Cisco Kid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cisco Kid
Duncan Renaldo como Cisco Kid em 1950
Criado por O. Henry
Primeira aparição "The Caballero's Way" (1907)
Interpretado por William R. Dunn, Vester Pegg, Warner Baxter, Cesar Romero, Duncan Renaldo, Gilbert Roland e Jimmy Smits

Cisco Kid é um cowboy fictício do cinema, programas de rádio, televisão e das histórias em quadrinhos. Foi criado em 1907 pelo escritor norte-americano O. Henry para o conto "The Caballero's Way", publicado na coletânea Heart of the West. No cinema, na TV e nos quadrinhos, Kid foi descrito como um heroico caballero mexicano,[1] mesmo que ele tenha sido criado como um bandido cruel.[2]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Carole Lombard e Warner Baxter em The Arizona Kid (1930).

Numerosos filmes foram feitos sobre o personagem, o primeiro foi feito na época do cinema mudo The Caballero's Way (1914).


Cisco Kid foi protagonista do longa metragem In Old Arizona (1929), interpretado por Warner Baxter, que recebeu o Oscar de Melhor Ator pela sua atuação.[2] Este filme foi uma versão revista da história original, em que o Kid é retratado de forma positiva. Foi dirigido por Irving Cummings e Raoul Walsh. Inicialmente, Walsh havia sido escalado como protagonista, contudo, perdeu o olho em um acidente de carro.

Em 1930, a Fox Film Corporation tentou negociar uma sequêwncia com os detentos dos direitos do conto de O. Henry, como não conseguiu, produziu The Arizona Kid, um rip off de Cisco Kid estrelado por Baxter,[3] no ano seguinte, lança The Cisco Kid com Baxter, Conchita Montenegro, e Edmund Lowe.[2]


A série de filmes começou com The Return of the Cisco Kid (1939), com Baxter no papel-título e Cesar Romero como seu sidekick, Lopez, Chris-Pin Martin como o outro sidekick, Gordito ("Fatty").

Romero assumiu o papel principal de Cisco e Martin continuou a desempenhar Gordito em mais seis filmes antes da série ser suspensa com a entrada dos Estados Undos na Segunda Guerra Mundial em 1941. Duncan Renaldo assumiu o papel de Kid quando Monogram Pictures reviveu a série em 1945 com The Cisco Kid Returns, que também introduziu o sidekick mais conhecido de Kid, Pancho, interpretado por Martin Garralaga. Pancho também ficou estabelecido como seu sidekick em outros mídias. Nem Gordito nem Pancho existem na história original. Depois de três filmes com Renaldo intepretando Cisco, Gilbert Roland interpretou o personagem em uma meia dúzia de 1946 a 1947 filmes que começam com o The Gay Cavalier (1946). Renaldo depois voltou para o papel principal com Leo Carrillo como Pancho. Eles fizeram cinco filmes, logo em seguida, Renaldo e Carillo estrelariam uma série de televisão de Cisco Kid.[2]


Lista de filmes

Rádio[editar | editar código-fonte]

Em 1942, o cavaleiro mexicano foi adaptado para um programa de rádio, na introdução de cada episódio, o narrador referia-se a Cisco Kid como o Robin Hood do oeste.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Duncan Renaldo como Cisco Kid e Leo Carillo como Pancho

Nos anos 50 Cisco Kid ganhou uma série de televisão com 156 episódios, produzidos entre 1950 e 1956,[2] cujos directores eram Eddie Davis e Leslie Goodwins, os actores principais eram Duncan Renaldo (Cisco Kid) e Leo Carillo (Pancho). Fez grande sucesso no Brasil, sendo apresentada nas matinês de domingo, nos cinemas, até meados dos anos 70. Também Foi exibida no Brasil em vários canais, entre eles a extinta TV Corcovado nos anos 80.

Os episódios da série de TV e do telefilme 1994, tal como a série de rádio, terminou com um ou outro deles fazendo uma piada sobre a aventura que tinham acabado de completar. Eles riam, dizendo: " 'O, Pancho!" " 'O, Cisco!". Ao longo da série de TV, Pancho chamava o amigo de "Cisco" - apesar de que esse é o nome de uma cidade perto de Abilene, no Texas, e o verdadeiro nome do personagem nunca é mencionado - e outros (principalmente personagens anglófonos) referem-se a ele como "o Kid" (Renaldo tinha 46 anos de idade, quando a série de TV começou). Embora ambos Pancho e Cisco são claramente identificáveis como mexicanos, ao longo de toda a série falavam um com o outro em inglês, com Pancho falando uma inglês densamente acentuado e muito quebrado, como se os dois não fossem fluente e confortáveis em espanhol. Claro, a série foi destinado ao lançamento inicial nos Estados Unidos e para um público principalmente de língua inglesa assim, como ainda é a prática hoje, em tais casos, o diálogo foi escrito e entregues em inglês e o público preencheu o resto.

Histórias em quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Em 1944, a Baily Publishing publicou o one-shot Cisco Kid Comics, em 1950 foi publicado na revista Four Color #292[4]. A Dell Comics publicou uma revista em quadrinho intitulada The Cisco Kid de 1950 a 1958 (41 edições)[5]. Em 15 de Janeiro de 1951, a King Features Syndicate lança uma tira diária com as aventuras de Cisco Kid, desenhadas por José Luis Salinas e argumento de Rod Reed, que se prolongou até 5 de Agosto de 1968[6]. A primeira aparição em Portugal foi no Mundo de Aventuras nº81 (1ª série) a 12 de Abril de 1951. No Brasil foi publicado pelas editoras Órbis[7], GEA[8], EBAL (revista SuperXis)[9], Vecchi[10] e L&PM.[11] Em 2009, a Moonstone Books publicou seis graphic novels baseadas em Kid. Kid chega a encontrar se une a personagens famosos presentes em faroestes como Wyatt Earp, Geronimo, Belle Starr e Annie Oakley em Wyatt Earp: Justice Riders.[12]

Literatura[editar | editar código-fonte]

Cisco Kid estreou em 1907 no conto "The Caballero's Way" do O. Henry como um bandido e logo depois foi adaptado para os cinemas.[1] Apesar de ter sido adaptado para quadrinhos, rádio e televisão, Cisco Kid ficou ano sem aparecer em prosa, até que em 2012, apareceu um conto publicado na antologia The Lone Ranger Chronicles da Moonstone Books, onde se encontra com Lone Ranger.[13]

Os nomes Pancho e Cisco[editar | editar código-fonte]

"Cisco" e "Pancho" são apelidos dados aos homens cujo nome espanhol é Francisco,[14] que em inglês é "Francis" ou Frank, no Brasil, Chico é o apelido mais comum.

É provável, mas não está claro, que Pancho ou Cisco foram originalmente nomeado após o famoso general revolucionário mexicano cujo nome de guerra foi Francisco "Pancho" Villa.

Referências

  1. a b Cisco Kid, um cowboy cavalheiro
  2. a b c d e Marco Aurélio Lucchetti Cisco Kid
  3. Francis M. Nevins, Gary D. Keller (2008). The Cisco Kid: American Hero, Hispanic Roots Bilingual Press/Editorial Bilingüe [S.l.] p. 59. ISBN 9781931010498. 
  4. Barry Sandoval, Don Magnus, James L. Halperin (editor) (2005). Heritage Comics Auctions, Dallas Signature Auction Catalog #817 Heritage Capital Corporation [S.l.] p. 155. 9781932899856. 
  5. Michael R. Pitts (2009). Western Film Series of the Sound Era McFarland [S.l.] p. 58. 9780786435296. 
  6. Maurice Horn (1999). The world encyclopedia of comics, Volume 1 Chelsea House [S.l.] p. 172. 9780791048573. 
  7. Gonçalo Júnior (2004). Editora Companhia das Letras, : . A Guerra dos Gibis - a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-1964 [S.l.: s.n.] p. 254. ISBN 9788535905823. 
  8. Marcus Ramone (18/09/2015). «Os implacáveis quadrinhos de faroeste». Universo HQ. 
  9. «Curiosidades Western». GibiRaro. 
  10. Ota e Francisco Uchoa (janeiro de 2011). "Jornal da ABI #362 - A Cronologia dos Quadrinhos - Parte 2
  11. «Cisco Kid - José Luis Salinas». L&PM. 
  12. Moonstone em julho
  13. The Lone Ranger Prepares The Noblest Vengeance at Ipulp!
  14. Apelidos: Apodo, apelido, sobrenome, sobrenombre e apellido

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cisco Kid
Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.