Cruzília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Cruzília
  Município do Brasil  
VistadeCRZ.jpg
Símbolos
Bandeira de Cruzília
Bandeira
Brasão de armas de Cruzília
[[Brasão|Brasão de armas]]
Hino
Apelido(s) "Berço dos Cavalos Mangalarga"
"Mangalarga Marchador"
Gentílico cruziliense
Localização
Localização de Cruzília em Minas Gerais
Localização de Cruzília em Minas Gerais
Cruzília está localizado em: Brasil
Cruzília
Localização de Cruzília no Brasil
Mapa de Cruzília
Coordenadas 21° 50' 20" S 44° 48' 28" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Municípios limítrofes Luminárias, São Thomé das Letras, Baependi, Aiuruoca, Minduri e Carrancas.
Distância até a capital 384 km
História
Fundação 1948 (72 anos)
Aniversário 27 de Dezembro
Administração
Prefeito(a) Joaquim José Paranaíba[1] (PP)
Características geográficas
Área total [1] 522,419 km²
População total (Estimativa IBGE/2019[1]) 15 417 hab.
Densidade 29,5 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwb)
Altitude 1010 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 37445-000 a 37446-999[2]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,695 médio
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 97 779,146 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 6 417,64
Outras informações
Padroeiro(a) São Sebastião[5]
Website www.cruzilia.mg.gov.br (Prefeitura)
www.camaracruzilia.mg.gov.br (Câmara)

Cruzília é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população em julho de 2019 foi estimada em 15 417 habitantes.[1]

Localizada no Sul de Minas, Cruzília pertence ao Caminho Velho da Estrada Real e integra o circuito turístico das Montanhas Mágicas da Mantiqueira. É conhecida por suas fazendas centenárias, por ser o berço dos cavalos da raça Mangalarga Marchador e sua indústria de móveis e queijos.

História[editar | editar código-fonte]

Praça Cap. Maciel e Igreja Matriz em 2009.

Cruzília, antigo distrito criado em 1873 e subordinado a Baependi, tornou-se município em 27 de dezembro de 1948.[6][7]

Economia[editar | editar código-fonte]

Cavalos[editar | editar código-fonte]

Cruzília é conhecida como o Berço do Cavalo Mangalarga Marchador. Na Fazenda Campo Alegre, por volta de 1812, Gabriel Francisco Junqueira, o "Barão de Alfenas", ganhou de D. João VI um garanhão da raça Alter Real e iniciou sua criação de cavalos, cruzando este garanhão com as éguas comuns de sua fazenda. Dezenas de haras estão espalhados pelo município, alguns em fazendas centenárias, carregadas de histórias e cultura. No final do mês de Agosto acontece anualmente, no Complexo Humano da Ventania, a Copa de Marcha do Sul de Minas.

Móveis[editar | editar código-fonte]

A indústria moveleira de Cruzília é uma das geradora de empregos no município.

Queijos[editar | editar código-fonte]

A fabricação de queijos finos levou Cruzília à liderança do Ranking Nacional dos Melhores Queijos do Brasil em 2009[8] e novamente em 2010. No município são produzidos diversos tipos de queijo, que se dividem em sete grupos: queijos de massa filada, queijos de massa cozida, queijos de massa semi-cozida, queijos de massa crua, queijos de mofo branco, queijos de mofo azul e queijos condimentados.

A pecuária está presente em Cruzília desde sua fundação, sendo a produção leiteira uma das práticas mais tradicionais no município. O comércio de insumos agrícolas também se destaca, bem como o cultivo de milho, feijão e batata, dentre outros.

Já a silvicultura é a atividade que mais se intensificou a partir da década de 2000, principalmente quanto ao plantio de eucalipto, em muitos casos fomentado por uma grande empresa de papel e celulose instalada na região.

O comércio e a prestação de serviços, de modo geral, representam a maior fonte empregadora. Destaca-se entre eles o beneficiamento de quartzito - "pedra São Thomé", como uma importante atividade no município.

Por fim, merece menção o Hospital Dr. Cândido Junqueira.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

No centenário Collégio Parochial São Sebastião, atual E.E. São Sebastião, boa parte da população cursou o ensino Fundamental e Médio.

Há ainda no município a E.E. D. Leonina Nunes Maciel, E.E. Mons. João Câncio e E.M.D. Benvinda Imaculada Conceição, entre outras.

Lazer[editar | editar código-fonte]

O Clube Campestre Ypê, popularmente chamado de "Clube de Campo", está localizado na zona rural, a 5 km da cidade. O clube é conhecido pelo Baile do Hawaíí, que promove sempre nas noites de sexta-feira do carnaval. Existe ainda o Clube Recreativo Encruzilhadense.

Música[editar | editar código-fonte]

O Festival de Cruzília, salvo em condições atípicas, acontece na segunda quinzena do mês de julho.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Corria o ano de 1942 quando era inaugurado o primeiro cinema de Cruzília - então Encruzilhada. O Cine Vitória foi fundado aos 20 de dezembro daquele ano em uma edificação localizada em frente ao atual hospital pela empresa "Maciel, Arantes & Pinto", composta por Paulo Maciel Arantes, José Geraldo de Arantes e Lázaro Pinto. O equipamento cinematográfico foi adquirido de Gustavo Zieglitz, especialista de São Paulo. O primeiro filme exibido foi Voando às Cegas, com Richard Harley.

Dez anos mais tarde, em 1952, às 13 horas do dia 29 de junho, foi inaugurado o novo prédio do Cine Vitória na praça principal da cidade, onde se encontra até hoje. Os idealizadores e construtores da obra foram Paulo Maciel Arantes e José Sebastião Nunes Maciel (Juca). Quem anunciava as sessões pelo alto-falante era Alceu Maciel Pereira. Posteriormente o prédio foi adquirido pela prefeitura da cidade, à qual pertence até hoje. Infelizmente encontra-se desativado atualmente.

Eventos[editar | editar código-fonte]

  • 20 de janeiro: Festa do Padroeiro São Sebastião
  • Carnaval: Seis dias de festa, começando na quinta à noite com o Baile da Saudade. Acontece pelas ruas do centro no período noturno e na Esquina Mineira (bairro Vila Maria) durante as tardes.
  • Semana Santa: Calendário religioso com missas e procissões
  • Corpus Christi: Calendário religioso com missas e procissões
  • Julho: Festa do Peão (1ª quinzena); Jogos Abertos (evento esportivo que reúne cidades vizinhas); Festa da Colheita; Festival de Música (2ª quinzena)
  • 27 de dezembro: Aniversário da cidade

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Cruzília». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 9 de janeiro de 2020 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 15 de junho de 2015 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 1. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  6. «História da Cidade». cruzilia.mg.gov.br. Consultado em 24 de junho de 2012 
  7. «IBGE - cidades@ - Histórico - Cruzília». ibge.gov.br. Consultado em 24 de junho de 2012 
  8. Tribuna de Minas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cruzília
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.