Cláudia de Campos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cláudia de Campos
Nascimento 28 de janeiro de 1859
Sines, Portugal
Morte 1916 (57 anos)
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Poetisa

Cláudia de Campos (28 de Janeiro de 1859 a 1916), natural de Sines, foi uma escritora portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cláudia de Campos era filha de Francisco António de Campos e Maria Augusta da Palma de Campos. Nasceu em Sines a 13 de Março de 1860. Seu avô, Jacinto da Palma foi Guarda-Mor de saúde do Porto de Sines.

Em 1875 casou com Joaquim d'Ornelas e Matos.

Foi uma estudiosa de Eça, Quental, Herculano e Castilho.

Especializou-se em Estudos Ingleses no Colégio de Mrs Kutle e legou-nos um mauscrito sobre Shelley.

Intelectual inovadora e ensaísta da condição feminina (Ensaio de Psicologia Feminina), estreou-se com um volume de pequenos contos intitulado "Rindo..." a que se seguiram "O último Amor" , "Mulheres", "A Esfinge", "a Baronesa de Stael", "O Duque de Palmela" e "Elle" (na 'Introdução à 2ª edição de "Elle" da Câmara Municipal de Sines)

Encontra-se colaboração da sua autoria na revista A Leitura[1] (1894-1896).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Referências