

Principais concorrentes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cirrus Design (2014). "SR20 Specifications" (em inglês) - www.cirrusdesign.com. Página visitada em 1 de junho de 2015.
  2. Cirrus SR20 Cirrus Aircraft (em inglês). Visitado em junho de 2015.
  3. Cirrus SR20 Flying Magazine (em inglês). Visitado em junho de 2015.
Portais da Wikipédia relacionados
ao tema

Ligações externas[editar | editar código-fonte]